Conectar-se
Últimos assuntos
Os membros mais ativos do mês
12 Mensagens - 50%
6 Mensagens - 25%
2 Mensagens - 8%
1 Mensagem - 4%
1 Mensagem - 4%
1 Mensagem - 4%
1 Mensagem - 4%
Votação
Qual a técnica que você utiliza para ficar lúcido?
Teste de Realidade
45% / 15
Totem
15% / 5
Incubação
12% / 4
Gatilho
6% / 2
Gravador de Voz ou Sons Binaurais
6% / 2
Outros
15% / 5
Parceiros
 sonhos=
 sonhos=
 animes=

Compartilhe
Ver o tópico anteriorIr em baixoVer o tópico seguinte
avatar
Mensagens : 1989
Pontos : 5587
Honra : 575
Data de inscrição : 10/03/2013
Idade : 17
Localização : Nippon, Namimori.
Sonhos Lúcidos :
50 / 99950 / 999
Sonhos Comuns :
300 / 999300 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

em Seg Set 01, 2014 12:44 pm
Forsit escreveu:
O fim alternativo:
(Vou tentar resumir este sonho porque tenho que sair de casa logo)

O fim alternativo [01/09/2014]
Eu estava em casa, olhando a varanda, quando vi que estava acontecendo o caos do lado de fora. Explosões, naves espaciais vinham... Engraçado como esses sonhos em que eu olho para fora e percebo um mundo horrível são comuns estão sendo recorrentes.
Várias naves vinham, eu estava aflito, mostrava para a minha irmã. Os prédios caíam, as coisas explodiam, tsunamis alagavam a cidade. Quando achei tudo aquilo muito estranho, olhei para as minhas mãos: Ah, é só um sonho!
Eu tentei fugir, falei para a minha irmã que estávamos sonhando (embora eu soubesse que ela era apenas uma projeção, queria que ela me acompanhasse), e saí em direção da porta de casa, que na verdade estava quebrada ao meio, daí pulei e comecei a flutuar como se a gravidade fosse baixa. Eu havia entrado em uma das naves eu acho, não sei exatamente como. Tudo que eu via era muito sci-fi, parecia um filme de ficção científica, haviam aliens ao meu redor... Eu não me lembro ao certo o que eu fazia ou quais eram os meus objetivos naquele sonho (se é que eu tinha algum), mas na maior parte do tempo, como sempre, fiquei olhando para as minhas mãos indignado com o número de dedos que eu tinha, contando várias vezes, para me certificar de que eu estava sonhando xD

Guerra dos mundos. gargalhada Parabéns pelo Sonho Lúcido, Forsit! Eu também fico contando mil vezes os dedos pra ter certeza de que não estou sonhando. Principalmente em sonho muito vívido, porque já teve vez de eu querer pular do meu prédio, mas por o sonho estar muito real, eu ficava contando várias vezes. Kkkkk

Esse tipo de sonho poderia ser bem épico caso você tivesse lutado contra os aliens. xD
avatar
Mensagens : 114
Pontos : 1410
Honra : 33
Data de inscrição : 09/03/2014
Idade : 18
Localização : Via Láctea
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

em Seg Set 01, 2014 8:27 pm
The Master:

Forsit escreveu:
O fim alternativo:


Guerra dos mundos. gargalhada Parabéns pelo Sonho Lúcido, Forsit! Eu também fico contando mil vezes os dedos pra ter certeza de que não estou sonhando. Principalmente em sonho muito vívido, porque já teve vez de eu querer pular do meu prédio, mas por o sonho estar muito real, eu ficava contando várias vezes. Kkkkk

Esse tipo de sonho poderia ser bem épico caso você tivesse lutado contra os aliens. xD

Haha, eu sempre tenho muitos problemas com isso, duvido que estou sonhando às vezes, mesmo tendo dezenas de dedos em cada mão. Quantas e quantas foram as vezes em que eu queria pular de um prédio pra tentar voar e que eu queria fazer maluquices no meio de todo mundo, mas achava arriscado xD
Outro problema que eu tenho é ficar sem fazer nada em sonho lúcido. Quando acordo eu vejo que eu poderia ter uma linda experiência se não fosse por oportunidades óbvias que eu deixei passar.
Eu provavelmente não atacaria os aliens a não ser que eles fizessem isso, eu iria falar com eles primeiro pra saber alguma coisa ou sairia correndo por aí como na maioria dos sonhos lúcidos.


Fugir da realidade não é ao mesmo tempo que interessante, deprimente?
avatar
Mensagens : 114
Pontos : 1410
Honra : 33
Data de inscrição : 09/03/2014
Idade : 18
Localização : Via Láctea
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

em Sex Dez 19, 2014 10:59 am
Meu longo tempo de inatividade esteve relacionado a minha falta de sonhos, e às vezes tenho sonhos tão curtos e sem sentido que não animo de relatar.

Dentro de casa [19/12/2014]

O sonho começou no banheiro do quarto do meu pai, o caminho mais longe para chegar até a porta de casa, no entanto, minha casa é pequena. Eu observava algo estranho, não me sentia normal, parecia estar em um sonho. Então olhei para as minhas mãos e elas estavam normais em quantidades de dedos e tamanho deles, mas na ponta de cada dedo, haviam outros 5 dedos menores que meio centímetro. Ainda não satisfeito com o Reality Check mas tendo quase a certeza de que estava em um sonho, tentei dar um soco na pia de forma que a quebrasse, forçando o pensamento de quebrá-la. Não adiantou. Então tentei dar um soco no espelho, de forma que o quebrasse, mas forçando o pensamento de não quebrar e de não sentir dor, e não quebrou. Me senti satisfeito com isso porque pela força que eu havia feito, realmente esperava que o espelho fosse quebrar. Observei que minha imagem no espelho parecia bem normal, também. Saí do banheiro esfregando as mãos e passando-as na parede do corredor que ia até a sala para melhorar a estabilidade do sono. Quando cheguei quase no final do corredor, o ambiente escureceu, ficou mórbido e sinistro. Eu não estava ligando muito por estar lúcido. Quando cheguei na sala, encontrei uma idosa sentada no sofá que eu imagino nunca ter visto antes, seu rosto estava desconfigurado e demoníaco. Eu não estava com medo dela, mas eu me sentia perturbado porque poderia acontecer alguma coisa e eu perder meu sonho, e além disso, eu não queria passar meu sonho lúcido em casa, muito menos com uma velha possuída. Então comecei a enforcá-la, ela começou a gritar e seu rosto estava derretendo, quando olhei para trás, alguma figura aparentemente feminina foi perfurando o chão e chegando a minha direção. O sonho acabou e eu não acordei.

Esse sonho me lembrou de um outro pesadelo meu. Não me lembro se foi lúcido, mas também começou no banheiro do meu pai e teve outros aspectos semelhantes a esse sonho.
Observei também que quando tenho sonhos dentro de casa, não consigo sair de lá de forma alguma, e parece que tentar fazer todo o percurso até a porta da minha casa, chamar e descer no elevador e sair do condomínio será um caminho distorcido e provavelmente mais longo que pode ser um desperdício para a minha lucidez e até mesmo para a duração do sonho por não estar fazendo nada interessante. Alguém tem dicas?


Fugir da realidade não é ao mesmo tempo que interessante, deprimente?
avatar
Mensagens : 114
Pontos : 1410
Honra : 33
Data de inscrição : 09/03/2014
Idade : 18
Localização : Via Láctea
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

em Sab Jan 24, 2015 11:26 am
Lucidez em meio a uma tempestade [24/01/2015]

Eu estava em um lago onde havia uma ponte, minha irmã também estava tomando banho lá. Alguém me segurava, como eu não sei nadar. Eu me sentia estúpido por isso. Um cara começou a nadar além da ponte avisando que teria uma onda enorme, a pessoa que me segurava me levou até a superfície onde encontrei a minha irmã e começamos a correr até um ponto de uma cidade. Estava começando uma tempestade, uma ventania enorme em linha reta, as placas se soltavam e atravessavam na velocidade de um carro, só que em linha reta. Minha irmã falou para eu ficar colado na parede, assim as placas de sinalização do trânsito não me atingiriam. Era bizarro, eu me lembro de passar algumas árvores também e me perguntei por que todas estavam em linha reta. Minha irmã estava esperando por um menino no meio da tempestade. Enquanto eu ficava espremido na parede e entediado de ver as placas passarem, comecei a imaginar que aquilo era um sonho, mas da mesma forma deveria me proteger para que as placas não me atingissem. Muito tempo depois, o menino chegou, a tempestade parou na hora. Eu nunca havia visto aquele menino na minha vida, acredito que nem minha irmã, ele usava um uniforme de uma escola concorrente da minha irmã, tinha um cabelo crespo e curto. No momento em que se aproximaram, fizeram um comentário sobre a tempestade, que tudo aquilo estava estranho. Eu disse "Não, sabe por que isso não é estranho? Porque é um sonho, e agora estou lúcido!" Minha irmã virou os olhos. Na minha consciência, eu estava tendo muitos sonhos lúcidos em dias consecutivos, e isso ainda me faz acreditar que tive outro(s) sonho(s) lúcido(s) na mesma noite, no entanto, não me lembro deles. Fui à rua, meu objetivo era interagir com as pessoas do meu sonho, perguntá-las por que eu estava tendo tantos sonhos lúcidos e me aproveitar da resposta. De cara, perguntei a minha irmã e aquela criatura, mas nenhum deles me respondeu. Meu segundo alvo foi uma mulher de olhos puxados, usava roupas pretas, uma mochila, óculos e rabo de cavalo, logo ao lado da esquina onde minha irmã e aquele menino estavam. Eu perguntei a ela:
- Por que estou tendo tantos sonhos lúcidos?
- Ah, é mesmo né, você está tendo muitos sonhos lúcidos... Ela respondeu em um tom entediante.
- Mas por que estou tendo tantos sonhos lúcidos?
- Por que? Não, não, eu não vou te responder isso.
Ela atravessou a rua e começou a andar em seu rumo.
Também atravessei, procurei alguém para perguntar e fiz a mesma pergunta.
No mesmo estante, eu ouvi um barulho muito alto, um estalo que chegou ao meu ouvido. Interpretei como se fosse um tiro, e nesse momento tudo começou a escurecer muito rápido. Tentei imaginar que mesmo que fosse um tiro, aquilo era meu sonho e não me interromperia, mas era tarde de mais, comecei a sentir o meu corpo na cama, mas o barulho do estalo do tiro continuou sendo feito, várias vezes. Vinha do andar de cima, provavelmente alguma criança brincando com uma moeda, jogando-a no chão e pegando várias vezes. Claro que me senti muito irritado, até porque conheço e não gosto dos vizinhos de cima.


Última edição por Forsit em Sab Fev 07, 2015 10:25 am, editado 1 vez(es)


Fugir da realidade não é ao mesmo tempo que interessante, deprimente?
avatar
Mensagens : 1178
Pontos : 3904
Honra : 670
Data de inscrição : 25/03/2013
Idade : 22
Localização : Morretes/ PR
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuáriohttp://naturezaevolutiva.blogspot.com.br/

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

em Sex Jan 30, 2015 11:59 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
O pior é que mesmo sendo sonho, as placas podiam te ferir e causar uma sensação ruim no sonho.
Ás vezes acontece no sonho lúcido de ouvirmos sons de fora, mas... Não tem como culpar as crianças, acredito que elas não sabiam que você estava sonhando lucidamente. Aprendi que quanto mais se tem sonhos lúcidos, mais se terá, é como se viciasse o cérebro.

Abraços.
avatar
Mensagens : 114
Pontos : 1410
Honra : 33
Data de inscrição : 09/03/2014
Idade : 18
Localização : Via Láctea
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

em Sab Fev 07, 2015 10:31 am
EmersonPawoski escreveu:O pior é que mesmo sendo sonho, as placas podiam te ferir e causar uma sensação ruim no sonho.
Ás vezes acontece no sonho lúcido de ouvirmos sons de fora, mas... Não tem como culpar as crianças, acredito que elas não sabiam que você estava sonhando lucidamente. Aprendi que quanto mais se tem sonhos lúcidos, mais se terá, é como se viciasse o cérebro.

Abraços.

Olá, Emerson, me desculpe pela resposta atrasada. Eu sempre esqueço de verificar se alguém postou no meu diário, fico muito feliz com seu comentário.
Eu já li sobre pessoas que estavam tentando se desafiar a fazer coisas absurdas no sonho como enfiar uma faca no estômago mas ignorar a dor e controlar a lucidez do mesmo jeito, acredito que talvez com um poder muito forte sobre os sonhos seja possível controlar as coisas inesperadas que podem interrompê-lo, no entanto, falhei na minha tentativa ao tomar um tiro na cabeça.
Acho engraçado como às vezes os sons de fora interagem com o sonho de modo que se encaixem em um contexto às vezes bem diferente, mas não tem como eu não me irritar com os vizinhos de cima porque fazem muito barulho sempre, independentemente de saberem ou não que estou sonhando lucidamente, ha, ha.
Embora eu estivesse pensando que estava tendo muitos sonhos naquele momento, aquilo não era verdade. No máximo tive um outro sonho lúcido na mesma noite no qual eu não conseguia me recordar.
Mais uma vez, muito obrigado pelo seu comentário.


Fugir da realidade não é ao mesmo tempo que interessante, deprimente?
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5587
Honra : 1043
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

em Sab Fev 07, 2015 9:09 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Foristas escreveu:

Forsit escreveu:Lucidez em meio a uma tempestade [24/01/2015]

Eu estava em um lago onde havia uma ponte, minha irmã também estava tomando banho lá. Alguém me segurava, como eu não sei nadar. Eu me sentia estúpido por isso. Um cara começou a nadar além da ponte avisando que teria uma onda enorme, a pessoa que me segurava me levou até a superfície onde encontrei a minha irmã e começamos a correr até um ponto de uma cidade. Estava começando uma tempestade, uma ventania enorme em linha reta, as placas se soltavam e atravessavam na velocidade de um carro, só que em linha reta. Minha irmã falou para eu ficar colado na parede, assim as placas de sinalização do trânsito não me atingiriam. Era bizarro, eu me lembro de passar algumas árvores também e me perguntei por que todas estavam em linha reta. Minha irmã estava esperando por um menino no meio da tempestade. Enquanto eu ficava espremido na parede e entediado de ver as placas passarem, comecei a imaginar que aquilo era um sonho, mas da mesma forma deveria me proteger para que as placas não me atingissem. Muito tempo depois, o menino chegou, a tempestade parou na hora. Eu nunca havia visto aquele menino na minha vida, acredito que nem minha irmã, ele usava um uniforme de uma escola concorrente da minha irmã, tinha um cabelo crespo e curto. No momento em que se aproximaram, fizeram um comentário sobre a tempestade, que tudo aquilo estava estranho. Eu disse "Não, sabe por que isso não é estranho? Porque é um sonho, e agora estou lúcido!" Minha irmã virou os olhos. Na minha consciência, eu estava tendo muitos sonhos lúcidos em dias consecutivos, e isso ainda me faz acreditar que tive outro(s) sonho(s) lúcido(s) na mesma noite, no entanto, não me lembro deles. Fui à rua, meu objetivo era interagir com as pessoas do meu sonho, perguntá-las por que eu estava tendo tantos sonhos lúcidos e me aproveitar da resposta. De cara, perguntei a minha irmã e aquela criatura, mas nenhum deles me respondeu. Meu segundo alvo foi uma mulher de olhos puxados, usava roupas pretas, uma mochila, óculos e rabo de cavalo, logo ao lado da esquina onde minha irmã e aquele menino estavam. Eu perguntei a ela:
- Por que estou tendo tantos sonhos lúcidos?
- Ah, é mesmo né, você está tendo muitos sonhos lúcidos... Ela respondeu em um tom entediante.
- Mas por que estou tendo tantos sonhos lúcidos?
- Por que? Não, não, eu não vou te responder isso.
Ela atravessou a rua e começou a andar em seu rumo.
Também atravessei, procurei alguém para perguntar e fiz a mesma pergunta.
No mesmo estante, eu ouvi um barulho muito alto, um estalo que chegou ao meu ouvido. Interpretei como se fosse um tiro, e nesse momento tudo começou a escurecer muito rápido. Tentei imaginar que mesmo que fosse um tiro, aquilo era meu sonho e não me interromperia, mas era tarde de mais, comecei a sentir o meu corpo na cama, mas o barulho do estalo do tiro continuou sendo feito, várias vezes. Vinha do andar de cima, provavelmente alguma criança brincando com uma moeda, jogando-a no chão e pegando várias vezes. Claro que me senti muito irritado, até porque conheço e não gosto dos vizinhos de cima.
Talvez as figuras não quiseram responder a sua pergunta no sonho, porque talvez você, inconscientimente, já saiba a resposta.

Agora esse lance de vizinho barulhento, isso é fod@ mesmo. E o pior é que eles não ligam o desconfiômetro não. Se você não reclamar com eles, o barulho deles vai virar rotina na sua casa.

E com certeza o barulho influência no seu sono e na história do sonho. Se você quiser fazer um teste. Ligue um som bem baixinho no quarto de dormir e colaque uma única música pra tocar infinitas vezes. E depois vá dormir ouvindo aquela música. Aposto que você vai sonhar com a música tocando de alguma forma. Pode ser sonhando que está em casa, no carro, numa rua, na escola, trabalho, loja... Em alguma parte do sonho, você vai perceber a música tocando, acabando e começando a tocar de novo. Já fiz esse teste, e isso acontece mesmo. Faça esse teste pra você ver como a música vai aparecer tocando dentro do teu sonho. Quem sabe você sonhe com sua banda preferida tocando a música numa festa onírica. Kkkkk
avatar
Mensagens : 114
Pontos : 1410
Honra : 33
Data de inscrição : 09/03/2014
Idade : 18
Localização : Via Láctea
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

em Ter Fev 10, 2015 10:02 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Ramon:

Ramon escreveu:
Foristas escreveu:

Forsit escreveu:Lucidez em meio a uma tempestade [24/01/2015]

Eu estava em um lago onde havia uma ponte, minha irmã também estava tomando banho lá. Alguém me segurava, como eu não sei nadar. Eu me sentia estúpido por isso. Um cara começou a nadar além da ponte avisando que teria uma onda enorme, a pessoa que me segurava me levou até a superfície onde encontrei a minha irmã e começamos a correr até um ponto de uma cidade. Estava começando uma tempestade, uma ventania enorme em linha reta, as placas se soltavam e atravessavam na velocidade de um carro, só que em linha reta. Minha irmã falou para eu ficar colado na parede, assim as placas de sinalização do trânsito não me atingiriam. Era bizarro, eu me lembro de passar algumas árvores também e me perguntei por que todas estavam em linha reta. Minha irmã estava esperando por um menino no meio da tempestade. Enquanto eu ficava espremido na parede e entediado de ver as placas passarem, comecei a imaginar que aquilo era um sonho, mas da mesma forma deveria me proteger para que as placas não me atingissem. Muito tempo depois, o menino chegou, a tempestade parou na hora. Eu nunca havia visto aquele menino na minha vida, acredito que nem minha irmã, ele usava um uniforme de uma escola concorrente da minha irmã, tinha um cabelo crespo e curto. No momento em que se aproximaram, fizeram um comentário sobre a tempestade, que tudo aquilo estava estranho. Eu disse "Não, sabe por que isso não é estranho? Porque é um sonho, e agora estou lúcido!" Minha irmã virou os olhos. Na minha consciência, eu estava tendo muitos sonhos lúcidos em dias consecutivos, e isso ainda me faz acreditar que tive outro(s) sonho(s) lúcido(s) na mesma noite, no entanto, não me lembro deles. Fui à rua, meu objetivo era interagir com as pessoas do meu sonho, perguntá-las por que eu estava tendo tantos sonhos lúcidos e me aproveitar da resposta. De cara, perguntei a minha irmã e aquela criatura, mas nenhum deles me respondeu. Meu segundo alvo foi uma mulher de olhos puxados, usava roupas pretas, uma mochila, óculos e rabo de cavalo, logo ao lado da esquina onde minha irmã e aquele menino estavam. Eu perguntei a ela:
- Por que estou tendo tantos sonhos lúcidos?
- Ah, é mesmo né, você está tendo muitos sonhos lúcidos... Ela respondeu em um tom entediante.
- Mas por que estou tendo tantos sonhos lúcidos?
- Por que? Não, não, eu não vou te responder isso.
Ela atravessou a rua e começou a andar em seu rumo.
Também atravessei, procurei alguém para perguntar e fiz a mesma pergunta.
No mesmo estante, eu ouvi um barulho muito alto, um estalo que chegou ao meu ouvido. Interpretei como se fosse um tiro, e nesse momento tudo começou a escurecer muito rápido. Tentei imaginar que mesmo que fosse um tiro, aquilo era meu sonho e não me interromperia, mas era tarde de mais, comecei a sentir o meu corpo na cama, mas o barulho do estalo do tiro continuou sendo feito, várias vezes. Vinha do andar de cima, provavelmente alguma criança brincando com uma moeda, jogando-a no chão e pegando várias vezes. Claro que me senti muito irritado, até porque conheço e não gosto dos vizinhos de cima.
Talvez as figuras não quiseram responder a sua pergunta no sonho, porque talvez você, inconscientimente, já saiba a resposta.

Agora esse lance de vizinho barulhento, isso é fod@ mesmo. E o pior é que eles não ligam o desconfiômetro não. Se você não reclamar com eles, o barulho deles vai virar rotina na sua casa.

E com certeza o barulho influência no seu sono e na história do sonho. Se você quiser fazer um teste. Ligue um som bem baixinho no quarto de dormir e colaque uma única música pra tocar infinitas vezes. E depois vá dormir ouvindo aquela música. Aposto que você vai sonhar com a música tocando de alguma forma. Pode ser sonhando que está em casa, no carro, numa rua, na escola, trabalho, loja... Em alguma parte do sonho, você vai perceber a música tocando, acabando e começando a tocar de novo. Já fiz esse teste, e isso acontece mesmo. Faça esse teste pra você ver como a música vai aparecer tocando dentro do teu sonho. Quem sabe você sonhe com sua banda preferida tocando a música numa festa onírica. Kkkkk

Olá, Ramon!
Eu não concluiria que eu soubesse da resposta, no momento, eu acreditava que as pessoas seriam grosseiras comigo, também. Isso me lembra de um outro sonho lúcido meu mais recente em que eu tive tanta lucidez que consegui controlar a reação das pessoas não intencionalmente, mas esperando que elas agissem daquela forma. Quando fiz isso, fiquei ainda mais lúcido.
Tenho tido poucos sonhos, dificilmente me lembro deles, mas eles têm sido lúcidos com uma frequência muito maior mesmo tendo deixado de anotar a maioria dos meus sonhos não lúcidos (exatamente porque tenho os achado pouco interessantes e também pela falta de tempo, agora com a preparação para o vestibular). Engraçado que às vezes uma coisa que acontece e eu não consigo controlar, nos meus sonhos eu percebo que não é realidade e ignoro a lucidez, normalmente para continuar no contexto do sonho ou permanecer mais seguro, já que normalmente quando fico lúcido coisas estranhas tendem a acontecer.
Sobre os sons nos sonhos, já tive experiências bem engraçadas como ouvir um comentário que minha irmã fazia enquanto eu dormia e ele ser feito no sonho, ouvir uma música que vem de bem distante de casa bem mais alta quando eu estou bem próximo de dormir... Acho interessante como o nosso cérebro reage aos sons externos nos sonhos, adaptando-os às vezes para um contexto bem distinto do que estava sendo aplicado na realidade, mas que no sonho faz sentido.
Muito obrigado pelo comentário, Ramon!


Fugir da realidade não é ao mesmo tempo que interessante, deprimente?
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5587
Honra : 1043
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

em Qua Fev 11, 2015 11:05 pm
Forsit escreveu :

Forsit escreveu:
Ramon:

Ramon escreveu:
Foristas escreveu:

Forsit escreveu:Lucidez em meio a uma tempestade [24/01/2015]

Eu estava em um lago onde havia uma ponte, minha irmã também estava tomando banho lá. Alguém me segurava, como eu não sei nadar. Eu me sentia estúpido por isso. Um cara começou a nadar além da ponte avisando que teria uma onda enorme, a pessoa que me segurava me levou até a superfície onde encontrei a minha irmã e começamos a correr até um ponto de uma cidade. Estava começando uma tempestade, uma ventania enorme em linha reta, as placas se soltavam e atravessavam na velocidade de um carro, só que em linha reta. Minha irmã falou para eu ficar colado na parede, assim as placas de sinalização do trânsito não me atingiriam. Era bizarro, eu me lembro de passar algumas árvores também e me perguntei por que todas estavam em linha reta. Minha irmã estava esperando por um menino no meio da tempestade. Enquanto eu ficava espremido na parede e entediado de ver as placas passarem, comecei a imaginar que aquilo era um sonho, mas da mesma forma deveria me proteger para que as placas não me atingissem. Muito tempo depois, o menino chegou, a tempestade parou na hora. Eu nunca havia visto aquele menino na minha vida, acredito que nem minha irmã, ele usava um uniforme de uma escola concorrente da minha irmã, tinha um cabelo crespo e curto. No momento em que se aproximaram, fizeram um comentário sobre a tempestade, que tudo aquilo estava estranho. Eu disse "Não, sabe por que isso não é estranho? Porque é um sonho, e agora estou lúcido!" Minha irmã virou os olhos. Na minha consciência, eu estava tendo muitos sonhos lúcidos em dias consecutivos, e isso ainda me faz acreditar que tive outro(s) sonho(s) lúcido(s) na mesma noite, no entanto, não me lembro deles. Fui à rua, meu objetivo era interagir com as pessoas do meu sonho, perguntá-las por que eu estava tendo tantos sonhos lúcidos e me aproveitar da resposta. De cara, perguntei a minha irmã e aquela criatura, mas nenhum deles me respondeu. Meu segundo alvo foi uma mulher de olhos puxados, usava roupas pretas, uma mochila, óculos e rabo de cavalo, logo ao lado da esquina onde minha irmã e aquele menino estavam. Eu perguntei a ela:
- Por que estou tendo tantos sonhos lúcidos?
- Ah, é mesmo né, você está tendo muitos sonhos lúcidos... Ela respondeu em um tom entediante.
- Mas por que estou tendo tantos sonhos lúcidos?
- Por que? Não, não, eu não vou te responder isso.
Ela atravessou a rua e começou a andar em seu rumo.
Também atravessei, procurei alguém para perguntar e fiz a mesma pergunta.
No mesmo estante, eu ouvi um barulho muito alto, um estalo que chegou ao meu ouvido. Interpretei como se fosse um tiro, e nesse momento tudo começou a escurecer muito rápido. Tentei imaginar que mesmo que fosse um tiro, aquilo era meu sonho e não me interromperia, mas era tarde de mais, comecei a sentir o meu corpo na cama, mas o barulho do estalo do tiro continuou sendo feito, várias vezes. Vinha do andar de cima, provavelmente alguma criança brincando com uma moeda, jogando-a no chão e pegando várias vezes. Claro que me senti muito irritado, até porque conheço e não gosto dos vizinhos de cima.
Talvez as figuras não quiseram responder a sua pergunta no sonho, porque talvez você, inconscientimente, já saiba a resposta.

Agora esse lance de vizinho barulhento, isso é fod@ mesmo. E o pior é que eles não ligam o desconfiômetro não. Se você não reclamar com eles, o barulho deles vai virar rotina na sua casa.

E com certeza o barulho influência no seu sono e na história do sonho. Se você quiser fazer um teste. Ligue um som bem baixinho no quarto de dormir e colaque uma única música pra tocar infinitas vezes. E depois vá dormir ouvindo aquela música. Aposto que você vai sonhar com a música tocando de alguma forma. Pode ser sonhando que está em casa, no carro, numa rua, na escola, trabalho, loja... Em alguma parte do sonho, você vai perceber a música tocando, acabando e começando a tocar de novo. Já fiz esse teste, e isso acontece mesmo. Faça esse teste pra você ver como a música vai aparecer tocando dentro do teu sonho. Quem sabe você sonhe com sua banda preferida tocando a música numa festa onírica. Kkkkk

Olá, Ramon!
Eu não concluiria que eu soubesse da resposta, no momento, eu acreditava que as pessoas seriam grosseiras comigo, também. Isso me lembra de um outro sonho lúcido meu mais recente em que eu tive tanta lucidez que consegui controlar a reação das pessoas não intencionalmente, mas esperando que elas agissem daquela forma. Quando fiz isso, fiquei ainda mais lúcido.
Tenho tido poucos sonhos, dificilmente me lembro deles, mas eles têm sido lúcidos com uma frequência muito maior mesmo tendo deixado de anotar a maioria dos meus sonhos não lúcidos (exatamente porque tenho os achado pouco interessantes e também pela falta de tempo, agora com a preparação para o vestibular). Engraçado que às vezes uma coisa que acontece e eu não consigo controlar, nos meus sonhos eu percebo que não é realidade e ignoro a lucidez, normalmente para continuar no contexto do sonho ou permanecer mais seguro, já que normalmente quando fico lúcido coisas estranhas tendem a acontecer.
Sobre os sons nos sonhos, já tive experiências bem engraçadas como ouvir um comentário que minha irmã fazia enquanto eu dormia e ele ser feito no sonho, ouvir uma música que vem de bem distante de casa bem mais alta quando eu estou bem próximo de dormir... Acho interessante como o nosso cérebro reage aos sons externos nos sonhos, adaptando-os às vezes para um contexto bem distinto do que estava sendo aplicado na realidade, mas que no sonho faz sentido.
Muito obrigado pelo comentário, Ramon!
Oi, Forsit. Primeiramente, me desculpe por escrever seu nome errado. O teclado do meu tablet tem mania de sapecar sugestões no lugar das palavras que escrevo. Fui escrever seu nome, e o teclado sapecou "forista", sem eu perceber. foi mal.

Curioso isso que você falou, sobre o lance do comentário da sua irmã influenciar seus sonhos, enquanto você estava dormindo. Realmente, acontece isso mesmo. 

Uma vez sonhei que uma tia minha que mora em Salvador, e que não a via a mais de um ano, estava na minha casa conversando com a minha mãe. Quando acordei e falei pra minha mãe que tinha sonhado que a irmã dela esteve na minha casa. Minha mãe disse que minha tia realmente esteve naquele dia lá em casa, e as duas conversaram muito por mais de uma hora no sofá da sala. Fiquei impressionado com isso, porque não acordei em nenhum momento que minha tia esteve na minha casa naquele dia. Quando acordei, já tinha mais de uma hora que minha tia já tinha ido embora. Mas, mesmo eu dormido um sono pesado, escutei o som da voz da minha mãe e da minha tia, e sonhei com as duas. 

O nosso cérebro é incrível, pois mesmo quando estamos dormindo um sono profundo, o nosso cérebro é capaz de perceber e interpretar os sons e estímulos que vem de fora.
avatar
Mensagens : 114
Pontos : 1410
Honra : 33
Data de inscrição : 09/03/2014
Idade : 18
Localização : Via Láctea
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

em Sab Fev 14, 2015 12:48 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Ah, Ramon, eu nem tinha percebido que você tinha digitado meu nome no fórum errado, hahahaha, mas não tem problema, eu não me incomodo.
Muito interessante essa experiência que você teve com sua tia. Eu infelizmente não consigo me recordar muito bem da que eu tive com minha irmã.
Acredito que esse tipo de sonho acontece quando estamos próximos de acordar, assim recebemos as informações do que acontece ao nosso redor e aplicamos nos sonhos em um contexto que pode coincidir com a realidade, como no seu caso.
Mais uma vez, obrigado pelo comentário, Ramon!


Fugir da realidade não é ao mesmo tempo que interessante, deprimente?
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5587
Honra : 1043
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

em Sab Fev 14, 2015 5:50 pm
Forsit:
Ah, Ramon, eu nem tinha percebido que você tinha digitado meu nome no fórum errado, hahahaha, mas não tem problema, eu não me incomodo.
Muito interessante essa experiência que você teve com sua tia. Eu infelizmente não consigo me recordar muito bem da que eu tive com minha irmã.
Acredito que esse tipo de sonho acontece quando estamos próximos de acordar, assim recebemos as informações do que acontece ao nosso redor e aplicamos nos sonhos em um contexto que pode coincidir com a realidade, como no seu caso.
Mais uma vez, obrigado pelo comentário, Ramon!
Verdade. Quando estamos perto de acordar e tambem no sono REM, captamos inconscientemente as informações externas e decodificamos em forma de sonhos.

Também acontece outro fenômeno, o de trazer os estímulos do sonho para a fronteira do estado de vigília. Esses dias, sonhei que levava um tapa do meu pai. No sonho ele se zangou comigo e me deu um tapa forte na minhas costas, bem na altura do meu ombro direito. Acordei na mesma hora, e sentindo a força do impacto do tapão no meu ombro. Mas, não sentir dor, apenas a sensação da mão pesada batendo na minhas costas. Acordei, e a sensação do tapa sumiu.Eu poderia dizer que esse tapa saiu do sonho e virou uma legítima alucinação hipnopômpica. Kkkkk
Conteúdo patrocinado

Re: Diário de Todos os Sonhos de Forsit

Ver o tópico anteriorVoltar ao TopoVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum