Conectar-se
Os membros mais ativos do mês
1 Mensagem - 50%
1 Mensagem - 50%
Votação
Qual a técnica que você utiliza para ficar lúcido?
Teste de Realidade
45% / 15
Totem
15% / 5
Incubação
12% / 4
Gatilho
6% / 2
Gravador de Voz ou Sons Binaurais
6% / 2
Outros
15% / 5
Parceiros
 sonhos=
 sonhos=
 animes=

Compartilhe
Ver o tópico anteriorIr em baixoVer o tópico seguinte
avatar
Mensagens : 326
Pontos : 1051
Honra : 106
Data de inscrição : 10/05/2016
Localização : RS
Sonhos Lúcidos :
7 / 9997 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Sab Abr 08, 2017 8:45 pm
Oi Veivi,gostei do sonho.Comigo também já aconteceu se eu ser avisado durante o sonho.Podia acontecer mais vezes né?
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Seg Abr 10, 2017 10:06 am
Andrelp escreveu:Oi Veivi,gostei do sonho.Comigo também já aconteceu se eu ser avisado durante o sonho.Podia acontecer mais vezes né?

Valeu Andrelp! Eu achava que isso era impossível de acontecer, mas li um relato e abri a mente, esses dias ouvi que o sonho sempre ajuda a ficarmos conscientes e meu meus sonhos estão me dando dicas preciosas, acho que é uma questão de incubar essa ideia e podemos ter muito mais desses sonhos! Pretendo estar treinando isso muito feliz
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Seg Abr 10, 2017 11:16 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Técnica do grande corredor das portas

Resolvi testar essa técnica sem a pressão de prazos, então excepcionalmente não estou anotando as datas, em vez disso escrevi em um lugar diferente do meu diário.
Antes de dormir eu coloquei em uma corrente onde tinha o pingente da estrela de Davi a minha chave junto e girei os dois na corrente, parece que o movimento contínuo do giro fez com que a imagem fosse para meu subconsciente, pois ocorreu o seguinte:

Estava em uma festa de aniversário, com o pessoal da igreja, umas meninas vieram me avisar que um amigo estava me chamando, então meu amigo apareceu e me deu um presente: era uma corrente com um homem de cerâmica e uma moeda na ponta, acabei quebrando a perna do pingente de homem, dentro tinha uma chave de ouro bem mais grossa do que as chaves normalmente são, mas do mesmo tamanho o sonho seguiu lúcido, mas fiz outras coisas e não me lembrei da técnica do grande corredor das portas, mas foi um sonho válido, pois antes não estava conseguindo colocar a imagem da chave no meu sonho.

Nesse outro sonho estava em um hospital, percebi que sonhava, pois dois personagens que tinham aparecido no meu sonho anterior apareceram de novo, já lúcida andei pelos corredores e me lembrei da técnica do grande corredor das portas, ele já estava lá incubado, era um pouco diferente da do filme, mas não tinha fim, as portas eram brancas, em cada maçaneta tinha uma chave dourada e com três pedrinhas brilhantes (igual a minha chave física), lembrei dela e a tirei do pescoço, fiquei contente em ver que ela estava igual a meu totem físico, eu queria fazer que ela ficasse maior, mas apenas cresceu a ponta, ainda sim tentei colocar na porta, mas não deu certo, resolvi usar a que estava pendurada na maçaneta mesmo, deu certo! Girei a chave trancando e para minha completa alegria ela trancou (as portas do meu sonho nunca trancavam), mas fiquei muito feliz e esqueci de mentalizar o que queria ver atrás da porta assim ao abri-la vi apenas uma sala com coisas empoeiradas, encostei a porta e fui tentar em outra, no que fui usar a chave pendurada a porta parecia ter vontade própria, foi só eu pegar na maçaneta que a porta ficou tentando abrir sozinha, fiquei segurando a porta e vi nas frestas uma luz muito intensa, larguei a porta e fui testar outra sem olhar para trás (tinha certeza que se abrisse a porta iria acordar), o porém é que todas as porta se abriram, mas pelo menos atrás das portas tinha o que estava mentalizando; pessoas, o corredor estava muito deserto e eu pretendia interagir com os personagens do meu sonho, mas acabei perdendo a lucidez momentaneamente ao entrar numa sala de reuniões, pois não queria atrapalhar, mas os assuntos eram chatos e sem importância e fiquei entediada, me lembrei que era meu sonho e que não tinha problema atrapalhar a reunião, então voei para fora do hospital, no que olhei para as pessoas admiradas um rosto me chamou a atenção era o meu, voltei para a sala, mas não me achei e sai do hospital de novo, não curti a cor do céu e mudei o azul apagado, pois alguém da plateia reclamou do céu estar tão feio os deixei com um céu estrelado e recebi uma salva de palmas queria cavalgar e fui para um lugar onde avistei uns cavalos bonitos, quando fui escolher o meu apareceu um cavalo com as patas invisíveis e curti, quando estava saindo do sítio onde eles estavam um cavalo quis nos atacar, mas passei pela porta e a fechei com a força do pensamento, perdi a lucidez.
Consegui fazer

Estava assistindo uma TV nesse outro sonho, onde os personagens saíram da tela, ficou óbvio que era um sonho, lembrei do grande corredor, como eu estava assistindo TV na rua fui em direção a uma mansão para achar uma porta, no que estava indo vi duas crianças brincando e resolvi perguntar onde estava a porta que ia para o grande corredor, a menina respondeu que não sabia, mas o menino apontou uma porta bem velha, me aproximei e vi que ela estava com a madeira bem velha caindo os pedaços de podre, mas como tinha trinco não liguei, peguei minha chave totem que estava pendurada no pescoço, coloquei na fechadura e mentalizei o grande corredor de portas, quando abri já estava no corredor ele seria perfeitamente igual ao do filme não fosse as maçanetas, eu queria tentar ter um sonho compartilhado com meu irmão e desejei ter uma casa com telefone atrás da porta, quando abri a porta de grande corredor encontrei a casa, tudo ficou bem vívido escutei o barulho dos passarinhos pela janela, procurei o telefone e ao achar disse para meu irmão que estava ligando de um telefone azul antigo, que era um sonho e que ao acordar ele deveria falar para mim que teve esse sonho de receber uma ligação minha.
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Seg Abr 10, 2017 11:20 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
23/08/2016

Acordei e voltei a dormir, sonhei com um gato tentando morder minha perna e chutei ele tanto com meu pé onírico quanto com o físico acordei de novo.

Ao voltar a dormir o sonho começou comigo na minha cama, minha mãe estava deitada comigo na cama, então logo saquei que estava sonhando, ia fazer RC de puxar o dedo mesmo assim, mas minha mãe onírica me impediu segurando minhas mãos, perguntei o motivo dela estar me atrapalhando, entendi que era pq ela não queria sair do sonho e disse para não se preocupasse que só iria fazer o RC, mas acabei fechando meus olhos e indo para outro cenário, fui para uma casa de madeira que me lembrou de cidade do interior, ainda estava lúcida, mas perdi um pouco controle do sonho e uma amiga minha ia ser atacada por um urso, fiz ela se transformar em um urso filhote o urso parou de querer atacar, a colocou em um berço e ficou jogando talco freneticamente nela e em tudo que via, perdi a lucidez.

29/09/2016

Estava andando na rua e fiquei lúcida, muitas pessoas estavam indo para um lugar, fui ver e era para o cemitério, parei um homem que estava indo para lá e perguntei o motivo de estar sonhando com aquilo ele disse: Você precisa pensar sobre isso! Eu disse: Sobre morte? Ele respondeu: Não, sobre o rugido do leão, que estremece! Ele foi para o cemitério e eu preferi não seguir, vi uma mulher morena toda maquiada bem bonita, dai falei: Se descreva para mim por favor, ela disse: Sou descuidada com minha aparência, não ligo para moda... Nisso estava percebendo que ela estava falando de mim, dai ela disse: Sou meio chata, dai fiz uma cara de surpresa, então ela disse: Estou brincando! e riu.


Última edição por Veivi em Seg Abr 10, 2017 11:51 am, editado 1 vez(es)
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Seg Abr 10, 2017 11:43 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
17/12/2016

Estava na praia e do nada apareceu uma onda gigante, meu primeiro intuito foi fugir, mas me lembrei da técnica do totem escudo e fiz a cúpula de energia para cima, depois tive um controle bem grande do sonho, mexi com as águas igual do filme "Percy Jackson e o ladrão de raios" , surfei com uma prancha invisível e transformei a água em chocolate, mas nisso fui parar em outro cenário onde as primeiras imagens foram de um copo cheio de achocolatado, antes disso descobri que o motivo do pesadelo era pq estava preocupada com um familiar, pois foi ele que apareceu depois de jogar a cúpula.
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Qui Abr 13, 2017 10:55 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
19/12/2016

Sonhei que estava em uma cidade deserta fui andando e quando dobrei a rua vi uma enchente vindo em minha direção, olhei para todos os lados e estava cercada de água que iam desembocar em mim, lembrei da técnica do totem escudo e dessa vez imaginei que meu totem era um anel (tipo do lanterna verde) e formei uma esfera que me protegeu das águas, nisso saí voando na esfera conforme fui andando na cidade se passou na minha frente várias situações problema que ocorreram na minha vida e que ainda não trabalhei corretamente.
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Qui Abr 13, 2017 10:58 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
24/12/2016

Sonhei que estava na casa das minhas tias e vi uma menina loira que me seguia, no que eu ia andando me encolhia e chegou uma hora que fiquei travada, nisso fui usar a técnica do totem escudo e acabei acordando já que o motivo do sonho era a posição completamente errada e desconfortável que eu estava.
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Qui Abr 13, 2017 10:59 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
14/01/2017

Estava indo para uma praça, correndo de um furacão com duas amigas, achei uns galhos no chão e dei para minhas amigas usarem como vassoura deve bruxa, elas saíram voando, uma delas tinha deixado algo na praça que devia recuperar, ia atrás delas, mas o chão me engoliu e fiquei me segurando nas bordas, um bombeiro me resgatou, nisso quando dei uma olhada para onde  praça estava, vi que ela estava coberta de nuvens que soltavam raios junto com uma tempestade de areia, quando estava indo para lá o bombeiro quis impedir, mas eu disse que assim como ele me ajudou eu deveria socorrer minhas amigas, fui correndo para a praça, mas nisso desconfiei da realidade e fiquei lúcida, então usei imediatamente a técnica o totem escudo e fiz a cúpula passar por todo o cenário para ficar limpo, encontrei minhas amigas na praça agindo como se nada tivesse ocorrido ainda me perguntaram o motivo de ter demorado tanto, elas ainda estavam procurando a tal coisa e eu percebi que seria o motivo do pesadelo, dito e feito: no lixo estava uma mochila com coisas que foram motivo de preocupação essa semana no que toquei na mochila eu tive um falso despertar e acordei em uma cama completamente diferente a minha, mesmo tendo perdido lucidez estava me sentindo diferente, como quem tem uma compreensão mais ampla da realidade.
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Sab Abr 15, 2017 9:40 am
24/01/2017

Sonhei que uma ex professora de educação física me ensinava a cuidar de leões, inclusive a dar comida na boca deles, eu ficava perto, mas sempre desconfiada, a professora saiu por um momento e os leões se aproximaram de mim ameaçadoramente, uma leoa mordeu minha mão e não queria soltar, chamei a professora, que veio rapidamente muito admirada da atitude do animal e tirou minha mão da boca do bicho, subi em um lugar bem alto e os felinos se posicionaram para pular, ainda inconsciente joguei com as mãos jatos de fogo nos animais, nisso o qual improvável era disso ocorrer e fiquei lúcida, lembrei da sugestão o Tabarisco e usei um cobertor de totem, joguei em cima dos felinos e quando tirei o vi que eles tinham se transformado em bichinhos minúsculos de olhos esbugalhados que tremiam percebi que eles representavam o medo, mas resolvi perguntar mesmo assim:
- Qual o motivo de vocês estarem aqui?
- Falta de confiança! - Um deles respondeu com uma voz sofrida e sufocante.
Acontece que estou com um projeto novo, mas com um pouco de medo de não dar certo.
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Sab Abr 15, 2017 9:43 am
11/02/2017

Estava andando na rua e me toquei que se tratava de um sonho, mas estava tudo escuro, testei dizer meu nome e idade igual a Königin, mas no meu caso não funcionou, então fui usar minha técnica para fazer o que tinha combinado com o Tabarisco (que era tentar voar de uma forma inédita) falei quero voar de uma forma nunca vista e soltei esfera, me senti muito esquisita, ocorreu um brilho bemmmm forte e eu era o brilho que flutuava, mas tbm me senti como eu sendo tudo, as árvores (que eram parecidas com essas coloridas da minha foto de perfil), o chão, o céu, não tinham pessoas onde eu estava, mas foi uma sensação estranha, como se eu fosse tudo que os meus feixes de luz tocavam, eu não consigo ler todos os relatos aqui do fórum ( li bem poucos infelizmente) mas como os poucos relatos que li foram incríveis e super criativos imagino que alguém já deva ter voado assim, mas foi inédito para mim!
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Sab Abr 15, 2017 9:46 am
14/02/2017

Passei esse dia com uma dor nas costas bem incômoda, fui tirar um cochilo de tarde e tive um sonho lúcido nele eu estava em uma cidade onírica já conhecida, fui em um salão de festas e comi uns brigadeiros e uns salgados até gostosos, esse salão era grande e eu dei várias cambalhotas e fiz uns exercícios para minha dor nas costas passar, tive um falso despertar e nele ainda estava lúcida, então fui contorcer minhas costas para ter certeza que não estava doendo, mas meu corpo ficou parado e mesmo assim era como se só minha "alma" se mexesse, nesse falso despertar eu estava de barriga para cima, mas tinha ido dormir de barriga para baixo, então posicionei minha "alma" para ficar de barriga para baixo, não me senti confortável assim e voltei para a posição anterior, quando acordei notei que estava na verdade de barriga para cima, aliás esse é um fato curioso, já que só consigo pegar no sono de barriga para baixo, mas quando estou as últimas horas de sono eu viro de barriga para cima.
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Sab Abr 15, 2017 12:21 pm
Esse desafio não colocarei data, pois acreditei que o problema da demora em concluí-lo foi a pressão do prazo, eu estava correta, quando esqueci dos prazos e fiquei relaxada obtive sucesso!

Desafio lúcido: descobrir o meu patrono

01
Sonhei que estava em um retiro e na sala onde estava umas coisas começaram a se mexer sozinhas, achei estranho mas continuei conversando com um amigo onírico como se nada tivesse acontecendo, mas as coisas se mexeram de novo e esse meu amigo ficou apavorado, disse que era coisa do capeta, saímos da sala e fomos falar com os pastores que pareciam tranquilos, acordei, mas fiquei bem parada e voltei para o mesmo sonho consciente, entrei no sonho deitada e com os olhos fechados, ao abrir meus olhos vi que estava na mesma sala das aparições, mas como aquilo não me afetou em nada fui logo fazer o desafio lúcido que eu me foz de descobrir qual era o eu patrono, sai da casa e ia voltar para procurar uma varinha em alguma gaveta, mas minha amiga já estava com uma sacola de varinhas distribuindo para quem quisesse, eu escolhi uma de cor marrom escura e com alguns relevos, fui para o meio da rua e gritei: " Expectro Patronum" e saiu uma luz dourada da ponta a varinha, parei e tentei de novo, pois tinha de ser uma luz prateada, nessa segunda tentativa a luz prateada quase se formou em algo, vi as patas, mas estava posicionado de frente a mim e achei estranho, já que os patronos ficam em uma posição de proteção não de ataque,  nisso perdi a lucidez.

02
Nesse dia sonhei que estava em uma mansão e pelo que entendi era da minha família pq estávamos recebendo visitas, depois íamos fazer um culto lá mesmo, os irmão se arrumavam por lá, eu fui me arrumar, mas estava difícil ter privacidade, enquanto olhava para que roupa ia usar achei uma varinha em cima da cômoda e lembrei do meu desafio e de ficar lúcida, não queria perder tempo, já que estava reparando que meu sonho não estava estável fiz a manutenção e enquanto ia saindo da mansão vi várias varinhas, fui testando cada uma e enfim achei uma que fez um brilho bem pequeno quando peguei, quando eu ia passar por um beco vi uma mistura de lobo com ovelha, eles acordaram e vieram me atacar, entrei em um barraco e fechei a porta, eles estavam quase a quebrando quando lancei um petrifico totalus neles e sai por outra porta até o beco que eles estavam dormindo, ao passar caí em vários cenários e fui parar em um com a lua cheia, tentei fazer o patrono, mas estava ficando cada vez mais nublado e escuro então quis fazer ficar mais claro com lumus máxima, não funcionou, cantei chamando o sol e fiz mais manutenção do sonho, a imagem ficou melhor e falei expectro patronum, saiu da varinha uma luz bem forte azul prateada, só que nessa hora eu mordi minha boca e acordei com uma baita mordida que me dei na parte de dentro do lábio :s

03
Estava em um local desconhecido, a capa dos meus dentes do lado direito estavam saindo e era bem doloroso.
Estava cuidando de uma loja, minha vó chegou e cometeu uma injustiça, eu reclamei e mesmo assim continuou fazendo isso, então falei que ela não precisava mais falar comigo, assim que saí tive vontade de voltar, mas queria que ela entendesse que estava errada e continuei andando, as ruas era desconhecidas, eu estava chateada por ter brigado com ela, nisso pensei não tem problema isso é um sonho então só briguei com a representação onírica dela, fiquei feliz, apareceu um menino sem blusa e que ficou perguntando para onde eu ia e estava me incomodando, resolvi ignora-lo e ele ficou para trás lembrei do desafio e no que vi galhos no chão peguei um quebrei para ficar do tamanho certo e no que ia dizer expectro patronum o menino que agora era um homem veio me incomodar de novo, lancei um feitiço nele que o fez voar para trás, não perdi tempo e disse as palavras mágicas ouvi o relinchar de um cavalo, mas em vez de sair da varinha ele apareceu na esquina e era como um cavalo normal sua cor era marrom escuro e ele estava correndo violentamente para a minha direção, dei espaço para ele passar e foi embora, tentei de novo, mas dessa vez apareceu um cavalo brando na mesma esquina e foi embora igual, nisso eu fui me deitando de costas no chão, dobrei minhas pernas e acordei na mesma posição, com as pernas dobradas e tudo, não tentei voltar para o sonho pq já estava na hora de acordar.

04
Estava com umas amigas indo para a praia, mas tinha uma barracas impedindo a passagem, mesmo assim elas passaram por baixo sem muita dificuldade, mas eu não consegui e foi uma trabalheira me tirar debaixo das madeiras da barraca, ao consegui fui para praia procurá-las, não achei, a única coisa que vi foi uma onda enorme se formando no mar ia correr, mas lembrei que não precisava ter medo, nem fiz a técnica pq já sabia o motivo do sonho, e usei a onda em meu favor, eu me deparei com um muro enorme então como se fosse uma massa sólida eu usei a onda para passar pelo muro, fui andando e imaginando que queria achar um lugar para comprar minha varinha da maneira certa, no que andava vi algumas lojas diferentes, elas não se pareciam muito com as lojas do beco diagonal, eram retas as fachadas tinham cores vibrantes, mas eram coladas umas nas outras, fui lendo as fachadas para ver qual era a que vendia varinhas, a primeira que vi era rosa e consegui ler perfeitamente: em letras grandes “pura beleza”, fui segundo e enfim vi a foto de uma mulher ruiva com um cabelão armado com uma varinha na mão chamando para as pessoas entrarem, não pensei duas vezes, entrei, só que lá dentro estava um homem com cara de poucos amigos, parecia confuso, eu disse que queria comprar minha primeira varinha e queria que ela me escolhesse, a sua expressão confusa mudou e ele foi em direção a uma caixa cheia de varinhas, pegou uma esbranquiçada e molenga, parecia de borracha, eu fui usá-la, mas só saiu um brilho fraco da ponta e eu disse que não era essa, ele pegou outra, essa também era mole, mas tinha o desenho de uma cobra se enrolando por toda varinha, nem funcionou e eu incrédula de que aquilo era uma varinha perguntei de que árvore foi feita, dava para ver que ele não fazia ideia, em vez de responder ele foi pegar outra, eu disse que dessa vez eu queria escolher, ele tomou um susto e me proibiu terminantemente, eu disse que ia procurar outro loja e nisso o suposto vendedor pareceu muito contente e satisfeito disse que era melhor, o sonho acabou ai, mas acho que ele devia ser um ladrão e não queria que eu visse a dona da loja rendida, as vezes parecia que ele estava falando com alguém invisível e chamava de parceiro.

05
Estava sonhando que era uma universitária japonesa e ficava mentindo e prometendo que ia fazer os trabalhos dos outros, o pessoal vinha me gritar, mas eu fiz uma maquiagem estranha na minha cara para parecer pereba ficou muito feio, daí as pessoas vinham me engolir e acabavam com medo das perebas, caminhando contente por me livrar dos incômodos eu fiquei raciocinando que na realidade eu sempre fui uma acadêmica responsável e jamais daria minha palavra sem cumprir, fiquei lúcida, ainda estava tentando lembrar o que pretendia fazer e nisso continuava andando para ver se me lembrava, mas acabei acordando.
Ao voltar a dormir já me levantei da cama onírica sabendo que era um sonho sem ter feito nenhuma técnica indireta, mas o cenário estava bem instável e acatei as recomendações do autor fui tocar e olhar as coisas atentamente, funcionou! O sonho ficou estável, estava em uma casa que morei no Paraná, ao abrir a porta estava tão escuro lá fora que eu tentei chamar o sol, só que dessa vez ele não veio, então tive uma ideia, já que o sonho costuma funcionar por controle de voz e quando eu estou animada também consigo fazer a noite virar dia eu resolvi cantar uma música que gosto e que tinha a ver com o que eu queria fazer:
Jesus Cristo mudou meu viver!
Jesus Cristo mudou meu viver!
É a luz que ilumina meu ser
Sim, Jesus Cristo mudou....
Meu viver!
Foi uma coisa realmente linda de se ver! As densas trevas se tornaram em luz, as nuvens escuras viraram belas nuvens douradas como no pôr-do-sol, quando estava me dirigindo para o quintal meu irmão quis me acompanhar, eu disse que tínhamos de achar uma loja de varinhas, ele ficou bem animado, quando dobrei a esquina vi uma cidade que parecia muito com a que vi na última vez que entrei em uma loja de varinhas no meu sonho, eram casas com cores vibrantes e com algo de mágico no ar, vi um sofá velho jogado em um canto da rua com outras quinquilharias e tive certeza de que ali era uma loja mágica disfarçada, eu estava certa (meu sonho, minhas regras), mas era um bar ou algo assim, fui falar com o balconista que logo tentou me vender umas estátuas minúsculas que segundo ele era de magos famosos, nem dei muita atenção, mas resolvi perguntar se ele tinha uma do Dumbledore só para ver a resposta, ele fez uma cara como que desconhecendo de quem se tratava e me ofereceu a de um mago chamado Akira, eu pensei que esse era um nome feminino e perguntei como se escrevia o balconista escreveu num papel o sobrenome dele (de certo imaginava que o nome eu estava careca de saber) escreveu Crisostemo e como viu que eu não sabia de quem se tratava escreveu Akira e repetiu o nome completo, deve ter pensado que eu era analfabeta pq tive um pouco de dificuldade em ler os nomes, mas até que li bem em um sonho, meu irmão perguntou pela escola de magia e o homem olhou descrente por não sabermos e disse:
-Há tempos não existe nenhuma escola de magia no Brasil, as famílias ensinam por conta aos pequenos.
Resolvi sair dali, estava chateada com o meu subconsciente pessimista, no que saía ouve uma confusão no bar e uma índia que ficou machucada pediu minha ajuda eu a segurei no ombro junto com meu irmão ( fiquei pensando que meu subconsciente estava tentando me enrolar para eu me envolver com a estória do sonho e perder a lucidez) mesmo assim eu não podia deixá-la machucada para trás, foi quando a indígena disse:
- Ainda existe uma escola de magia no Brasil sim, eu ouvi o que conversavam, se me ajudarem eu os levo até lá.
Eu fiquei contente pq lá poderia conseguir comprar uma varinha para fazer um patronum, mas no caminho os becos ficaram muito estreitos, tinha uns cachorros que impediam o caminha, mas eu estava decidida iria achar uma varinha e fazer o desafio, pulei os cachorros, no que olhei para trás a índia e meu irmão ainda estavam parados e nisso outro cachorro bem maior apareceu e eu tive que voltar para junto deles, acabei acordando.

Consegui:

06
Acordei de madrugada, estava bem desperta então pensei em não voltar a dormir e adiantar algumas coisas do trampo, mas por ser muito cedo desisti, voltei a dormir e sonhei com uma escola, era como se estivesse assistindo um filme e o personagem principal narrando, acordei, levantei da cama fui para o sofá e minha família estava assistindo tv, do nada a gaveta do móvel se abriu sozinha e não tinha nada dentro eu fiquei perplexa pq aquele cenário todo era igual a minha casa, mas fiz o RC de puxar o dedo e ele esticou como se fosse de borracha, exclamei: É um sonho!
Nisso acordei de novo, só que no sofá, achei estranho e fui checar a realidade de novo, dedo esticou e tive certeza que era um sonho, agora lúcida fui olhar para minha mão estava inconformada que a mão de quase todo mundo fica com a aparência estranha e a minha fica aparentemente perfeitamente normal, olhei para ela e nada estava intacta sacudi para ver se apareciam mais dedos e nada, fiquei vesga e acabei tendo outro falso despertar no sofá.
Abri os olhos já pensando que podia ser um sonho, mais uma vez a realidade estava idêntica a da minha casa, mas resolvi mesmo assim ir no meu quarto e pegar a varinha que tenho na vigília, meu quarto estava completamente diferente do normal era enorme e tinha três camas e casal enfileiradas uma encostada na outra (subconsciente folgado queria três camas gigantes só para ele) vi um fio de cabelo cair lentamente na minha frente ao cair no tecido pensei que seria legal usar minha visão microscópica (na última vez que usei num sonho normal achei a visão muito engraçada) me aproximei fiz um zoom na imagem que ficou super próxima, mas quis ver dentro e no que fiz um zoom ainda maior tive outro falso despertar.
Dessa vez acordei no meu quarto, puxei meu dedo só para não perder a costume, esticou, procurei a varinha e vi um espelho, faz tempo que não me olho num espelho onírico, pensei e fui me ver, meu rosto ficava mudando e resolvi que já estava na hora de fazer o desafio, nisso minha varinha já estava na minha mão, mas no que passei na porta tive outro falso despertar.
Fiquei sem paciência e já levantei da cama no pulo procurando a varinha a avistei longe a sala estava cheia de pessoas, mas não me constrangi, para não perder tempo estendi minha mão na direção dela e a chamei ela veio voando como se fosse uma vassoura, no que a segurei disse: expectro patronum!
Um fio de luz saiu da varinha e dele saiu um potrinho muito simpático e saltitante, fiquei surpresa (esperava um cavalo adulto pelas minhas tentativas anteriores) mas me admirei ainda mais com o efeito que ele nos causou ao passar por todos: viramos desenho, foi muito estranho, mas logo era como se eu estivesse vendo tudo isso por uma telinha e já estava em outro cenário, fiquei triste de que não demorou o patrono e fui atrás da varinha de novo, dessa vez foi difícil achar, peguei uma vassoura e voei para ir trás de algum lugar mágico, achei uma família que se parecia com as descrições de bruxos e me aproximei, perguntei onde estávamos e ela disse que em Londres ( mas tinha praia!) perguntei da escola de magia ela disse que não tinha mais, perguntei das lojas de varinhas ela disse que não se achava uma, a dela mesmo foi trazida de longe pela mãe, perguntei se não podia encomendar uma para mim a mesma disse que sim, mas que era difícil, ficou me abraçando e me deu filhotinhos de galinha vivos para comer, eles eram fofinhos e estavam caramelizados fiquei horrorizada e acordei.
avatar
Mensagens : 138
Pontos : 710
Honra : 59
Data de inscrição : 10/07/2016
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Qui Jun 15, 2017 9:58 am
06/03/2017

Sonhei que estava estudando com pessoas que não lembro de conhecer em um colégio que lembra
um pouco um que o estudei, as pessoas se transformaram em vampiros e vieram me atacar, mas saí correndo pela rua na perseguição eu percebi que era
um sonho, me virei com tudo e joguei esfera azul da técnica do totem escudo e eles sumiram [...]
tentei lembrar do que pretendia fazer mas não consegui, em vez disso fui me trocar não sei
porque mas usei um vestido, ele ia até o joelho tirei o pijama que estava usando (provavelmente senti meu pijama físico e o levei para o mundo onírico), mas ele
ficava voltando, então peguei na ponta do vestido e aumentei ele para cobrir a calça do
pijama tentei mais uma vez lembrar o que tinha proposto para este sonho nisso um
cachorrinho apareceu na minha frente e eu tive uma memória falsa, pois acreditei que o que
pretendia fazer era ler a mente e conversar com um animal, aproveitei e perguntei para o
cachorro qual era seu nome ele disse:
-Meu nome é Duque- eu li a mente dele e ele estava pensando "vou seguir aquele homem
quero que seja meu dono" acredito que o cachorro
pensou isso, pois esses dias eu vi uma mulher abandonando um cachorro na televisão e fiquei
muito revoltada o sonho continuou eu fui andando na rua e vi de longe como que a imagem de uma mulher
falando alguma coisa ao aproximar percebi que na verdade era uma cadelinha em cima de
uns caixotes, ela podia falar, acordei. Em todo momento eu sabia que era um sonho, mas não lembrava o que pretendia fazer.
Convidado
Convidado

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

em Qui Jun 15, 2017 1:11 pm
Veivi escreveu:Esse desafio não colocarei data, pois acreditei que o problema da demora em concluí-lo foi a pressão do prazo, eu estava correta, quando esqueci dos prazos e fiquei relaxada obtive sucesso!

Desafio lúcido: descobrir o meu patrono

01
Sonhei que estava em um retiro e na sala onde estava umas coisas começaram a se mexer sozinhas, achei estranho mas continuei conversando com um amigo onírico como se nada tivesse acontecendo, mas as coisas se mexeram de novo e esse meu amigo ficou apavorado, disse que era coisa do capeta, saímos da sala e fomos falar com os pastores que pareciam tranquilos, acordei, mas fiquei bem parada e voltei para o mesmo sonho consciente, entrei no sonho deitada e com os olhos fechados, ao abrir meus olhos vi que estava na mesma sala das aparições, mas como aquilo não me afetou em nada fui logo fazer o desafio lúcido que eu me foz de descobrir qual era o eu patrono, sai da casa e ia voltar para procurar uma varinha em alguma gaveta, mas minha amiga já estava com uma sacola de varinhas distribuindo para quem quisesse, eu escolhi uma de cor marrom escura e com alguns relevos, fui para o meio da rua e gritei: " Expectro Patronum" e saiu uma luz dourada da ponta a varinha, parei e tentei de novo, pois tinha de ser uma luz prateada, nessa segunda tentativa a luz prateada quase se formou em algo, vi as patas, mas estava posicionado de frente a mim e achei estranho, já que os patronos ficam em uma posição de proteção não de ataque,  nisso perdi a lucidez.

02
Nesse dia sonhei que estava em uma mansão e pelo que entendi era da minha família pq estávamos recebendo visitas, depois íamos fazer um culto lá mesmo, os irmão se arrumavam por lá, eu fui me arrumar, mas estava difícil ter privacidade, enquanto olhava para que roupa ia usar achei uma varinha em cima da cômoda e lembrei do meu desafio e de ficar lúcida, não queria perder tempo, já que estava reparando que meu sonho não estava estável fiz a manutenção e enquanto ia saindo da mansão vi várias varinhas, fui testando cada uma e enfim achei uma que fez um brilho bem pequeno quando peguei, quando eu ia passar por um beco vi uma mistura de lobo com ovelha, eles acordaram e vieram me atacar, entrei em um barraco e fechei a porta, eles estavam quase a quebrando quando lancei um petrifico totalus neles e sai por outra porta até o beco que eles estavam dormindo, ao passar caí em vários cenários e fui parar em um com a lua cheia, tentei fazer o patrono, mas estava ficando cada vez mais nublado e escuro então quis fazer ficar mais claro com lumus máxima, não funcionou, cantei chamando o sol e fiz mais manutenção do sonho, a imagem ficou melhor e falei expectro patronum, saiu da varinha uma luz bem forte azul prateada, só que nessa hora eu mordi minha boca e acordei com uma baita mordida que me dei na parte de dentro do lábio :s

03
Estava em um local desconhecido, a capa dos meus dentes do lado direito estavam saindo e era bem doloroso.
Estava cuidando de uma loja, minha vó chegou e cometeu uma injustiça, eu reclamei e mesmo assim continuou fazendo isso, então falei que ela não precisava mais falar comigo, assim que saí tive vontade de voltar, mas queria que ela entendesse que estava errada e continuei andando, as ruas era desconhecidas, eu estava chateada por ter brigado com ela, nisso pensei não tem problema isso é um sonho então só briguei com a representação onírica dela, fiquei feliz, apareceu um menino sem blusa e que ficou perguntando para onde eu ia e estava me incomodando, resolvi ignora-lo e ele ficou para trás lembrei do desafio e no que vi galhos no chão peguei um quebrei para ficar do tamanho certo e no que ia dizer expectro patronum o menino que agora era um homem veio me incomodar de novo, lancei um feitiço nele que o fez voar para trás, não perdi tempo e disse as palavras mágicas ouvi o relinchar de um cavalo, mas em vez de sair da varinha ele apareceu na esquina e era como um cavalo normal sua cor era marrom escuro e ele estava correndo violentamente para a minha direção, dei espaço para ele passar e foi embora, tentei de novo, mas dessa vez apareceu um cavalo brando na mesma esquina e foi embora igual, nisso eu fui me deitando de costas no chão, dobrei minhas pernas e acordei na mesma posição, com as pernas dobradas e tudo, não tentei voltar para o sonho pq já estava na hora de acordar.

04
Estava com umas amigas indo para a praia, mas tinha uma barracas impedindo a passagem, mesmo assim elas passaram por baixo sem muita dificuldade, mas eu não consegui e foi uma trabalheira me tirar debaixo das madeiras da barraca, ao consegui fui para praia procurá-las, não achei, a única coisa que vi foi uma onda enorme se formando no mar ia correr, mas lembrei que não precisava ter medo, nem fiz a técnica pq já sabia o motivo do sonho, e usei a onda em meu favor, eu me deparei com um muro enorme então como se fosse uma massa sólida eu usei a onda para passar pelo muro, fui andando e imaginando que queria achar um lugar para comprar minha varinha da maneira certa, no que andava vi algumas lojas diferentes, elas não se pareciam muito com as lojas do beco diagonal, eram retas as fachadas tinham cores vibrantes, mas eram coladas umas nas outras, fui lendo as fachadas para ver qual era a que vendia varinhas, a primeira que vi era rosa e consegui ler perfeitamente: em letras grandes “pura beleza”, fui segundo e enfim vi a foto de uma mulher ruiva com um cabelão armado com uma varinha na mão chamando para as pessoas entrarem, não pensei duas vezes, entrei, só que lá dentro estava um homem com cara de poucos amigos, parecia confuso, eu disse que queria comprar minha primeira varinha e queria que ela me escolhesse, a sua expressão confusa mudou e ele foi em direção a uma caixa cheia de varinhas, pegou uma esbranquiçada e molenga, parecia de borracha, eu fui usá-la, mas só saiu um brilho fraco da ponta e eu disse que não era essa, ele pegou outra, essa também era mole, mas tinha o desenho de uma cobra se enrolando por toda varinha, nem funcionou e eu incrédula de que aquilo era uma varinha perguntei de que árvore foi feita, dava para ver que ele não fazia ideia, em vez de responder ele foi pegar outra, eu disse que dessa vez eu queria escolher, ele tomou um susto e me proibiu terminantemente, eu disse que ia procurar outro loja e nisso o suposto vendedor pareceu muito contente e satisfeito disse que era melhor, o sonho acabou ai, mas acho que ele devia ser um ladrão e não queria que eu visse a dona da loja rendida, as vezes parecia que ele estava falando com alguém invisível e chamava de parceiro.

05
Estava sonhando que era uma universitária japonesa e ficava mentindo e prometendo que ia fazer os trabalhos dos outros, o pessoal vinha me gritar, mas eu fiz uma maquiagem estranha na minha cara para parecer pereba ficou muito feio, daí as pessoas vinham me engolir e acabavam com medo das perebas, caminhando contente por me livrar dos incômodos eu fiquei raciocinando que na realidade eu sempre fui uma acadêmica responsável e jamais daria minha palavra sem cumprir, fiquei lúcida, ainda estava tentando lembrar o que pretendia fazer e nisso continuava andando para ver se me lembrava, mas acabei acordando.
Ao voltar a dormir já me levantei da cama onírica sabendo que era um sonho sem ter feito nenhuma técnica indireta, mas o cenário estava bem instável e acatei as recomendações do autor fui tocar e olhar as coisas atentamente, funcionou! O sonho ficou estável, estava em uma casa que morei no Paraná, ao abrir a porta estava tão escuro lá fora que eu tentei chamar o sol, só que dessa vez ele não veio, então tive uma ideia, já que o sonho costuma funcionar por controle de voz e quando eu estou animada também consigo fazer a noite virar dia eu resolvi cantar uma música que gosto e que tinha a ver com o que eu queria fazer:
Jesus Cristo mudou meu viver!
Jesus Cristo mudou meu viver!
É a luz que ilumina meu ser
Sim, Jesus Cristo mudou....
Meu viver!
Foi uma coisa realmente linda de se ver! As densas trevas se tornaram em luz, as nuvens escuras viraram belas nuvens douradas como no pôr-do-sol, quando estava me dirigindo para o quintal meu irmão quis me acompanhar, eu disse que tínhamos de achar uma loja de varinhas, ele ficou bem animado, quando dobrei a esquina vi uma cidade que parecia muito com a que vi na última vez que entrei em uma loja de varinhas no meu sonho, eram casas com cores vibrantes e com algo de mágico no ar, vi um sofá velho jogado em um canto da rua com outras quinquilharias e tive certeza de que ali era uma loja mágica disfarçada, eu estava certa (meu sonho, minhas regras), mas era um bar ou algo assim, fui falar com o balconista que logo tentou me vender umas estátuas minúsculas que segundo ele era de magos famosos, nem dei muita atenção, mas resolvi perguntar se ele tinha uma do Dumbledore só para ver a resposta, ele fez uma cara como que desconhecendo de quem se tratava e me ofereceu a de um mago chamado Akira, eu pensei que esse era um nome feminino e perguntei como se escrevia o balconista escreveu num papel o sobrenome dele (de certo imaginava que o nome eu estava careca de saber) escreveu Crisostemo e como viu que eu não sabia de quem se tratava escreveu Akira e repetiu o nome completo, deve ter pensado que eu era analfabeta pq tive um pouco de dificuldade em ler os nomes, mas até que li bem em um sonho, meu irmão perguntou pela escola de magia e o homem olhou descrente por não sabermos e disse:
-Há tempos não existe nenhuma escola de magia no Brasil, as famílias ensinam por conta aos pequenos.
Resolvi sair dali, estava chateada com o meu subconsciente pessimista, no que saía ouve uma confusão no bar e uma índia que ficou machucada pediu minha ajuda eu a segurei no ombro junto com meu irmão ( fiquei pensando que meu subconsciente estava tentando me enrolar para eu me envolver com a estória do sonho e perder a lucidez) mesmo assim eu não podia deixá-la machucada para trás, foi quando a indígena disse:
- Ainda existe uma escola de magia no Brasil sim, eu ouvi o que conversavam, se me ajudarem eu os levo até lá.
Eu fiquei contente pq lá poderia conseguir comprar uma varinha para fazer um patronum, mas no caminho os becos ficaram muito estreitos, tinha uns cachorros que impediam o caminha, mas eu estava decidida iria achar uma varinha e fazer o desafio, pulei os cachorros, no que olhei para trás a índia e meu irmão ainda estavam parados e nisso outro cachorro bem maior apareceu e eu tive que voltar para junto deles, acabei acordando.

Consegui:

06
Acordei de madrugada, estava bem desperta então pensei em não voltar a dormir e adiantar algumas coisas do trampo, mas por ser muito cedo desisti, voltei a dormir e sonhei com uma escola, era como se estivesse assistindo um filme e o personagem principal narrando, acordei, levantei da cama fui para o sofá e minha família estava assistindo tv, do nada a gaveta do móvel se abriu sozinha e não tinha nada dentro eu fiquei perplexa pq aquele cenário todo era igual a minha casa, mas fiz o RC de puxar o dedo e ele esticou como se fosse de borracha, exclamei: É um sonho!
Nisso acordei de novo, só que no sofá, achei estranho e fui checar a realidade de novo, dedo esticou e tive certeza que era um sonho, agora lúcida fui olhar para minha mão estava inconformada que a mão de quase todo mundo fica com a aparência estranha e a minha fica aparentemente perfeitamente normal, olhei para ela e nada estava intacta sacudi para ver se apareciam mais dedos e nada, fiquei vesga e acabei tendo outro falso despertar no sofá.
Abri os olhos já pensando que podia ser um sonho, mais uma vez a realidade estava idêntica a da minha casa, mas resolvi mesmo assim ir no meu quarto e pegar a varinha que tenho na vigília, meu quarto estava completamente diferente do normal era enorme e tinha três camas e casal enfileiradas uma encostada na outra (subconsciente folgado queria três camas gigantes só para ele) vi um fio de cabelo cair lentamente na minha frente ao cair no tecido pensei que seria legal usar minha visão microscópica (na última vez que usei num sonho normal achei a visão muito engraçada) me aproximei fiz um zoom na imagem que ficou super próxima, mas quis ver dentro e no que fiz um zoom ainda maior tive outro falso despertar.
Dessa vez acordei no meu quarto, puxei meu dedo só para não perder a costume, esticou, procurei a varinha e vi um espelho, faz tempo que não me olho num espelho onírico, pensei e fui me ver, meu rosto ficava mudando e resolvi que já estava na hora de fazer o desafio, nisso minha varinha já estava na minha mão, mas no que passei na porta tive outro falso despertar.
Fiquei sem paciência e já levantei da cama no pulo procurando a varinha a avistei longe a sala estava cheia de pessoas, mas não me constrangi, para não perder tempo estendi minha mão na direção dela e a chamei ela veio voando como se fosse uma vassoura, no que a segurei disse: expectro patronum!
Um fio de luz saiu da varinha e dele saiu um potrinho muito simpático e saltitante, fiquei surpresa (esperava um cavalo adulto pelas minhas tentativas anteriores) mas me admirei ainda mais com o efeito que ele nos causou ao passar por todos: viramos desenho, foi muito estranho, mas logo era como se eu estivesse vendo tudo isso por uma telinha e já estava em outro cenário, fiquei triste de que não demorou o patrono e fui atrás da varinha de novo, dessa vez foi difícil achar, peguei uma vassoura e voei para ir trás de algum lugar mágico, achei uma família que se parecia com as descrições de bruxos e me aproximei, perguntei onde estávamos e ela disse que em Londres ( mas tinha praia!) perguntei da escola de magia ela disse que não tinha mais, perguntei das lojas de varinhas ela disse que não se achava uma, a dela mesmo foi trazida de longe pela mãe, perguntei se não podia encomendar uma para mim a mesma disse que sim, mas que era difícil, ficou me abraçando e me deu filhotinhos de galinha vivos para comer, eles eram fofinhos e estavam caramelizados fiquei horrorizada e acordei.
Não sou muito fã de textão, mas esse eu curti, estava até desanimando de ter sonhos lúcidos, isso me inspirou a continuar tentando, acho que vou. Me animar e até escrever meus sonhos mesmo se esse é o preço que tenho de pagar, cavalo filhote é um patrono que nunca ouvi falar, tu tem cada sonho viu rsrsrsrsrsrs
Conteúdo patrocinado

Re: Diário dos sonhos lúcidos da Veivi

Ver o tópico anteriorVoltar ao TopoVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum