Conectar-se
Os membros mais ativos do mês
3 Mensagens - 75%
1 Mensagem - 25%
Votação
Qual a técnica que você utiliza para ficar lúcido?
Teste de Realidade
45% / 15
Totem
15% / 5
Incubação
12% / 4
Gatilho
6% / 2
Gravador de Voz ou Sons Binaurais
6% / 2
Outros
15% / 5
Parceiros
 sonhos=
 sonhos=
 animes=

Compartilhe
Ver o tópico anteriorIr em baixoVer o tópico seguinte
avatar
Mensagens : 386
Pontos : 1599
Honra : 199
Data de inscrição : 04/03/2016
Idade : 20
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
29 / 99929 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Qui Nov 10, 2016 1:18 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Andrelp escreveu:Que que é isso pyros????Sua aventura foi demais.Muita coisa,muita doidera...Você acordou se sentindo como?

Yo André!! Cara... como explicar isso?
Olha, depois desse sonho eu lembro de continuar lúcido, mas em outro cenário, provavelmente outro sonho. O problema mesmo é que nesse ultimo sonho eu fiquei meio louco, ouvindo vozes na cabeça e me questionando se aquilo tudo era um sonho mesmo.
Mas na hora de acordar, eu dei logo um pulo para anotar tudo, porque foi muito grande e eu não queria esquecer nada hahahaha.

Ramon escreveu:
Pyros escreveu:

Pyros escreveu:Sonho Nº 19 - 09 de Novembro de 2016

Por onde começar em?
  Bom, se minha memória não falha, eu caminhava por uma rua de meu bairro em um final de tarde. Por algum motivo decido pular o muro e entrar em uma casa aleatória da rua e é lá que eu fico lúcido. A casa estava escura, mas como os raios de sol entravam pela porta que eu havia aberto dava para ver até a poeira que fica no ar.
  Estava investigando o local, até que uma garotinha negra veio em minha direção e me abraçou. Eu segurei ela pelas bochechas e procurei ver se reconhecia quem que era aquela menininha. Ela me abraçou novamente e dessa vez retribui e quando olhei-a novamente, a garotinha havia se transformado em uma mulher. Por acaso era alguém que eu conhecia. Era uma amiga minha, a mesma que apareceu em meu primeiro sonho lúcido deste diário. Ela desapareceu no ar junto com a poeira e eu fiquei pensando:
"- Vamos, vamos... estou perdendo meu tempo neste sonho lúcido. Está na hora de fazer alguma estripulia!!"

 Fui para fora da casa e lembrei do objetivo de voar até a lua. Não me relembro muito do que aconteceu neste momento, mas lembro de que já era noite e eu fiquei procurando em que direção estava a lua no céu. O céu estava cheio de nuvens, mas eu consegui ver algo por trás das nuvens que tinha um formato meio oval. Voei a toda velocidade em direção ao objeto, imaginando ser a lua. A massa de nuvens estava muito densa, para imaginar era como se estivesse assim:
Nuvens:
Dentro das nuvens havia se formado uma tempestade e dava para sentir as rajadas de vento por todo o lado, além disso, parecia que a própria gravidade do local estava afetada pois vários carros ficavam sendo jogados de um lado para o outro além de grandes placas de cimento, como se fossem pedaços de rodovias arrancados do chão. Muitos viam em minha direção e eu tinha que soca-los para que não me atingissem em cheio.
 Consegui chegar no objeto de formato oval e ele não era a lua(óbvio), na verdade era feito de ouro e era uma cadeira gigante ou um trono gigante, porém em um formato oval. Dei a volta para conseguir ver quem estava sentado nela. Era um homem gordo, gigantesco, vestindo uma armadura toda feita de ouro e segurando um grande cetro na mão, parecia muito ser um rei. Quando digo que ele era gigantesco não estou exagerando levando em conta o fato dele ser gordo, para se ter ideia, era como se a cabeça dele fosse 2x o meu tamanho. Ele era definitivamente um gigante. Usava um capacete que cobria a cabeça, mas deixava o rosto amostra, além de ter um par de chifres como se fosse um touro, tudo isso sendo de ouro. Vendo tudo isso talvez vocês pensem que tipo de pessoa onírica ele poderia ser ou o tipo de diálogo que poderia ser criado naquela situação. Porém, eu só conseguia pensa em o quão frustrante era eu não ter chegado na lua, a cara do gigante dourado também não era muito convidativa. Ele estava mais para um cara entediado com tudo ao seu redor.
 Não estava afim de perder tempo com aquilo, mas não dava para ver nada dentro daquela tempestade, as nuvens cobriam tudo em todas as direções. Decidi sair voando daquele lugar para tentar ver o céu limpo novamente e foi aí que os problemas começaram. Quando eu finalmente saí daquele turbilhão de nuvens que cobria o céu. Um prédio foi arremessado de lá de dentro das nuvens em minha direção, não sendo um prédio qualquer, era o Empire State vindo bem para cima de mim. Eu ainda estava voando, apertei a língua no céu da boca e estabilizei o sonho. Peguei o prédio no ar e arremessei de volta para dentro das nuvens. (É, não tem outra forma de explicar isso, aliás vai ficar pior daqui pra frente)
 Do céu, várias coisas gigantescas começaram a cair. Primeiro foi um navio cargueiro que fez um tremendo estrago varrendo as casas que estavam abaixo de mim. Logo depois me lembro de pelo menos dois aviões muito grandes, caíram rolando.
Aviões:
Após isso um meteoro gigante pegando fogo se chocou no chão e deixou tudo em chamas e embora eu tivesse plena certeza de que estava sonhando e fazia questão de esfregar as mãos para estabilizar eu não conseguia fazer mais nada, nos céus parecia haver uma guerra porque tinham coisas se movimentando para todos os lados. O próximo objeto que saiu das nuvens foi um planeta, mas não qualquer planete. Foi Saturno!!! Os anéis gigantes atravessaram as nuvens e logo depois veio o planeta, acontece que foi por aí que eu perdi parte da lucidez e pode-se dizer que quando estou semi-lúcido eu começo a fazer coisas que o medo me impediria. Bom, saltei em direção ao planeta e comecei a voar, segurei na borda dos anéis que pareciam ter a textura de ferro e eram maciços, e comecei a empurrar ele de volta para cima até joga-lo de volta nos céus. Isso me deixou muito exausto e não sei lembro muito mais que aconteceu depois disso.

 Ainda lúcido, mas agora o cenário havia mudado e eu estava voltando ao chão. Pousei ao lado de uma loja que parecia vender artigos de ouro. Isso me fez lembrar o que tinha rolado antes e voltei a ficar totalmente lúcido novamente. Também me questionei se já não fazia uns 20-25 minutos que eu estava sonhando e decidi esfregar as mãos para estabilizar mais o sonho e mante-lo por mais tempo. Fui andando até a frente do prédio e quando cheguei lá amanheceu instantaneamente, como se a um segundo atrás tudo fosse noite e agora o sol brilha claro no céu.
 Imaginei que talvez não havia conseguido chegar na lua pois eu não estava voando rápido o bastante, embora antes eu já estivesse bem rápido. Decidi então sair correndo e pegar impulso, quando eu saísse do chão tentaria usar as chamas nas mãos como propulsão, como já fiz em outros sonhos. Deu certo, mas ao invés de ir mais rápido eu  fiquei voando lentamente e pousei em frente a um supermercado. Isso me recorda o meu primeiro sonho, onde também fui a um supermercado  e eu decido entrar nele.
 Lá dentro, abaixo de uma prateleira vendendo salgadinhos, havia um buraco na parede em forma de coração. Enfiei a mão nele pensando: "- Imagina um easter egg num sonho, o que será?"
Uma garota saiu da fila e também colocou a mão lá para pegar o que tinha dentro, porém eu puxei primeiro. Eram lápis de colorir, uma caixa com vários de cera e outra de madeira. Saí de lá de dentro com ambos na mão e a garota ficou me olhando com uma cara de choro. Joguei uma caixa em direção a ela, o que fez ela sorrir, pegar uns papéis e vir em minha direção querendo desenhar. Começamos a desenhar e eu percebi que meu cérebro estava me distraindo novamente, dei um salto que me deixou na altura do topo dos prédio e de lá mesmo saí voando. O problema é que alguns desenhos da garota vieram junto comigo, um deles por sinal, mostrava o mar aberto e ao olhar enquanto voava fui transportado para àquele lugar.
 Era lindo, o mar e ao longe o por do sol.
Por do sol... tipo esse xD:
Eu estava cansado de tentar ir à lua e lá eu estava me sentindo em paz, decidi ficar voando de costas rente ao mar enquanto cantarolava uma musica que não lembro mais até acordar naturalmente. Tava tudo em paz, eu imaginando que ia acordar bem feliz de bem com a vida, até que alguém fez o "favor" de agarrar meu braço e me puxar até a água. Lá haviam várias pessoas, umas segurando as outras pelas mãos e me usando para se sustentarem fora d'água. Elas gritavam algo como :"- Agora sim estamos salvos!"
" - Calma, vou tirar vocês daqui." Falei enquanto começava a levitar para fora da água e me preparando para voar.
Só que foi aí que o pesadelo começou. As pessoas começaram a crescer e ficaram gigantescas, tão grandes que mesmo em mar aberto a água não chegava nem em seus tornozelos, além disso, umas começaram a subir as outras numa briga para ficar no topo e começaram a ficar brancas como uma folha de papel até que desapareceram e tudo ao meu redor ficou branco. Só sobrou o mar abaixo de mim que estava levitando, mas para onde eu olhasse era como se não existe-se nada além de mim e do mar.

Depois de tudo isso eu caí em um outro sonho lúcido, talvez  até ainda fosse esse, porém o cenário era diferente e como este sonho foi bem grande, acho melhor deixar para relata-lo outro dia.
Pyros, esse seu sonho foi intenso viu. E você conseguiu driblar muito bem as distrações e manter a lucidez o máximo de tempo nesse sonho. Parabéns! certo
Valeuzão Ramon xD

Mas vou te contar, manter a lucidez por muito tempo não é só difícil... é praticamente um desgaste mental completo. Parece que a mente começa a pregar peças na gente e brincar com nós mesmos. Teve horas que eu me questionei se não tinha ficado louco. medo
Porem foi um sonho divertido pakas para mim. Além disso me mostrou o quanto eu ainda preciso melhorar como onironauta. O titulo original que die a esse sonho e escrevi no meu diário físico foi : "O fim de um onironauta" , justamente por isso, nesse sonho eu encarei meus medos e vi o quanto eu ainda tenho que aprender pra chegar perto de arranhar o que é ser um verdadeiro onironauta.
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5708
Honra : 1044
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Qui Nov 10, 2016 5:20 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Pyros escreveu:

Pyros escreveu:
Andrelp escreveu:Que que é isso pyros????Sua aventura foi demais.Muita coisa,muita doidera...Você acordou se sentindo como?

Yo André!! Cara... como explicar isso?
Olha, depois desse sonho eu lembro de  continuar lúcido, mas em outro cenário, provavelmente outro sonho. O problema mesmo é que nesse ultimo sonho eu fiquei meio louco, ouvindo vozes na cabeça e me questionando se aquilo tudo era um sonho mesmo.
Mas na hora de acordar, eu dei logo um pulo para anotar tudo, porque foi muito grande e eu não queria esquecer nada hahahaha.

Ramon escreveu:
Pyros escreveu:

Pyros escreveu:Sonho Nº 19 - 09 de Novembro de 2016

Por onde começar em?
  Bom, se minha memória não falha, eu caminhava por uma rua de meu bairro em um final de tarde. Por algum motivo decido pular o muro e entrar em uma casa aleatória da rua e é lá que eu fico lúcido. A casa estava escura, mas como os raios de sol entravam pela porta que eu havia aberto dava para ver até a poeira que fica no ar.
  Estava investigando o local, até que uma garotinha negra veio em minha direção e me abraçou. Eu segurei ela pelas bochechas e procurei ver se reconhecia quem que era aquela menininha. Ela me abraçou novamente e dessa vez retribui e quando olhei-a novamente, a garotinha havia se transformado em uma mulher. Por acaso era alguém que eu conhecia. Era uma amiga minha, a mesma que apareceu em meu primeiro sonho lúcido deste diário. Ela desapareceu no ar junto com a poeira e eu fiquei pensando:
"- Vamos, vamos... estou perdendo meu tempo neste sonho lúcido. Está na hora de fazer alguma estripulia!!"

 Fui para fora da casa e lembrei do objetivo de voar até a lua. Não me relembro muito do que aconteceu neste momento, mas lembro de que já era noite e eu fiquei procurando em que direção estava a lua no céu. O céu estava cheio de nuvens, mas eu consegui ver algo por trás das nuvens que tinha um formato meio oval. Voei a toda velocidade em direção ao objeto, imaginando ser a lua. A massa de nuvens estava muito densa, para imaginar era como se estivesse assim:
Nuvens:
Dentro das nuvens havia se formado uma tempestade e dava para sentir as rajadas de vento por todo o lado, além disso, parecia que a própria gravidade do local estava afetada pois vários carros ficavam sendo jogados de um lado para o outro além de grandes placas de cimento, como se fossem pedaços de rodovias arrancados do chão. Muitos viam em minha direção e eu tinha que soca-los para que não me atingissem em cheio.
 Consegui chegar no objeto de formato oval e ele não era a lua(óbvio), na verdade era feito de ouro e era uma cadeira gigante ou um trono gigante, porém em um formato oval. Dei a volta para conseguir ver quem estava sentado nela. Era um homem gordo, gigantesco, vestindo uma armadura toda feita de ouro e segurando um grande cetro na mão, parecia muito ser um rei. Quando digo que ele era gigantesco não estou exagerando levando em conta o fato dele ser gordo, para se ter ideia, era como se a cabeça dele fosse 2x o meu tamanho. Ele era definitivamente um gigante. Usava um capacete que cobria a cabeça, mas deixava o rosto amostra, além de ter um par de chifres como se fosse um touro, tudo isso sendo de ouro. Vendo tudo isso talvez vocês pensem que tipo de pessoa onírica ele poderia ser ou o tipo de diálogo que poderia ser criado naquela situação. Porém, eu só conseguia pensa em o quão frustrante era eu não ter chegado na lua, a cara do gigante dourado também não era muito convidativa. Ele estava mais para um cara entediado com tudo ao seu redor.
 Não estava afim de perder tempo com aquilo, mas não dava para ver nada dentro daquela tempestade, as nuvens cobriam tudo em todas as direções. Decidi sair voando daquele lugar para tentar ver o céu limpo novamente e foi aí que os problemas começaram. Quando eu finalmente saí daquele turbilhão de nuvens que cobria o céu. Um prédio foi arremessado de lá de dentro das nuvens em minha direção, não sendo um prédio qualquer, era o Empire State vindo bem para cima de mim. Eu ainda estava voando, apertei a língua no céu da boca e estabilizei o sonho. Peguei o prédio no ar e arremessei de volta para dentro das nuvens. (É, não tem outra forma de explicar isso, aliás vai ficar pior daqui pra frente)
 Do céu, várias coisas gigantescas começaram a cair. Primeiro foi um navio cargueiro que fez um tremendo estrago varrendo as casas que estavam abaixo de mim. Logo depois me lembro de pelo menos dois aviões muito grandes, caíram rolando.
Aviões:
Após isso um meteoro gigante pegando fogo se chocou no chão e deixou tudo em chamas e embora eu tivesse plena certeza de que estava sonhando e fazia questão de esfregar as mãos para estabilizar eu não conseguia fazer mais nada, nos céus parecia haver uma guerra porque tinham coisas se movimentando para todos os lados. O próximo objeto que saiu das nuvens foi um planeta, mas não qualquer planete. Foi Saturno!!! Os anéis gigantes atravessaram as nuvens e logo depois veio o planeta, acontece que foi por aí que eu perdi parte da lucidez e pode-se dizer que quando estou semi-lúcido eu começo a fazer coisas que o medo me impediria. Bom, saltei em direção ao planeta e comecei a voar, segurei na borda dos anéis que pareciam ter a textura de ferro e eram maciços, e comecei a empurrar ele de volta para cima até joga-lo de volta nos céus. Isso me deixou muito exausto e não sei lembro muito mais que aconteceu depois disso.

 Ainda lúcido, mas agora o cenário havia mudado e eu estava voltando ao chão. Pousei ao lado de uma loja que parecia vender artigos de ouro. Isso me fez lembrar o que tinha rolado antes e voltei a ficar totalmente lúcido novamente. Também me questionei se já não fazia uns 20-25 minutos que eu estava sonhando e decidi esfregar as mãos para estabilizar mais o sonho e mante-lo por mais tempo. Fui andando até a frente do prédio e quando cheguei lá amanheceu instantaneamente, como se a um segundo atrás tudo fosse noite e agora o sol brilha claro no céu.
 Imaginei que talvez não havia conseguido chegar na lua pois eu não estava voando rápido o bastante, embora antes eu já estivesse bem rápido. Decidi então sair correndo e pegar impulso, quando eu saísse do chão tentaria usar as chamas nas mãos como propulsão, como já fiz em outros sonhos. Deu certo, mas ao invés de ir mais rápido eu  fiquei voando lentamente e pousei em frente a um supermercado. Isso me recorda o meu primeiro sonho, onde também fui a um supermercado  e eu decido entrar nele.
 Lá dentro, abaixo de uma prateleira vendendo salgadinhos, havia um buraco na parede em forma de coração. Enfiei a mão nele pensando: "- Imagina um easter egg num sonho, o que será?"
Uma garota saiu da fila e também colocou a mão lá para pegar o que tinha dentro, porém eu puxei primeiro. Eram lápis de colorir, uma caixa com vários de cera e outra de madeira. Saí de lá de dentro com ambos na mão e a garota ficou me olhando com uma cara de choro. Joguei uma caixa em direção a ela, o que fez ela sorrir, pegar uns papéis e vir em minha direção querendo desenhar. Começamos a desenhar e eu percebi que meu cérebro estava me distraindo novamente, dei um salto que me deixou na altura do topo dos prédio e de lá mesmo saí voando. O problema é que alguns desenhos da garota vieram junto comigo, um deles por sinal, mostrava o mar aberto e ao olhar enquanto voava fui transportado para àquele lugar.
 Era lindo, o mar e ao longe o por do sol.
Por do sol... tipo esse xD:
Eu estava cansado de tentar ir à lua e lá eu estava me sentindo em paz, decidi ficar voando de costas rente ao mar enquanto cantarolava uma musica que não lembro mais até acordar naturalmente. Tava tudo em paz, eu imaginando que ia acordar bem feliz de bem com a vida, até que alguém fez o "favor" de agarrar meu braço e me puxar até a água. Lá haviam várias pessoas, umas segurando as outras pelas mãos e me usando para se sustentarem fora d'água. Elas gritavam algo como :"- Agora sim estamos salvos!"
" - Calma, vou tirar vocês daqui." Falei enquanto começava a levitar para fora da água e me preparando para voar.
Só que foi aí que o pesadelo começou. As pessoas começaram a crescer e ficaram gigantescas, tão grandes que mesmo em mar aberto a água não chegava nem em seus tornozelos, além disso, umas começaram a subir as outras numa briga para ficar no topo e começaram a ficar brancas como uma folha de papel até que desapareceram e tudo ao meu redor ficou branco. Só sobrou o mar abaixo de mim que estava levitando, mas para onde eu olhasse era como se não existe-se nada além de mim e do mar.

Depois de tudo isso eu caí em um outro sonho lúcido, talvez  até ainda fosse esse, porém o cenário era diferente e como este sonho foi bem grande, acho melhor deixar para relata-lo outro dia.
Pyros, esse seu sonho foi intenso viu. E você conseguiu driblar muito bem as distrações e manter a lucidez o máximo de tempo nesse sonho. Parabéns! certo
Valeuzão Ramon xD

Mas vou te contar, manter a lucidez por muito tempo não é só difícil... é praticamente um desgaste mental completo. Parece que a mente  começa a pregar peças na gente e brincar com nós mesmos. Teve horas que eu me questionei se não tinha ficado louco. medo
Porem foi um sonho divertido pakas para mim. Além disso me mostrou o quanto eu ainda preciso melhorar como onironauta. O titulo original que die a esse sonho e escrevi no meu diário físico foi : "O fim de um onironauta" , justamente por isso, nesse sonho eu encarei meus medos e vi o quanto eu ainda tenho que aprender pra chegar perto de arranhar o que é ser um verdadeiro onironauta.
Mas você já é um verdadeiro onironauta. Todos nós aqui no fórum, somos verdadeiros onironautas. A partir do momento que começamos a dar atenção pros nossos sonhos, anota-los num diário e compartilhar experiências com outros sonhadores, já podemos nos considerar verdadeiros onironautas.

Agora o mundo onírico é um lugar de constante aprendisado, Pyros. Cada sonho, uma nova experiência. E em cada experiência, um novo aprendizado. E não importa o nosso grau de experiência com o mundos dos sonhos, sempre estaremos tendo novas experiências e aprendendo coisas novas.
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3342
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Qui Nov 10, 2016 5:56 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Pyros:
Pyros escreveu:Sonho Nº 19 - 09 de Novembro de 2016

Por onde começar em?
  Bom, se minha memória não falha, eu caminhava por uma rua de meu bairro em um final de tarde. Por algum motivo decido pular o muro e entrar em uma casa aleatória da rua e é lá que eu fico lúcido. A casa estava escura, mas como os raios de sol entravam pela porta que eu havia aberto dava para ver até a poeira que fica no ar.
  Estava investigando o local, até que uma garotinha negra veio em minha direção e me abraçou. Eu segurei ela pelas bochechas e procurei ver se reconhecia quem que era aquela menininha. Ela me abraçou novamente e dessa vez retribui e quando olhei-a novamente, a garotinha havia se transformado em uma mulher. Por acaso era alguém que eu conhecia. Era uma amiga minha, a mesma que apareceu em meu primeiro sonho lúcido deste diário. Ela desapareceu no ar junto com a poeira e eu fiquei pensando:
"- Vamos, vamos... estou perdendo meu tempo neste sonho lúcido. Está na hora de fazer alguma estripulia!!"

 Fui para fora da casa e lembrei do objetivo de voar até a lua. Não me relembro muito do que aconteceu neste momento, mas lembro de que já era noite e eu fiquei procurando em que direção estava a lua no céu. O céu estava cheio de nuvens, mas eu consegui ver algo por trás das nuvens que tinha um formato meio oval. Voei a toda velocidade em direção ao objeto, imaginando ser a lua. A massa de nuvens estava muito densa, para imaginar era como se estivesse assim:
Nuvens:
Dentro das nuvens havia se formado uma tempestade e dava para sentir as rajadas de vento por todo o lado, além disso, parecia que a própria gravidade do local estava afetada pois vários carros ficavam sendo jogados de um lado para o outro além de grandes placas de cimento, como se fossem pedaços de rodovias arrancados do chão. Muitos viam em minha direção e eu tinha que soca-los para que não me atingissem em cheio.
 Consegui chegar no objeto de formato oval e ele não era a lua(óbvio), na verdade era feito de ouro e era uma cadeira gigante ou um trono gigante, porém em um formato oval. Dei a volta para conseguir ver quem estava sentado nela. Era um homem gordo, gigantesco, vestindo uma armadura toda feita de ouro e segurando um grande cetro na mão, parecia muito ser um rei. Quando digo que ele era gigantesco não estou exagerando levando em conta o fato dele ser gordo, para se ter ideia, era como se a cabeça dele fosse 2x o meu tamanho. Ele era definitivamente um gigante. Usava um capacete que cobria a cabeça, mas deixava o rosto amostra, além de ter um par de chifres como se fosse um touro, tudo isso sendo de ouro. Vendo tudo isso talvez vocês pensem que tipo de pessoa onírica ele poderia ser ou o tipo de diálogo que poderia ser criado naquela situação. Porém, eu só conseguia pensa em o quão frustrante era eu não ter chegado na lua, a cara do gigante dourado também não era muito convidativa. Ele estava mais para um cara entediado com tudo ao seu redor.
 Não estava afim de perder tempo com aquilo, mas não dava para ver nada dentro daquela tempestade, as nuvens cobriam tudo em todas as direções. Decidi sair voando daquele lugar para tentar ver o céu limpo novamente e foi aí que os problemas começaram. Quando eu finalmente saí daquele turbilhão de nuvens que cobria o céu. Um prédio foi arremessado de lá de dentro das nuvens em minha direção, não sendo um prédio qualquer, era o Empire State vindo bem para cima de mim. Eu ainda estava voando, apertei a língua no céu da boca e estabilizei o sonho. Peguei o prédio no ar e arremessei de volta para dentro das nuvens. (É, não tem outra forma de explicar isso, aliás vai ficar pior daqui pra frente)
 Do céu, várias coisas gigantescas começaram a cair. Primeiro foi um navio cargueiro que fez um tremendo estrago varrendo as casas que estavam abaixo de mim. Logo depois me lembro de pelo menos dois aviões muito grandes, caíram rolando.
Aviões:
Após isso um meteoro gigante pegando fogo se chocou no chão e deixou tudo em chamas e embora eu tivesse plena certeza de que estava sonhando e fazia questão de esfregar as mãos para estabilizar eu não conseguia fazer mais nada, nos céus parecia haver uma guerra porque tinham coisas se movimentando para todos os lados. O próximo objeto que saiu das nuvens foi um planeta, mas não qualquer planete. Foi Saturno!!! Os anéis gigantes atravessaram as nuvens e logo depois veio o planeta, acontece que foi por aí que eu perdi parte da lucidez e pode-se dizer que quando estou semi-lúcido eu começo a fazer coisas que o medo me impediria. Bom, saltei em direção ao planeta e comecei a voar, segurei na borda dos anéis que pareciam ter a textura de ferro e eram maciços, e comecei a empurrar ele de volta para cima até joga-lo de volta nos céus. Isso me deixou muito exausto e não sei lembro muito mais que aconteceu depois disso.

 Ainda lúcido, mas agora o cenário havia mudado e eu estava voltando ao chão. Pousei ao lado de uma loja que parecia vender artigos de ouro. Isso me fez lembrar o que tinha rolado antes e voltei a ficar totalmente lúcido novamente. Também me questionei se já não fazia uns 20-25 minutos que eu estava sonhando e decidi esfregar as mãos para estabilizar mais o sonho e mante-lo por mais tempo. Fui andando até a frente do prédio e quando cheguei lá amanheceu instantaneamente, como se a um segundo atrás tudo fosse noite e agora o sol brilha claro no céu.
 Imaginei que talvez não havia conseguido chegar na lua pois eu não estava voando rápido o bastante, embora antes eu já estivesse bem rápido. Decidi então sair correndo e pegar impulso, quando eu saísse do chão tentaria usar as chamas nas mãos como propulsão, como já fiz em outros sonhos. Deu certo, mas ao invés de ir mais rápido eu  fiquei voando lentamente e pousei em frente a um supermercado. Isso me recorda o meu primeiro sonho, onde também fui a um supermercado  e eu decido entrar nele.
 Lá dentro, abaixo de uma prateleira vendendo salgadinhos, havia um buraco na parede em forma de coração. Enfiei a mão nele pensando: "- Imagina um easter egg num sonho, o que será?"
Uma garota saiu da fila e também colocou a mão lá para pegar o que tinha dentro, porém eu puxei primeiro. Eram lápis de colorir, uma caixa com vários de cera e outra de madeira. Saí de lá de dentro com ambos na mão e a garota ficou me olhando com uma cara de choro. Joguei uma caixa em direção a ela, o que fez ela sorrir, pegar uns papéis e vir em minha direção querendo desenhar. Começamos a desenhar e eu percebi que meu cérebro estava me distraindo novamente, dei um salto que me deixou na altura do topo dos prédio e de lá mesmo saí voando. O problema é que alguns desenhos da garota vieram junto comigo, um deles por sinal, mostrava o mar aberto e ao olhar enquanto voava fui transportado para àquele lugar.
 Era lindo, o mar e ao longe o por do sol.
Por do sol... tipo esse xD:
Eu estava cansado de tentar ir à lua e lá eu estava me sentindo em paz, decidi ficar voando de costas rente ao mar enquanto cantarolava uma musica que não lembro mais até acordar naturalmente. Tava tudo em paz, eu imaginando que ia acordar bem feliz de bem com a vida, até que alguém fez o "favor" de agarrar meu braço e me puxar até a água. Lá haviam várias pessoas, umas segurando as outras pelas mãos e me usando para se sustentarem fora d'água. Elas gritavam algo como :"- Agora sim estamos salvos!"
" - Calma, vou tirar vocês daqui." Falei enquanto começava a levitar para fora da água e me preparando para voar.
Só que foi aí que o pesadelo começou. As pessoas começaram a crescer e ficaram gigantescas, tão grandes que mesmo em mar aberto a água não chegava nem em seus tornozelos, além disso, umas começaram a subir as outras numa briga para ficar no topo e começaram a ficar brancas como uma folha de papel até que desapareceram e tudo ao meu redor ficou branco. Só sobrou o mar abaixo de mim que estava levitando, mas para onde eu olhasse era como se não existe-se nada além de mim e do mar.

Depois de tudo isso eu caí em um outro sonho lúcido, talvez  até ainda fosse esse, porém o cenário era diferente e como este sonho foi bem grande, acho melhor deixar para relata-lo outro dia.
Que sonho fantástico, Pyros. Gostei principalmente da parte dos desenhos no papel que funcionava como um portal. Já imaginou se você tivesse todos os desenhos em mãos e fosse conhecer todos os lugares desenhados. Seria uma aventura e tanto. =)
avatar
Mensagens : 386
Pontos : 1599
Honra : 199
Data de inscrição : 04/03/2016
Idade : 20
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
29 / 99929 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Qui Nov 10, 2016 10:59 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Ramon escreveu:
Pyros escreveu:

Pyros escreveu:
Andrelp escreveu:Que que é isso pyros????Sua aventura foi demais.Muita coisa,muita doidera...Você acordou se sentindo como?

Yo André!! Cara... como explicar isso?
Olha, depois desse sonho eu lembro de  continuar lúcido, mas em outro cenário, provavelmente outro sonho. O problema mesmo é que nesse ultimo sonho eu fiquei meio louco, ouvindo vozes na cabeça e me questionando se aquilo tudo era um sonho mesmo.
Mas na hora de acordar, eu dei logo um pulo para anotar tudo, porque foi muito grande e eu não queria esquecer nada hahahaha.

Ramon escreveu:
Pyros escreveu:

Pyros escreveu:Sonho Nº 19 - 09 de Novembro de 2016

Por onde começar em?
  Bom, se minha memória não falha, eu caminhava por uma rua de meu bairro em um final de tarde. Por algum motivo decido pular o muro e entrar em uma casa aleatória da rua e é lá que eu fico lúcido. A casa estava escura, mas como os raios de sol entravam pela porta que eu havia aberto dava para ver até a poeira que fica no ar.
  Estava investigando o local, até que uma garotinha negra veio em minha direção e me abraçou. Eu segurei ela pelas bochechas e procurei ver se reconhecia quem que era aquela menininha. Ela me abraçou novamente e dessa vez retribui e quando olhei-a novamente, a garotinha havia se transformado em uma mulher. Por acaso era alguém que eu conhecia. Era uma amiga minha, a mesma que apareceu em meu primeiro sonho lúcido deste diário. Ela desapareceu no ar junto com a poeira e eu fiquei pensando:
"- Vamos, vamos... estou perdendo meu tempo neste sonho lúcido. Está na hora de fazer alguma estripulia!!"

 Fui para fora da casa e lembrei do objetivo de voar até a lua. Não me relembro muito do que aconteceu neste momento, mas lembro de que já era noite e eu fiquei procurando em que direção estava a lua no céu. O céu estava cheio de nuvens, mas eu consegui ver algo por trás das nuvens que tinha um formato meio oval. Voei a toda velocidade em direção ao objeto, imaginando ser a lua. A massa de nuvens estava muito densa, para imaginar era como se estivesse assim:
Nuvens:
Dentro das nuvens havia se formado uma tempestade e dava para sentir as rajadas de vento por todo o lado, além disso, parecia que a própria gravidade do local estava afetada pois vários carros ficavam sendo jogados de um lado para o outro além de grandes placas de cimento, como se fossem pedaços de rodovias arrancados do chão. Muitos viam em minha direção e eu tinha que soca-los para que não me atingissem em cheio.
 Consegui chegar no objeto de formato oval e ele não era a lua(óbvio), na verdade era feito de ouro e era uma cadeira gigante ou um trono gigante, porém em um formato oval. Dei a volta para conseguir ver quem estava sentado nela. Era um homem gordo, gigantesco, vestindo uma armadura toda feita de ouro e segurando um grande cetro na mão, parecia muito ser um rei. Quando digo que ele era gigantesco não estou exagerando levando em conta o fato dele ser gordo, para se ter ideia, era como se a cabeça dele fosse 2x o meu tamanho. Ele era definitivamente um gigante. Usava um capacete que cobria a cabeça, mas deixava o rosto amostra, além de ter um par de chifres como se fosse um touro, tudo isso sendo de ouro. Vendo tudo isso talvez vocês pensem que tipo de pessoa onírica ele poderia ser ou o tipo de diálogo que poderia ser criado naquela situação. Porém, eu só conseguia pensa em o quão frustrante era eu não ter chegado na lua, a cara do gigante dourado também não era muito convidativa. Ele estava mais para um cara entediado com tudo ao seu redor.
 Não estava afim de perder tempo com aquilo, mas não dava para ver nada dentro daquela tempestade, as nuvens cobriam tudo em todas as direções. Decidi sair voando daquele lugar para tentar ver o céu limpo novamente e foi aí que os problemas começaram. Quando eu finalmente saí daquele turbilhão de nuvens que cobria o céu. Um prédio foi arremessado de lá de dentro das nuvens em minha direção, não sendo um prédio qualquer, era o Empire State vindo bem para cima de mim. Eu ainda estava voando, apertei a língua no céu da boca e estabilizei o sonho. Peguei o prédio no ar e arremessei de volta para dentro das nuvens. (É, não tem outra forma de explicar isso, aliás vai ficar pior daqui pra frente)
 Do céu, várias coisas gigantescas começaram a cair. Primeiro foi um navio cargueiro que fez um tremendo estrago varrendo as casas que estavam abaixo de mim. Logo depois me lembro de pelo menos dois aviões muito grandes, caíram rolando.
Aviões:
Após isso um meteoro gigante pegando fogo se chocou no chão e deixou tudo em chamas e embora eu tivesse plena certeza de que estava sonhando e fazia questão de esfregar as mãos para estabilizar eu não conseguia fazer mais nada, nos céus parecia haver uma guerra porque tinham coisas se movimentando para todos os lados. O próximo objeto que saiu das nuvens foi um planeta, mas não qualquer planete. Foi Saturno!!! Os anéis gigantes atravessaram as nuvens e logo depois veio o planeta, acontece que foi por aí que eu perdi parte da lucidez e pode-se dizer que quando estou semi-lúcido eu começo a fazer coisas que o medo me impediria. Bom, saltei em direção ao planeta e comecei a voar, segurei na borda dos anéis que pareciam ter a textura de ferro e eram maciços, e comecei a empurrar ele de volta para cima até joga-lo de volta nos céus. Isso me deixou muito exausto e não sei lembro muito mais que aconteceu depois disso.

 Ainda lúcido, mas agora o cenário havia mudado e eu estava voltando ao chão. Pousei ao lado de uma loja que parecia vender artigos de ouro. Isso me fez lembrar o que tinha rolado antes e voltei a ficar totalmente lúcido novamente. Também me questionei se já não fazia uns 20-25 minutos que eu estava sonhando e decidi esfregar as mãos para estabilizar mais o sonho e mante-lo por mais tempo. Fui andando até a frente do prédio e quando cheguei lá amanheceu instantaneamente, como se a um segundo atrás tudo fosse noite e agora o sol brilha claro no céu.
 Imaginei que talvez não havia conseguido chegar na lua pois eu não estava voando rápido o bastante, embora antes eu já estivesse bem rápido. Decidi então sair correndo e pegar impulso, quando eu saísse do chão tentaria usar as chamas nas mãos como propulsão, como já fiz em outros sonhos. Deu certo, mas ao invés de ir mais rápido eu  fiquei voando lentamente e pousei em frente a um supermercado. Isso me recorda o meu primeiro sonho, onde também fui a um supermercado  e eu decido entrar nele.
 Lá dentro, abaixo de uma prateleira vendendo salgadinhos, havia um buraco na parede em forma de coração. Enfiei a mão nele pensando: "- Imagina um easter egg num sonho, o que será?"
Uma garota saiu da fila e também colocou a mão lá para pegar o que tinha dentro, porém eu puxei primeiro. Eram lápis de colorir, uma caixa com vários de cera e outra de madeira. Saí de lá de dentro com ambos na mão e a garota ficou me olhando com uma cara de choro. Joguei uma caixa em direção a ela, o que fez ela sorrir, pegar uns papéis e vir em minha direção querendo desenhar. Começamos a desenhar e eu percebi que meu cérebro estava me distraindo novamente, dei um salto que me deixou na altura do topo dos prédio e de lá mesmo saí voando. O problema é que alguns desenhos da garota vieram junto comigo, um deles por sinal, mostrava o mar aberto e ao olhar enquanto voava fui transportado para àquele lugar.
 Era lindo, o mar e ao longe o por do sol.
Por do sol... tipo esse xD:
Eu estava cansado de tentar ir à lua e lá eu estava me sentindo em paz, decidi ficar voando de costas rente ao mar enquanto cantarolava uma musica que não lembro mais até acordar naturalmente. Tava tudo em paz, eu imaginando que ia acordar bem feliz de bem com a vida, até que alguém fez o "favor" de agarrar meu braço e me puxar até a água. Lá haviam várias pessoas, umas segurando as outras pelas mãos e me usando para se sustentarem fora d'água. Elas gritavam algo como :"- Agora sim estamos salvos!"
" - Calma, vou tirar vocês daqui." Falei enquanto começava a levitar para fora da água e me preparando para voar.
Só que foi aí que o pesadelo começou. As pessoas começaram a crescer e ficaram gigantescas, tão grandes que mesmo em mar aberto a água não chegava nem em seus tornozelos, além disso, umas começaram a subir as outras numa briga para ficar no topo e começaram a ficar brancas como uma folha de papel até que desapareceram e tudo ao meu redor ficou branco. Só sobrou o mar abaixo de mim que estava levitando, mas para onde eu olhasse era como se não existe-se nada além de mim e do mar.

Depois de tudo isso eu caí em um outro sonho lúcido, talvez  até ainda fosse esse, porém o cenário era diferente e como este sonho foi bem grande, acho melhor deixar para relata-lo outro dia.
Pyros, esse seu sonho foi intenso viu. E você conseguiu driblar muito bem as distrações e manter a lucidez o máximo de tempo nesse sonho. Parabéns! certo
Valeuzão Ramon xD

Mas vou te contar, manter a lucidez por muito tempo não é só difícil... é praticamente um desgaste mental completo. Parece que a mente  começa a pregar peças na gente e brincar com nós mesmos. Teve horas que eu me questionei se não tinha ficado louco. medo
Porem foi um sonho divertido pakas para mim. Além disso me mostrou o quanto eu ainda preciso melhorar como onironauta. O titulo original que die a esse sonho e escrevi no meu diário físico foi : "O fim de um onironauta" , justamente por isso, nesse sonho eu encarei meus medos e vi o quanto eu ainda tenho que aprender pra chegar perto de arranhar o que é ser um verdadeiro onironauta.
Mas você já é um verdadeiro onironauta. Todos nós aqui no fórum, somos verdadeiros onironautas. A partir do momento que começamos a dar atenção pros nossos sonhos, anota-los num diário e compartilhar experiências com outros sonhadores, já podemos nos considerar verdadeiros onironautas.

Agora o mundo onírico é um lugar de constante aprendisado, Pyros. Cada sonho, uma nova experiência. E em cada experiência, um novo aprendizado. E não importa o nosso grau de experiência com o mundos dos sonhos, sempre estaremos tendo novas experiências e aprendendo coisas novas.
Valeu peo comentário Ramon, foi muito animado ler isso. Na real, nunca da para saber o que vai acontecer quando você fica lúcido. Mas acho que isso é o que torna o aprendizado cada vez mais divertido. viva

Königin escreveu:
Pyros:

Pyros escreveu:Sonho Nº 19 - 09 de Novembro de 2016

Por onde começar em?
  Bom, se minha memória não falha, eu caminhava por uma rua de meu bairro em um final de tarde. Por algum motivo decido pular o muro e entrar em uma casa aleatória da rua e é lá que eu fico lúcido. A casa estava escura, mas como os raios de sol entravam pela porta que eu havia aberto dava para ver até a poeira que fica no ar.
  Estava investigando o local, até que uma garotinha negra veio em minha direção e me abraçou. Eu segurei ela pelas bochechas e procurei ver se reconhecia quem que era aquela menininha. Ela me abraçou novamente e dessa vez retribui e quando olhei-a novamente, a garotinha havia se transformado em uma mulher. Por acaso era alguém que eu conhecia. Era uma amiga minha, a mesma que apareceu em meu primeiro sonho lúcido deste diário. Ela desapareceu no ar junto com a poeira e eu fiquei pensando:
"- Vamos, vamos... estou perdendo meu tempo neste sonho lúcido. Está na hora de fazer alguma estripulia!!"

 Fui para fora da casa e lembrei do objetivo de voar até a lua. Não me relembro muito do que aconteceu neste momento, mas lembro de que já era noite e eu fiquei procurando em que direção estava a lua no céu. O céu estava cheio de nuvens, mas eu consegui ver algo por trás das nuvens que tinha um formato meio oval. Voei a toda velocidade em direção ao objeto, imaginando ser a lua. A massa de nuvens estava muito densa, para imaginar era como se estivesse assim:
Nuvens:
Dentro das nuvens havia se formado uma tempestade e dava para sentir as rajadas de vento por todo o lado, além disso, parecia que a própria gravidade do local estava afetada pois vários carros ficavam sendo jogados de um lado para o outro além de grandes placas de cimento, como se fossem pedaços de rodovias arrancados do chão. Muitos viam em minha direção e eu tinha que soca-los para que não me atingissem em cheio.
 Consegui chegar no objeto de formato oval e ele não era a lua(óbvio), na verdade era feito de ouro e era uma cadeira gigante ou um trono gigante, porém em um formato oval. Dei a volta para conseguir ver quem estava sentado nela. Era um homem gordo, gigantesco, vestindo uma armadura toda feita de ouro e segurando um grande cetro na mão, parecia muito ser um rei. Quando digo que ele era gigantesco não estou exagerando levando em conta o fato dele ser gordo, para se ter ideia, era como se a cabeça dele fosse 2x o meu tamanho. Ele era definitivamente um gigante. Usava um capacete que cobria a cabeça, mas deixava o rosto amostra, além de ter um par de chifres como se fosse um touro, tudo isso sendo de ouro. Vendo tudo isso talvez vocês pensem que tipo de pessoa onírica ele poderia ser ou o tipo de diálogo que poderia ser criado naquela situação. Porém, eu só conseguia pensa em o quão frustrante era eu não ter chegado na lua, a cara do gigante dourado também não era muito convidativa. Ele estava mais para um cara entediado com tudo ao seu redor.
 Não estava afim de perder tempo com aquilo, mas não dava para ver nada dentro daquela tempestade, as nuvens cobriam tudo em todas as direções. Decidi sair voando daquele lugar para tentar ver o céu limpo novamente e foi aí que os problemas começaram. Quando eu finalmente saí daquele turbilhão de nuvens que cobria o céu. Um prédio foi arremessado de lá de dentro das nuvens em minha direção, não sendo um prédio qualquer, era o Empire State vindo bem para cima de mim. Eu ainda estava voando, apertei a língua no céu da boca e estabilizei o sonho. Peguei o prédio no ar e arremessei de volta para dentro das nuvens. (É, não tem outra forma de explicar isso, aliás vai ficar pior daqui pra frente)
 Do céu, várias coisas gigantescas começaram a cair. Primeiro foi um navio cargueiro que fez um tremendo estrago varrendo as casas que estavam abaixo de mim. Logo depois me lembro de pelo menos dois aviões muito grandes, caíram rolando.
Aviões:
Após isso um meteoro gigante pegando fogo se chocou no chão e deixou tudo em chamas e embora eu tivesse plena certeza de que estava sonhando e fazia questão de esfregar as mãos para estabilizar eu não conseguia fazer mais nada, nos céus parecia haver uma guerra porque tinham coisas se movimentando para todos os lados. O próximo objeto que saiu das nuvens foi um planeta, mas não qualquer planete. Foi Saturno!!! Os anéis gigantes atravessaram as nuvens e logo depois veio o planeta, acontece que foi por aí que eu perdi parte da lucidez e pode-se dizer que quando estou semi-lúcido eu começo a fazer coisas que o medo me impediria. Bom, saltei em direção ao planeta e comecei a voar, segurei na borda dos anéis que pareciam ter a textura de ferro e eram maciços, e comecei a empurrar ele de volta para cima até joga-lo de volta nos céus. Isso me deixou muito exausto e não sei lembro muito mais que aconteceu depois disso.

 Ainda lúcido, mas agora o cenário havia mudado e eu estava voltando ao chão. Pousei ao lado de uma loja que parecia vender artigos de ouro. Isso me fez lembrar o que tinha rolado antes e voltei a ficar totalmente lúcido novamente. Também me questionei se já não fazia uns 20-25 minutos que eu estava sonhando e decidi esfregar as mãos para estabilizar mais o sonho e mante-lo por mais tempo. Fui andando até a frente do prédio e quando cheguei lá amanheceu instantaneamente, como se a um segundo atrás tudo fosse noite e agora o sol brilha claro no céu.
 Imaginei que talvez não havia conseguido chegar na lua pois eu não estava voando rápido o bastante, embora antes eu já estivesse bem rápido. Decidi então sair correndo e pegar impulso, quando eu saísse do chão tentaria usar as chamas nas mãos como propulsão, como já fiz em outros sonhos. Deu certo, mas ao invés de ir mais rápido eu  fiquei voando lentamente e pousei em frente a um supermercado. Isso me recorda o meu primeiro sonho, onde também fui a um supermercado  e eu decido entrar nele.
 Lá dentro, abaixo de uma prateleira vendendo salgadinhos, havia um buraco na parede em forma de coração. Enfiei a mão nele pensando: "- Imagina um easter egg num sonho, o que será?"
Uma garota saiu da fila e também colocou a mão lá para pegar o que tinha dentro, porém eu puxei primeiro. Eram lápis de colorir, uma caixa com vários de cera e outra de madeira. Saí de lá de dentro com ambos na mão e a garota ficou me olhando com uma cara de choro. Joguei uma caixa em direção a ela, o que fez ela sorrir, pegar uns papéis e vir em minha direção querendo desenhar. Começamos a desenhar e eu percebi que meu cérebro estava me distraindo novamente, dei um salto que me deixou na altura do topo dos prédio e de lá mesmo saí voando. O problema é que alguns desenhos da garota vieram junto comigo, um deles por sinal, mostrava o mar aberto e ao olhar enquanto voava fui transportado para àquele lugar.
 Era lindo, o mar e ao longe o por do sol.
Por do sol... tipo esse xD:
Eu estava cansado de tentar ir à lua e lá eu estava me sentindo em paz, decidi ficar voando de costas rente ao mar enquanto cantarolava uma musica que não lembro mais até acordar naturalmente. Tava tudo em paz, eu imaginando que ia acordar bem feliz de bem com a vida, até que alguém fez o "favor" de agarrar meu braço e me puxar até a água. Lá haviam várias pessoas, umas segurando as outras pelas mãos e me usando para se sustentarem fora d'água. Elas gritavam algo como :"- Agora sim estamos salvos!"
" - Calma, vou tirar vocês daqui." Falei enquanto começava a levitar para fora da água e me preparando para voar.
Só que foi aí que o pesadelo começou. As pessoas começaram a crescer e ficaram gigantescas, tão grandes que mesmo em mar aberto a água não chegava nem em seus tornozelos, além disso, umas começaram a subir as outras numa briga para ficar no topo e começaram a ficar brancas como uma folha de papel até que desapareceram e tudo ao meu redor ficou branco. Só sobrou o mar abaixo de mim que estava levitando, mas para onde eu olhasse era como se não existe-se nada além de mim e do mar.

Depois de tudo isso eu caí em um outro sonho lúcido, talvez  até ainda fosse esse, porém o cenário era diferente e como este sonho foi bem grande, acho melhor deixar para relata-lo outro dia.
Que sonho fantástico, Pyros. Gostei principalmente da parte dos desenhos no papel que funcionava como um portal. Já imaginou se você tivesse todos os desenhos em mãos e fosse conhecer todos os lugares desenhados. Seria uma aventura e tanto. =)

Verdade, e olha que eu nem procurei um que tivesse a imagem da lua. Num sonho em que eu adentrei uma tempestade, arremessei planetas e me encontrei com gigantes, a única coisa que eu queria era ir para a lua e não consegui realizar. gargalhada gargalhada gargalhada gargalhada
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5708
Honra : 1044
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Sex Nov 11, 2016 8:38 am
Pyros escreveu:
Valeu peo comentário Ramon, foi muito animado ler isso. Na real, nunca da para saber o que vai acontecer quando você fica lúcido. Mas acho que isso é o que torna o aprendizado cada vez mais divertido. viva
Você ficando lúcido, fica difícil controlar tudo que vem pela frente. É uma briga constante entre estarmos conscientes ou não do que estamosfazendo. Mas. Aprender faz parte do aprendizado de todos nós. Sabe qual é a 1° regra de ouro para se prolongar o sonho lúcido? "Você ficar calmo e controlar a sua ansiedade". Depois que você começa a entender isso e colocar em prática, você se diverte muito mais. certo
avatar
Mensagens : 386
Pontos : 1599
Honra : 199
Data de inscrição : 04/03/2016
Idade : 20
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
29 / 99929 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Dom Nov 13, 2016 3:57 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Ae Ramon, me tira uma duvida. Se eu tiver cumprido um desafio lúcido nesse meu ultimo sonho lúcido, mesmo não tendo feito intencionalmente para cumpri-lo, contaria como ponto nos desafios lúcidos?

É que desde que teve aquele post falando sobre a volta dos desafios eu estou pensando em fazer alguns para continuar me animando a sonhar todas as noites.
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5708
Honra : 1044
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Dom Nov 13, 2016 4:40 pm
Pyros escreveu:Ae Ramon, me tira uma duvida. Se eu tiver cumprido um desafio lúcido nesse meu ultimo sonho lúcido, mesmo não tendo feito intencionalmente para cumpri-lo, contaria como ponto nos desafios lúcidos?

É que desde que teve aquele post falando sobre a volta dos desafios eu estou pensando em fazer alguns para continuar me animando a sonhar todas as noites.
Pyros, se você completar um desafio lúcido, mesmo que o sonho lúcido tenha sido espontâneo, a experiência já está valendo pontos nos desafios lúcidos.

Mas o que importa não é os pontos em si, o que importo mesmo é você passar pela experiência e completar os desafios lúcidos. certo
avatar
Mensagens : 367
Pontos : 868
Honra : 47
Data de inscrição : 09/10/2016
Localização : SP,Brasil
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
2 / 9992 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Dom Nov 13, 2016 6:27 pm
eae pyros prazer em conhecer, como esta? bom adorei ver o seus SLs e os textos grandes tambem me fascinou, ate o primeiro sl durou bastante, voce tem jeito pra isso muito feliz, vou ficar acompanhando o seu diario assim que terminar de ler os SLs que ja tem muito feliz
avatar
Mensagens : 367
Pontos : 868
Honra : 47
Data de inscrição : 09/10/2016
Localização : SP,Brasil
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
2 / 9992 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Seg Nov 14, 2016 12:44 am
Pyros escreveu:Sonho Nº 1 - 20 de Março de 2016


Olá galera, bom a partir de hoje começarei a relatar para vocês os meus sonhos lúcidos, espero que se divirtam com eles e também espero que eu consiga aprender cada vez mais por esse assunto que me facinou muito.

Antes de eu relatar meu sonho, queria dar meu “contexto histórico” a vocês. Eu sonhava bastante quando era muleque, contava meus sonhos para meu pai e ele me contava os deles também. Lembro de algumas vezes perceber que estava sonhando, mas eu era um garoto lá pelos seus 8 anos então ficava animado demais quando percebia que estava sonhando e acho que acordei a maioria das vezes quando isso aconteceu. Depois de crescer mais um pouco, algumas coisas aconteceram comigo e comecei a lembrar bem pouco dos meus sonhos, também a rotina começando a ficar mais estressante e o sono menos duradouro já dificultaram bastante isso. Por fim, no ano passado eu lí sobre sonhos lúcidos e ao pesquisar no google achei o site e comecei a estudar um pouco mais sobre isso, desde o ano passado então eu estou testando alguns métodos e comecei a lembrar bastante de meus sonhos mas até o dia de hoje eu não tinha tido realmente um sonho lúcido.

Beleza, então vamos ao sonho. Eu estava ajoelhado a beira de uma estrada e do outro lado dela me parecia ser o mar, eu realmente não cheguei a vê-lo direito, mas conseguia sentir o cheiro de sal no ar misturado com areia, também consguia ouvir o barulho das ondas arrebentando e um vento forte comum das praias. Mas minha atenção estava voltada a uma pessoa que estava deitada no chão ao meu lado, era uma amiga de longas datas e ela estava envenenada. Como estudo um pouco de medicina, na minha cabeça eu ficava repassando alguns tipos de venenos comuns que conheço e ficava tentando entender o porque dela estar envenenada ali. De repente meu telefone toca e ao atender ouço a voz de minha tia, ela me avisa que só pode me mandar uma dica sobre como curar minha amiga, mas não o antidoto, eu aceito e de repente aparece na minha frente um bonequinho do homem aranha. Ah!! Fiquei fulo da vida, desde quando um boneco do homem aranha era dica de alguma coisa!? Mas resolvi investigar melhor ele e observo que na sua mão havia um pequeno pedaço de papel enrolado. Quando resolvi abrir o papel foi desdobrando feito um daqueles mapas e de repente tava com praticamente um jornal na minha mão, cheio de informações sobre o passo a passo de curar envenenamentos. Procurei no papel e vi que no caso de minha amiga o antídoto era usar uma mistura de água natural + água gelada. Daí pensei comigo:
“Vou no mar e pego um pouco da água, talvez o sal ajuda”.
Mas logo desisti da ideia e pensei seriamente que se eu estivesse sonhando sería mais fácil resover o problema. Como num piscar de olhos tudo ao meu redo já tinha mudado, eu estava num local escuro e fechado, minha amiga já não estava mais comigo principalmente, eu entendi que estava sonhando. De repende em meio a escuridão surge um vulto de uma mulher vindo em minha direção  susto , quando olho ao meu redor percebi estar na cozinha da casa onde a tia que me ligou mora e era ela vindo em minha direção, mas aquilo tudo era assustador, eu segurei a cabeça dela tentando impedir que ela chegasse mais perto e comecei a gritar o meu nome e minha idade buscando que as coisas ficassem mais claras, ajudou pouco, havia um momento de iluminação quando eu fazia isso e era como um flash, mas nada duradouro.
Acontece que esta tia mora no mesmo prédio que eu, digamos é uma casa de três andares e no ultimo andar é onde eu moro ela mora no primeiro, Nesse momento eu subi as escadas correndo e quando cheguei em minha casa resolvi pular pra casa do vizinho que é mais baixa que a minha, claro que pulei na esperança de sair voando, mas não achava que ia acontecer só que aconteceu!!! Eu estava voando! Nem sei quantas vezes me peguei imaginando poder fazer isso. Lembro bem que quando olhei para trás vi minha tia subindo as escadas e o sonho se tornou mais claro até que começou a ter cores e pude ver perfeitamente tudo ao meu redor. Mas nada disso durou muito, lembrei nesse momento sobre minha amiga lá na praia e o desespero voltou a minha cabeça, já que voava comecei a voar até chegar em um supermercado, eu estava tão rápido que mal conseguia me controlar para fazer uma curva... mas foi meu primeiro vôo em muito tempo, então peguem leve comigo kkkk. lingua
Enquanto voava eu testei algo que coloquei na minha lista de afazeres dos sonhos. Não riam mais, eu pensei em fazer um Rasengan. Certo, admito que quando eu era mais novo assistia muito anime e quando comecei a ler sobre sonhos vi que existia uma certa dificuldade em criar coisas do nada nos sonhos, então comecei a treinar ficar imaginando aquela bola de energia girando em minha mão  e quando sonhei só de olhar para a mão ela foi se formando e sinseramente foi algo incrível naquele momento, comecei a reparar também que o meu bairro todo parecia mais uma cidadezinha do interior com casinhas pequenas e um quintal grande e nào os prédios que estou acostumado. Comecei então a voar mais baixo até que vi um supermercado, fiz outro Rasengan na mão e entrei com tudo no supermercado, destruindo parede e tudo mais. Lembrei que tinha que encontrar a água e então fiz um outro teste, correr usando tando as mãos como os pés como um felino.
Isso foi fácil, porque é algo que acontece bastante em meus sonhos não lúcidos, então consigo controlar melhor a velocidade que atinjo. Encontrei a água e despejei em uma bacia, só que de repente minhas pernas começaram a coçar, como se eu estivesse em cima de um formigeiro e todas a formigas comessacem a subir em minhas pernas. Perguntei para o rapaz que estava trabalhando na seção se ele sabia o porque disso e ele me respondeu que a chefe dele que era a culpada e todos que iam fazer compras ali reclamavam disso, a coceira não passava e percebi que comecei a acordar daí perguntei alguma coisa a ele mas não lembro mais o que foi. Acordei e minhas pernas estavam coçando mesmo, na realidade elas estavam todas enroladas pelo cobertor e estava fazendo muito calor e por algum motivo quando acordei fui logo olhar se nòa havia realmente formigas nelas. suspeito

Bom, este foi o meu sonhos lúcido.
"Como num piscar de olhos tudo ao meu redo já tinha mudado, eu estava num local escuro e fechado."
Era o limbo?
"Não riam mais, eu pensei em fazer um Rasengan. Certo, admito que quando eu era mais novo assistia muito "anime
voce pode assistir o que quiser, quem manda em voce é voce!
" coceira não passava e percebi que comecei a acordar daí perguntei alguma coisa a ele mas não lembro mais o que foi. Acordei e minhas pernas estavam coçando mesmo, na realidade elas estavam todas enroladas pelo cobertor e estava fazendo muito calor e por algum motivo quando acordei fui logo olhar se nòa havia "realmente formigas nelas.
Interessante ne, mesmo sonhando o cerebro nao desativa nos sentidos externos, como audição (se nao nao iriamos acordar com o barulho de um despertador muito feliz) acho isso incrivel!
PARABENS PELO SEU SONHO LUCIDO, SIMPLESMENTE ADOREI, E REALMENTE DEVE SER INCRIVEL FAZER UM RASENGAN NA MAO, DA PROXIMA VEZ TENTA FAZER UM RASENSHURINKEN E BATER EM ALGUEM COM ELE, OU TRANSFORMAR O SEU SONHO EM UM ANIME E LUTAR CONTRA ALGUEM!
avatar
Mensagens : 386
Pontos : 1599
Honra : 199
Data de inscrição : 04/03/2016
Idade : 20
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
29 / 99929 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Seg Nov 14, 2016 11:13 am
Yo Tabarisco!!! Bem vindo ao meu diário xD.

Rapaz, não foi o limbo não, já tive alguns sonhos no vazio e até relatei algum aqui, mas dessa vez eu estava na casa de minha tia mesmo, porém estava tudo escuro ao redor.

Mas ae, faz realmente um tempo que eu não faço um Rasengan nos meus sonhos. Ta na hora de evoluir, vou seguir sua ideia e tentar fazer um Rasenshuriken, será que vai ficar massa?
avatar
Mensagens : 367
Pontos : 868
Honra : 47
Data de inscrição : 09/10/2016
Localização : SP,Brasil
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
2 / 9992 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Seg Nov 14, 2016 7:00 pm
Pyros escreveu:Yo Tabarisco!!! Bem vindo ao meu diário xD.

Rapaz, não foi o limbo não, já tive alguns sonhos no vazio e até relatei algum aqui, mas dessa vez eu estava na casa de minha tia mesmo, porém estava tudo escuro ao redor.

Mas ae, faz realmente um tempo que eu não  faço um Rasengan nos meus sonhos. Ta na hora de evoluir, vou seguir sua ideia e tentar fazer um Rasenshuriken, será que vai ficar massa?
acho que vai ficar sim, se voce conseguir fazer o rasenshuriken com os clones tenta fazer depois sem clones, e hey isso é uma boa ideia, se clonar nos sonhos. aah e ja tentou transformar seu sonho em um anime? deve ser YAY! principalmente de naruto, pokemon, bleach ou qualquer anime fica dahora (o melhor vai ser se voce criar o seu proprio!) uma luta em um anime dentro do sonho com jutsus NOSSA IA SER YAY!
avatar
Mensagens : 367
Pontos : 868
Honra : 47
Data de inscrição : 09/10/2016
Localização : SP,Brasil
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
2 / 9992 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Seg Nov 14, 2016 7:04 pm
avatar
Mensagens : 386
Pontos : 1599
Honra : 199
Data de inscrição : 04/03/2016
Idade : 20
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
29 / 99929 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Um onironauta tentando se tornar um cosmonauta

em Dom Nov 27, 2016 9:02 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Sonho Nº 19 - 27 de Novembro de 2016



Esse sonho começou não lúcido e embora muitas coisas dele me fugiram a mente eu ainda lembro de sua estrutura. Eu estava com a minha mãe e um homem de uns 50 anos, de frente para um lago. Haviam outras pessoas lá e todas estavam muito felizes pelo fato de que o mundo havia acabado ou pelo menos o seu "fim" havia começado. O Homem que estava comigo não parecia tão feliz, ele disse que não sabia se a sua esposa sobreviveria e que caso ela sobrevivesse... será que ele ficaria preso a ela para sempre?
 Eu parei um pouco para contemplar a vista ao nosso redor. Haviam várias árvores de cerejeira, além disso para onde nós fossemos olhar, era floresta. Lembro de nadar no lago sem medo algum e aliás nadava bem até. Depois dessas estripulias, voltei para perto de mãe e perguntei onde estava aquele homem. Ela disse:
"- Ele foi ao fundo do lago... conversar com Deus".
Intrigado, nadei até o fundo e lá vi uma das mais belas imagens que cheguei a ver em um sonho. No fundo havia um buraco e dentro desse buraco havia uma árvore de cerejeira que brilhava iluminando toda a área ao seu redor. O Homem estava sentado ao lado dela, orando ou meditando. Em tudo isso eu ainda não estava lúcido.

Quando retornei a superfície, muita coisa havia mudado, inclusive o nível d'água do lago havia subido bastante. O homem disse para mim que haviam encontrado a mulher dele em uma penitenciária e que ele iria até ela para falar com ela. O cenário mudou e aparecemos na tal penitenciária,  ele e a irmã foram falar com a mulher e eu entre outros ficamos de longe. Foi por aí que eu fiquei lúcido e logo que lembrei de ir a lua, saí pulando pelas paredes procurando uma passagem. Como não encontrei nenhuma, comecei a fazer rasengans e ir abrindo buracos nas paredes ou teto para sair, o que infelizmente não rolou. Em certo momento a parede fez meu rasengan estourar, mas continuou em tacta e foi aí que eu tive a oportunidade de sentir a textura do próprio rasengan, ele era frio e você conseguia sentir o vento saindo dele. Com esse impasse decidi por fazer uma nova abordagem: Normalmente eu faço o rasengan  na minha mão esquerda, pois sou canhoto. No sonho eu estava fazendo ele com minha mão direita e ele tinha uma coloração dourada, bem diferente do azul convencional. Bom eu fiz um em cada mão, o da mão  esquerda tinha uma cor azul escura e o da mão direita persistia com a cor dourada, por isso decidi chocar-los e ver o que aconteceria. A sensação disso foi muito louca, parecia aquela de quando você coloca dois imãs e tenta encostar um no outro, se ambos tiverem os mesmo polo irão se repelir. Assim era com o rasengan, um repelia o outro e eu tive de fazer muito esforço para choca-los, mas o resultado foi um beeem maior e com a coloração azul clara usual.

Taquei ele no teto e consegui atravessar, finalmente chegando fora daquela prisão. Ao redor era o centro de uma cidade, porém minha preocupação mesmo era ir a lua. Saí voando em direção ao céu, mas por mais que tentasse eu não conseguia, além disso por algum motivo na minha mente , se não fosse noite não havia como eu achar a lua e isso me atrapalhou muito. Voei ate lá de cima vi vários gigantes andando sobre o chão, eram muitos mesmo. Olhei ao longe e vinha um dragão em minha direção, pensei comigo: "- ta na hora de pegar uma carona até a lua", quando o dragão passou por mim, montei nele e nos coloquei em direção aos céus e ele foi subindo.

Mas é um sonho meu e vocês sabem que meu subconsciente não ia deixar eu ir ao espaço tão facilmente. Pois bem, veio uma esfera gigante e prendeu a mim e o dragão dentro dela, além de ter uma voz de mulher dizendo que não era permitido ir além daquela área. Parei, me sentei sobre o dragão e pensei comigo: "Subconsciente, me dá uma força, por favor. Me mostre o espaço". Foi isso que aconteceu, a capsula começou a abrir e eu estava no espaço. Porém, bem distante da terra, eu estava próximo aos pilares da criação, sim aquelas massas gigantescas com algumas formas.
Pilares:

Sem reação com isso, comecei a procurar se não via uma lua em nenhum lugar e ao olhar para baixo uma lua começou a se formar, porém era como se fosse feita de metal. A gravidade da lua metálica começou a me atrair a ela e eu acabei por cair nela, a capsula também caiu por cima de mim o que me fez cair em um outro sonho ou pelo menos voltar para a terra, não lembro muito mais depois daqui. olhos girando


Última edição por Pyros em Sex Fev 10, 2017 1:47 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1456
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Dom Nov 27, 2016 1:34 pm
Pyros:
Sonho Nº 20 - 27 de Novembro de 2016



Esse sonho começou não lúcido e embora muitas coisas dele me fugiram a mente eu ainda lembro de sua estrutura. Eu estava com a minha mãe e um homem de uns 50 anos, de frente para um lago. Haviam outras pessoas lá e todas estavam muito felizes pelo fato de que o mundo havia acabado ou pelo menos o seu "fim" havia começado. O Homem que estava comigo não parecia tão feliz, ele disse que não sabia se a sua esposa sobreviveria e que caso ela sobrevivesse... será que ele ficaria preso a ela para sempre?
 Eu parei um pouco para contemplar a vista ao nosso redor. Haviam várias árvores de cerejeira, além disso para onde nós fossemos olhar, era floresta. Lembro de nadar no lago sem medo algum e aliás nadava bem até. Depois dessas estripulias, voltei para perto de mãe e perguntei onde estava aquele homem. Ela disse:
"- Ele foi ao fundo do lago... conversar com Deus".
Intrigado, nadei até o fundo e lá vi uma das mais belas imagens que cheguei a ver em um sonho. No fundo havia um buraco e dentro desse buraco havia uma árvore de cerejeira que brilhava iluminando toda a área ao seu redor. O Homem estava sentado ao lado dela, orando ou meditando. Em tudo isso eu ainda não estava lúcido.

Quando retornei a superfície, muita coisa havia mudado, inclusive o nível d'água do lago havia subido bastante. O homem disse para mim que haviam encontrado a mulher dele em uma penitenciária e que ele iria até ela para falar com ela. O cenário mudou e aparecemos na tal penitenciária,  ele e a irmã foram falar com a mulher e eu entre outros ficamos de longe. Foi por aí que eu fiquei lúcido e logo que lembrei de ir a lua, saí pulando pelas paredes procurando uma passagem. Como não encontrei nenhuma, comecei a fazer rasengans e ir abrindo buracos nas paredes ou teto para sair, o que infelizmente não rolou. Em certo momento a parede fez meu rasengan estourar, mas continuou em tacta e foi aí que eu tive a oportunidade de sentir a textura do próprio rasengan, ele era frio e você conseguia sentir o vento saindo dele. Com esse impasse decidi por fazer uma nova abordagem: Normalmente eu faço o rasengan  na minha mão esquerda, pois sou canhoto. No sonho eu estava fazendo ele com minha mão direita e ele tinha uma coloração dourada, bem diferente do azul convencional. Bom eu fiz um em cada mão, o da mão  esquerda tinha uma cor azul escura e o da mão direita persistia com a cor dourada, por isso decidi chocar-los e ver o que aconteceria. A sensação disso foi muito louca, parecia aquela de quando você coloca dois imãs e tenta encostar um no outro, se ambos tiverem os mesmo polo irão se repelir. Assim era com o rasengan, um repelia o outro e eu tive de fazer muito esforço para choca-los, mas o resultado foi um beeem maior e com a coloração azul clara usual.

Taquei ele no teto e consegui atravessar, finalmente chegando fora daquela prisão. Ao redor era o centro de uma cidade, porém minha preocupação mesmo era ir a lua. Saí voando em direção ao céu, mas por mais que tentasse eu não conseguia, além disso por algum motivo na minha mente , se não fosse noite não havia como eu achar a lua e isso me atrapalhou muito. Voei ate lá de cima vi vários gigantes andando sobre o chão, eram muitos mesmo. Olhei ao longe e vinha um dragão em minha direção, pensei comigo: "- ta na hora de pegar uma carona até a lua", quando o dragão passou por mim, montei nele e nos coloquei em direção aos céus e ele foi subindo.

Mas é um sonho meu e vocês sabem que meu subconsciente não ia deixar eu ir ao espaço tão facilmente. Pois bem, veio uma esfera gigante e prendeu a mim e o dragão dentro dela, além de ter uma voz de mulher dizendo que não era permitido ir além daquela área. Parei, me sentei sobre o dragão e pensei comigo: "Subconsciente, me dá uma força, por favor. Me mostre o espaço". Foi isso que aconteceu, a capsula começou a abrir e eu estava no espaço. Porém, bem distante da terra, eu estava próximo aos pilares da criação, sim aquelas massas gigantescas com algumas formas.
Pilares:

Sem reação com isso, comecei a procurar se não via uma lua em nenhum lugar e ao olhar para baixo uma lua começou a se formar, porém era como se fosse feita de metal. A gravidade da lua metálica começou a me atrair a ela e eu acabei por cair nela, a capsula também caiu por cima de mim o que me fez cair em um outro sonho ou pelo menos voltar para a terra, não lembro muito mais depois daqui. olhos girando

Pyros, que pena que não conseguiu chegar à lua, foi por pouco neutro Muito boa a sua ideia de juntar os rasengans para fazer um maior legal Será que esse dragão não voltaria em outros sonhos para te ajudar a chegar na lua?
avatar
Mensagens : 386
Pontos : 1599
Honra : 199
Data de inscrição : 04/03/2016
Idade : 20
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
29 / 99929 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Ter Nov 29, 2016 11:29 pm
Érika escreveu:
Pyros:
Sonho Nº 20 - 27 de Novembro de 2016



Esse sonho começou não lúcido e embora muitas coisas dele me fugiram a mente eu ainda lembro de sua estrutura. Eu estava com a minha mãe e um homem de uns 50 anos, de frente para um lago. Haviam outras pessoas lá e todas estavam muito felizes pelo fato de que o mundo havia acabado ou pelo menos o seu "fim" havia começado. O Homem que estava comigo não parecia tão feliz, ele disse que não sabia se a sua esposa sobreviveria e que caso ela sobrevivesse... será que ele ficaria preso a ela para sempre?
 Eu parei um pouco para contemplar a vista ao nosso redor. Haviam várias árvores de cerejeira, além disso para onde nós fossemos olhar, era floresta. Lembro de nadar no lago sem medo algum e aliás nadava bem até. Depois dessas estripulias, voltei para perto de mãe e perguntei onde estava aquele homem. Ela disse:
"- Ele foi ao fundo do lago... conversar com Deus".
Intrigado, nadei até o fundo e lá vi uma das mais belas imagens que cheguei a ver em um sonho. No fundo havia um buraco e dentro desse buraco havia uma árvore de cerejeira que brilhava iluminando toda a área ao seu redor. O Homem estava sentado ao lado dela, orando ou meditando. Em tudo isso eu ainda não estava lúcido.

Quando retornei a superfície, muita coisa havia mudado, inclusive o nível d'água do lago havia subido bastante. O homem disse para mim que haviam encontrado a mulher dele em uma penitenciária e que ele iria até ela para falar com ela. O cenário mudou e aparecemos na tal penitenciária,  ele e a irmã foram falar com a mulher e eu entre outros ficamos de longe. Foi por aí que eu fiquei lúcido e logo que lembrei de ir a lua, saí pulando pelas paredes procurando uma passagem. Como não encontrei nenhuma, comecei a fazer rasengans e ir abrindo buracos nas paredes ou teto para sair, o que infelizmente não rolou. Em certo momento a parede fez meu rasengan estourar, mas continuou em tacta e foi aí que eu tive a oportunidade de sentir a textura do próprio rasengan, ele era frio e você conseguia sentir o vento saindo dele. Com esse impasse decidi por fazer uma nova abordagem: Normalmente eu faço o rasengan  na minha mão esquerda, pois sou canhoto. No sonho eu estava fazendo ele com minha mão direita e ele tinha uma coloração dourada, bem diferente do azul convencional. Bom eu fiz um em cada mão, o da mão  esquerda tinha uma cor azul escura e o da mão direita persistia com a cor dourada, por isso decidi chocar-los e ver o que aconteceria. A sensação disso foi muito louca, parecia aquela de quando você coloca dois imãs e tenta encostar um no outro, se ambos tiverem os mesmo polo irão se repelir. Assim era com o rasengan, um repelia o outro e eu tive de fazer muito esforço para choca-los, mas o resultado foi um beeem maior e com a coloração azul clara usual.

Taquei ele no teto e consegui atravessar, finalmente chegando fora daquela prisão. Ao redor era o centro de uma cidade, porém minha preocupação mesmo era ir a lua. Saí voando em direção ao céu, mas por mais que tentasse eu não conseguia, além disso por algum motivo na minha mente , se não fosse noite não havia como eu achar a lua e isso me atrapalhou muito. Voei ate lá de cima vi vários gigantes andando sobre o chão, eram muitos mesmo. Olhei ao longe e vinha um dragão em minha direção, pensei comigo: "- ta na hora de pegar uma carona até a lua", quando o dragão passou por mim, montei nele e nos coloquei em direção aos céus e ele foi subindo.

Mas é um sonho meu e vocês sabem que meu subconsciente não ia deixar eu ir ao espaço tão facilmente. Pois bem, veio uma esfera gigante e prendeu a mim e o dragão dentro dela, além de ter uma voz de mulher dizendo que não era permitido ir além daquela área. Parei, me sentei sobre o dragão e pensei comigo: "Subconsciente, me dá uma força, por favor. Me mostre o espaço". Foi isso que aconteceu, a capsula começou a abrir e eu estava no espaço. Porém, bem distante da terra, eu estava próximo aos pilares da criação, sim aquelas massas gigantescas com algumas formas.
Pilares:

Sem reação com isso, comecei a procurar se não via uma lua em nenhum lugar e ao olhar para baixo uma lua começou a se formar, porém era como se fosse feita de metal. A gravidade da lua metálica começou a me atrair a ela e eu acabei por cair nela, a capsula também caiu por cima de mim o que me fez cair em um outro sonho ou pelo menos voltar para a terra, não lembro muito mais depois daqui. olhos girando

Pyros, que pena que não conseguiu chegar à lua, foi por pouco neutro Muito boa a sua ideia de juntar os rasengans para fazer um maior legal Será que esse dragão não voltaria em outros sonhos para te ajudar a chegar na lua?

Parece que minha ida a lua será adiada novamente. Mas tomara que o dragão apareça, to precisando de uma caroninha HAHAHAH
avatar
Mensagens : 326
Pontos : 1088
Honra : 106
Data de inscrição : 10/05/2016
Localização : RS
Sonhos Lúcidos :
7 / 9997 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Qua Nov 30, 2016 11:47 am
Oi pyros,tá difícil a lua né?Mas a experiência foi muito válida com certeza,pilares da criação?Poxa,foi boa mesmo,parabéns.
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3342
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Qui Dez 01, 2016 11:46 am
Que sonho massa, Pyros!Você está quase conseguindo pisar na Lua. Gostei muito da parte que você criou dois rasegan e depois os uniu, gerando outro maior e poderoso e dos pilares da criação.
Seria o dragão do seu sonho, o dragão de São Jorge?
avatar
Mensagens : 367
Pontos : 868
Honra : 47
Data de inscrição : 09/10/2016
Localização : SP,Brasil
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
2 / 9992 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Dom Dez 11, 2016 1:49 am
Aah como eram as imagens? Fala me deixou curioso!!!
"saí pulando pelas paredes procurando uma passagem. Como não encontrei nenhuma, comecei a fazer rasengans e ir abrindo buracos nas paredes ou teto para sair" voce gosta de rasengans em? nem bola de fogo nem nada, logo um rasengan ai sim en. mas nem vou dar ideia porque se nao voce nao vai fazer uma bola de fogo qualquer, vai fazer o jutsu bola de fogo, KSKSKSKSKSKSKSKSKSK...
como era o dragao? que cor? detalha so mais um pouquinho muito feliz, aah e pelo menos voce chegou a lua muito feliz ou a lua te atraiu e.t.c muito feliz
avatar
Mensagens : 386
Pontos : 1599
Honra : 199
Data de inscrição : 04/03/2016
Idade : 20
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
29 / 99929 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Qua Dez 28, 2016 8:19 pm
Galera, passei por aqui pra dizer que não me esqueci dos sonhos lúcidos não. É que estou muito ocupado com certas coisas e estou sem tempo para anotar e acessar.

Mas ae, me tirem uma duvida... tem muitos sonhadores novos aqui e isso é muito massa, então por onde começo a ler? Alguém tem uam recomendação de um diário novo aí pra mim?
avatar
Mensagens : 367
Pontos : 868
Honra : 47
Data de inscrição : 09/10/2016
Localização : SP,Brasil
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
2 / 9992 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Sex Dez 30, 2016 2:02 am
espero que seu diario nao tenha acabado mesmo!
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3342
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Sab Dez 31, 2016 12:31 pm
Oi Pyros. Seus relatos estão fazendo falta. Apareca mais vezes e Feliz 2017 para você!
avatar
Mensagens : 386
Pontos : 1599
Honra : 199
Data de inscrição : 04/03/2016
Idade : 20
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
29 / 99929 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Perdido entre os mundos e os tempos

em Ter Jan 10, 2017 6:56 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Sonho Nº 20 - 10 de Janeiro de 2017

Acordei. Abri meus olhos e uma luz muito forte estava entrando pelo quarto.
- Ei, ei, que sensação estranha!! Que horas devem ser?
- Espera ae, acho que eu dormir demais novamente, será que eu tinha algo marcado para hoje? Aliás que dia é hoje??
- Eu tava sonhando com algo, ma o que era? Parece que todas as lembranças sumiram no mesmo momento em que abri os olhos.
- Vamos lá Pyros, vamos tentar voltar ao sonho. (Fecho os olhos)
-Qual foi a ultima coisa de que me lembro?

Começam a vir imagens na minha mente de uma guerra antiga. Dois exércitos se enfrentando em meio a chuva e....
- (...) espera, isso não foi um sonho, não, foi um filme que eu assisti ontem a noite. Ou será que foi hoje?
- Caramba, ta fazendo muito calor, não pode ser de manhã. Que horas devem ser?
- Ah, eu lembro!!!! Eu fui deitar assistindo o Senhor dos Anéis e acabei dormindo perto do fim!! Beleza, então agora deve ser a tarde, mas então que dia é hoje?

Decidi levantar e beber uma água, não estava conseguindo por os pensamentos em ordem deitado e também não conseguir voltar a dormir.

Pego o copo, abro a geladeira, pego uma jarra d'água e começo a encher o copo.
- Opa, que estranho, eu não estava nadando hoje perto do pier? Nah, isso foi um sonho... é, um sonho que eu tive ontem a noite!!! Finalmente eu consegui lembrar desse sonho. Eu lembro, ãh, eu estava nadando com algumas pessoas e apareceu um... Tubarão!!!?
-Não! Era um golfinho, sim, era mesmo um golfinho. Mas eu também me assustei no sonho e pensei que fosse um tubarão. O  que rolou depois.... ah eu só lembro de uma amiga minha querer sentir a textura da pele do golfinho e eu fiquei meio receoso. Ela alisava ele e parecia que ele era de borracha, então tomei coragem e decidi tentar. Quando toquei nele, meu braço atravessou  ele ficou com uma aparência como se fosse feito de água. Eu segurei o coração dele e era gelado....
-Gelado... como esse copo de água aqui.

Minha mãe entrou na cozinha.

- Fez o que pedi? Perguntou ela.
- O que foi mesmo que a senhora pediu? Eu não lembro direito...
- A louça. Você enxugou?
- Sério!? Eu esqueci, acabei de acordar. Aliás, que dia é hoje?

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 Olá galera!!! Como vão vocês? Espero que tenham gostado do relato acima, mas o que foi realmente esse relato? Bom, dando as devidas explicações, esse foi apenas uma transcrição dos meus pensamentos no momento que eu havia acabado de acordar de um sonho lúcido. Na realidade, eu lembro de ter tido vários sonhos, ou pelo menos eles me vem a mente, porém, não consigo me lembrar nada sobre eles e por algum motivo ao acordar parecia que eu estava dormindo a vários dias. Demorei bastante para me readaptar após acordar, e mesmo depois de 1 hora eu ainda fiquei com isso na mente.

Bom, espero que curtam o relato de um quase sonho.


Última edição por Pyros em Sex Fev 10, 2017 1:50 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Mensagens : 386
Pontos : 1599
Honra : 199
Data de inscrição : 04/03/2016
Idade : 20
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
29 / 99929 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Desastre aéreo

em Qua Jan 11, 2017 2:35 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Sonho Nº 21 - 11 de Janeiro de 2017


Estou em um avião, porém, não com outros passageiros. Parece que estou na ala onde ficam as cargas e malas. O lugar é meio escuro, salvo por uma janela que fica bem em baixo de onde eu estou deitado e é por lá que consigo ver por onde estou sobrevoando. O interessante é que quando eu coloco meu rosto perto do vidro, minha visão de aguça e eu consigo ver tudo como se eu estivesse do lado de fora do avião.
Começam as turbulências e as malas começam a cair para um lado e para o outro, além disso o avião está ficando cada vez com menos altitude. Caramba, como isso me deixou assustado, então eu apena deitei sobre a pequena janela e fiquei esperando o impacto. Uma última olhada pela janela e percebo que estava sobrevoando a minha cidade.

Não lembro mais sobre o que aconteceu depois daí de uma forma lógica. Porém eu acordei deitado em uma areia bem fina e branca, o cheiro de sal era bem forte e quando me dei conta estava em uma praia. Ela parecia ser muito bonita, se não fosse pelo fato de que estava cheia de destroços de um avião, malas entre outras coisas. Uma dessas coisas, era um colchão inflável azul escuro que estava sendo jogado para um lado e para o outro pelas ondas. Fui até ele e comecei a arrasta-lo para a areia e foi aí que eu notei que aquele era o meu colchão, sim o colchão que eu havia deitado para dormir. Como um estralo na mente eu fiquei lúcido nesse momento.

Nessa hora eu respirei fundo para ficar calmo e comecei a pensar no que deveria fazer. Notei que perto de onde eu estava havia um prédio com uns dois andares. O prédio começava na areia e ia entrando no mar. Também sua pintura por fora parecia toda estragada, provavelmente por causa do salitre. Enquanto caminhava pela areia uma arma veio sendo jogada pelas ondas e depois saiu rolando pela areia até os meus pés.

Eu fiquei em dúvida se eu pegava ou não, pois, já faz mais de um mês que eu nem mesmo sonho lúcido. Estando enferrujado como eu estou, não confiava tanto se meus antigos poderes iriam voltar na hora que eu realmente precisasse.

Peguei a arma de fui andando em direção ao prédio.  Na direção que eu estava indo apenas haviam paredes. Só no topo, perto da cobertura, haviam janelas ao redor de toda o prédio. No chão havia uma porta ao lado esquerdo do prédio. As coisas estavam realmente escuras, e só havia iluminação fraca vindo das janelas acima. Assim que entrei notei que a parte de baixo era uma oficina mecânica, com várias coisas enferrujadas jogadas de um lado ao outro. Da minha esquerda, havia uma escada de ferro que também estava precária, decidi subir por ela e cheguei no segundo andar.

Este era feito todo com metal. Assim que cheguei lá, notei que havia uma arma em cima de um armário. Peguei ela e ao mesmo tempo já havia sacado a outra que tinha pego na praia. Comecei a suspeitar de que aquele sonho estava ficando um pouco sinistro, não sei se era por estar de volta a este mundo depois de tanto tempo, mas pela primeira vez eu senti um medo tal como se aquilo fosse se transformar em um pesadelo.

Fui andando pelo corredor até que cheguei em uma sala mal iluminada, onde havia um cara de macacão de costas para a porta por onde eu entrei. Ele usava um macacão azul escuro e estava digitando algo no computador. Gritei enquanto apontava as duas pistolas na cara dele:
- Ei!!! Você, me diz o que está rolando aqui!!!
O cara me olhou com as feições mais assustadas que eu não via a muito tempo. Levantou as mãos e ficou falando coisas estranhas, em um idioma que eu não entendia. Na realidade, mais parecia que ele era um mudo tentando falar. Ele estava muito agitado.

Percebi que em uma sala atrás desta em que estávamos, havia uma criança. Ela passou correndo de um lado para o outro e consegui vê-la enquanto passava pela porta. Nesse descuido meu o cara tentou vir para cima e pegar as armas. Apertei o gatilho com força e foi nesse momento que ao invés de sair balas de dentro das armas, saiu apenas água.

O cara começou a rir e pulou em minha direção, mas o garotinho veio e segurou ele. Aproveitei o momento e dei uma coronhada com a arma na nuca do cara. Ele caiu e eu peguei o garoto e começamos a descer as escadas. Enquanto fugíamos, o sonho começou a se desfazer e eu ouvia os gritos do cara. Lembro que o sonho não se desfez, porém eu consegui chegar de volta a praia com o garoto, mas não lembro mais o que rolou depois daí.
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3342
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Qua Jan 11, 2017 6:36 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Pyros:

Pyros escreveu:Acordei. Abri meus olhos e uma luz muito forte estava entrando pelo quarto.
- Ei, ei, que sensação estranha!! Que horas devem ser?
- Espera ae, acho que eu dormir demais novamente, será que eu tinha algo marcado para hoje? Aliás que dia é hoje??
- Eu tava sonhando com algo, ma o que era? Parece que todas as lembranças sumiram no mesmo momento em que abri os olhos.
- Vamos lá Pyros, vamos tentar voltar ao sonho. (Fecho os olhos)
-Qual foi a ultima coisa de que me lembro?

Começam a vir imagens na minha mente de uma guerra antiga. Dois exércitos se enfrentando em meio a chuva e....
- (...) espera, isso não foi um sonho, não, foi um filme que eu assisti ontem a noite. Ou será que foi hoje?
- Caramba, ta fazendo muito calor, não pode ser de manhã. Que horas devem ser?
- Ah, eu lembro!!!! Eu fui deitar assistindo o Senhor dos Anéis e acabei dormindo perto do fim!! Beleza, então agora deve ser a tarde, mas então que dia é hoje?

Decidi levantar e beber uma água, não estava conseguindo por os pensamentos em ordem deitado e também não conseguir voltar a dormir.

Pego o copo, abro a geladeira, pego uma jarra d'água e começo a encher o copo.
- Opa, que estranho, eu não estava nadando hoje perto do pier? Nah, isso foi um sonho... é, um sonho que eu tive ontem a noite!!! Finalmente eu consegui lembrar desse sonho. Eu lembro, ãh, eu estava nadando com algumas pessoas e apareceu um... Tubarão!!!?
-Não! Era um golfinho, sim, era mesmo um golfinho. Mas eu também me assustei no sonho e pensei que fosse um tubarão. O  que rolou depois.... ah eu só lembro de uma amiga minha querer sentir a textura da pele do golfinho e eu fiquei meio receoso. Ela alisava ele e parecia que ele era de borracha, então tomei coragem e decidi tentar. Quando toquei nele, meu braço atravessou  ele ficou com uma aparência como se fosse feito de água. Eu segurei o coração dele e era gelado....
-Gelado... como esse copo de água aqui.

Minha mãe entrou na cozinha.

- Fez o que pedi? Perguntou ela.
- O que foi mesmo que a senhora pediu? Eu não lembro direito...
- A louça. Você enxugou?
- Sério!? Eu esqueci, acabei de acordar. Aliás, que dia é hoje?

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 Olá galera!!! Como vão vocês? Espero que tenham gostado do relato acima, mas o que foi realmente esse relato? Bom, dando as devidas explicações, esse foi apenas uma transcrição dos meus pensamentos no momento que eu havia acabado de acordar de um sonho lúcido. Na realidade, eu lembro de ter tido vários sonhos, ou pelo menos eles me vem a mente, porém, não consigo me lembrar nada sobre eles e por algum motivo ao acordar parecia que eu estava dormindo a vários dias. Demorei bastante para me readaptar após acordar, e mesmo depois de 1 hora eu ainda fiquei com isso na mente.

Bom, espero que curtam o relato de um quase sonho.

Oi, Pyros. Muito bom seu relato. Às vezes isso acontece comigo também, depois de vários sonhos lúcidos seguidos. Acordo exausta e desorientada, e os sonhos vêm todos de uma vez. De alguns sonhos consigo me lembrar perfeitamente, outros se misturam e fica aquela confusão que acaba passando depois de algumas xícaras de café. feliz

Pyros:
Pyros escreveu:Sonho Nº 21 - 11 de Janeiro de 2017


Estou em um avião, porém, não com outros passageiros. Parece que estou na ala onde ficam as cargas e malas. O lugar é meio escuro, salvo por uma janela que fica bem em baixo de onde eu estou deitado e é por lá que consigo ver por onde estou sobrevoando. O interessante é que quando eu coloco meu rosto perto do vidro, minha visão de aguça e eu consigo ver tudo como se eu estivesse do lado de fora do avião.
Começam as turbulências e as malas começam a cair para um lado e para o outro, além disso o avião está ficando cada vez com menos altitude. Caramba, como isso me deixou assustado, então eu apena deitei sobre a pequena janela e fiquei esperando o impacto. Uma última olhada pela janela e percebo que estava sobrevoando a minha cidade.

Não lembro mais sobre o que aconteceu depois daí de uma forma lógica. Porém eu acordei deitado em uma areia bem fina e branca, o cheiro de sal era bem forte e quando me dei conta estava em uma praia. Ela parecia ser muito bonita, se não fosse pelo fato de que estava cheia de destroços de um avião, malas entre outras coisas. Uma dessas coisas, era um colchão inflável azul escuro que estava sendo jogado para um lado e para o outro pelas ondas. Fui até ele e comecei a arrasta-lo para a areia e foi aí que eu notei que aquele era o meu colchão, sim o colchão que eu havia deitado para dormir. Como um estralo na mente eu fiquei lúcido nesse momento.

Nessa hora eu respirei fundo para ficar calmo e comecei a pensar no que deveria fazer. Notei que perto de onde eu estava havia um prédio com uns dois andares. O prédio começava na areia e ia entrando no mar. Também sua pintura por fora parecia toda estragada, provavelmente por causa do salitre. Enquanto caminhava pela areia uma arma veio sendo jogada pelas ondas e depois saiu rolando pela areia até os meus pés.

Eu fiquei em dúvida se eu pegava ou não, pois, já faz mais de um mês que eu nem mesmo sonho lúcido. Estando enferrujado como eu estou, não confiava tanto se meus antigos poderes iriam voltar na hora que eu realmente precisasse.

Peguei a arma de fui andando em direção ao prédio. Na direção que eu estava indo apenas haviam paredes. Só no topo, perto da cobertura, haviam janelas ao redor de toda o prédio. No chão havia uma porta ao lado esquerdo do prédio. As coisas estavam realmente escuras, e só havia iluminação fraca vindo das janelas acima. Assim que entrei notei que a parte de baixo era uma oficina mecânica, com várias coisas enferrujadas jogadas de um lado ao outro. Da minha esquerda, havia uma escada de ferro que também estava precária, decidi subir por ela e cheguei no segundo andar.

Este era feito todo com metal. Assim que cheguei lá, notei que havia uma arma em cima de um armário. Peguei ela e ao mesmo tempo já havia sacado a outra que tinha pego na praia. Comecei a suspeitar de que aquele sonho estava ficando um pouco sinistro, não sei se era por estar de volta a este mundo depois de tanto tempo, mas pela primeira vez eu senti um medo tal como se aquilo fosse se transformar em um pesadelo.

Fui andando pelo corredor até que cheguei em uma sala mal iluminada, onde havia um cara de macacão de costas para a porta por onde eu entrei. Ele usava um macacão azul escuro e estava digitando algo no computador. Gritei enquanto apontava as duas pistolas na cara dele:
- Ei!!! Você, me diz o que está rolando aqui!!!
O cara me olhou com as feições mais assustadas que eu não via a muito tempo. Levantou as mãos e ficou falando coisas estranhas, em um idioma que eu não entendia. Na realidade, mais parecia que ele era um mudo tentando falar. Ele estava muito agitado.

Percebi que em uma sala atrás desta em que estávamos, havia uma criança. Ela passou correndo de um lado para o outro e consegui vê-la enquanto passava pela porta. Nesse descuido meu o cara tentou vir para cima e pegar as armas. Apertei o gatilho com força e foi nesse momento que ao invés de sair balas de dentro das armas, saiu apenas água.

O cara começou a rir e pulou em minha direção, mas o garotinho veio e segurou ele. Aproveitei o momento e dei uma coronhada com a arma na nuca do cara. Ele caiu e eu peguei o garoto e começamos a descer as escadas. Enquanto fugíamos, o sonho começou a se desfazer e eu ouvia os gritos do cara. Lembro que o sonho não se desfez, porém eu consegui chegar de volta a praia com o garoto, mas não lembro mais o que rolou depois daí.
Hahaha! Ri muito com a arma que dispara água. O importante é que ela funcionou depois como um cacetete. gargalhada
avatar
Mensagens : 386
Pontos : 1599
Honra : 199
Data de inscrição : 04/03/2016
Idade : 20
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
29 / 99929 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

em Qua Jan 11, 2017 9:34 pm
Königin escreveu:
Pyros:

Pyros escreveu:Acordei. Abri meus olhos e uma luz muito forte estava entrando pelo quarto.
- Ei, ei, que sensação estranha!! Que horas devem ser?
- Espera ae, acho que eu dormir demais novamente, será que eu tinha algo marcado para hoje? Aliás que dia é hoje??
- Eu tava sonhando com algo, ma o que era? Parece que todas as lembranças sumiram no mesmo momento em que abri os olhos.
- Vamos lá Pyros, vamos tentar voltar ao sonho. (Fecho os olhos)
-Qual foi a ultima coisa de que me lembro?

Começam a vir imagens na minha mente de uma guerra antiga. Dois exércitos se enfrentando em meio a chuva e....
- (...) espera, isso não foi um sonho, não, foi um filme que eu assisti ontem a noite. Ou será que foi hoje?
- Caramba, ta fazendo muito calor, não pode ser de manhã. Que horas devem ser?
- Ah, eu lembro!!!! Eu fui deitar assistindo o Senhor dos Anéis e acabei dormindo perto do fim!! Beleza, então agora deve ser a tarde, mas então que dia é hoje?

Decidi levantar e beber uma água, não estava conseguindo por os pensamentos em ordem deitado e também não conseguir voltar a dormir.

Pego o copo, abro a geladeira, pego uma jarra d'água e começo a encher o copo.
- Opa, que estranho, eu não estava nadando hoje perto do pier? Nah, isso foi um sonho... é, um sonho que eu tive ontem a noite!!! Finalmente eu consegui lembrar desse sonho. Eu lembro, ãh, eu estava nadando com algumas pessoas e apareceu um... Tubarão!!!?
-Não! Era um golfinho, sim, era mesmo um golfinho. Mas eu também me assustei no sonho e pensei que fosse um tubarão. O  que rolou depois.... ah eu só lembro de uma amiga minha querer sentir a textura da pele do golfinho e eu fiquei meio receoso. Ela alisava ele e parecia que ele era de borracha, então tomei coragem e decidi tentar. Quando toquei nele, meu braço atravessou  ele ficou com uma aparência como se fosse feito de água. Eu segurei o coração dele e era gelado....
-Gelado... como esse copo de água aqui.

Minha mãe entrou na cozinha.

- Fez o que pedi? Perguntou ela.
- O que foi mesmo que a senhora pediu? Eu não lembro direito...
- A louça. Você enxugou?
- Sério!? Eu esqueci, acabei de acordar. Aliás, que dia é hoje?

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 Olá galera!!! Como vão vocês? Espero que tenham gostado do relato acima, mas o que foi realmente esse relato? Bom, dando as devidas explicações, esse foi apenas uma transcrição dos meus pensamentos no momento que eu havia acabado de acordar de um sonho lúcido. Na realidade, eu lembro de ter tido vários sonhos, ou pelo menos eles me vem a mente, porém, não consigo me lembrar nada sobre eles e por algum motivo ao acordar parecia que eu estava dormindo a vários dias. Demorei bastante para me readaptar após acordar, e mesmo depois de 1 hora eu ainda fiquei com isso na mente.

Bom, espero que curtam o relato de um quase sonho.

Oi, Pyros. Muito bom seu relato. Às vezes isso acontece comigo também, depois de vários sonhos lúcidos seguidos. Acordo exausta e desorientada, e os sonhos vêm todos de uma vez. De alguns sonhos consigo me lembrar perfeitamente, outros se misturam e fica aquela confusão que acaba passando depois de algumas xícaras de café. feliz

Pyros:

Pyros escreveu:Sonho Nº 21 - 11 de Janeiro de 2017


Estou em um avião, porém, não com outros passageiros. Parece que estou na ala onde ficam as cargas e malas. O lugar é meio escuro, salvo por uma janela que fica bem em baixo de onde eu estou deitado e é por lá que consigo ver por onde estou sobrevoando. O interessante é que quando eu coloco meu rosto perto do vidro, minha visão de aguça e eu consigo ver tudo como se eu estivesse do lado de fora do avião.
Começam as turbulências e as malas começam a cair para um lado e para o outro, além disso o avião está ficando cada vez com menos altitude. Caramba, como isso me deixou assustado, então eu apena deitei sobre a pequena janela e fiquei esperando o impacto. Uma última olhada pela janela e percebo que estava sobrevoando a minha cidade.

Não lembro mais sobre o que aconteceu depois daí de uma forma lógica. Porém eu acordei deitado em uma areia bem fina e branca, o cheiro de sal era bem forte e quando me dei conta estava em uma praia. Ela parecia ser muito bonita, se não fosse pelo fato de que estava cheia de destroços de um avião, malas entre outras coisas. Uma dessas coisas, era um colchão inflável azul escuro que estava sendo jogado para um lado e para o outro pelas ondas. Fui até ele e comecei a arrasta-lo para a areia e foi aí que eu notei que aquele era o meu colchão, sim o colchão que eu havia deitado para dormir. Como um estralo na mente eu fiquei lúcido nesse momento.

Nessa hora eu respirei fundo para ficar calmo e comecei a pensar no que deveria fazer. Notei que perto de onde eu estava havia um prédio com uns dois andares. O prédio começava na areia e ia entrando no mar. Também sua pintura por fora parecia toda estragada, provavelmente por causa do salitre. Enquanto caminhava pela areia uma arma veio sendo jogada pelas ondas e depois saiu rolando pela areia até os meus pés.

Eu fiquei em dúvida se eu pegava ou não, pois, já faz mais de um mês que eu nem mesmo sonho lúcido. Estando enferrujado como eu estou, não confiava tanto se meus antigos poderes iriam voltar na hora que eu realmente precisasse.

Peguei a arma de fui andando em direção ao prédio.  Na direção que eu estava indo apenas haviam paredes. Só no topo, perto da cobertura, haviam janelas ao redor de toda o prédio. No chão havia uma porta ao lado esquerdo do prédio. As coisas estavam realmente escuras, e só havia iluminação fraca vindo das janelas acima. Assim que entrei notei que a parte de baixo era uma oficina mecânica, com várias coisas enferrujadas jogadas de um lado ao outro. Da minha esquerda, havia uma escada de ferro que também estava precária, decidi subir por ela e cheguei no segundo andar.

Este era feito todo com metal. Assim que cheguei lá, notei que havia uma arma em cima de um armário. Peguei ela e ao mesmo tempo já havia sacado a outra que tinha pego na praia. Comecei a suspeitar de que aquele sonho estava ficando um pouco sinistro, não sei se era por estar de volta a este mundo depois de tanto tempo, mas pela primeira vez eu senti um medo tal como se aquilo fosse se transformar em um pesadelo.

Fui andando pelo corredor até que cheguei em uma sala mal iluminada, onde havia um cara de macacão de costas para a porta por onde eu entrei. Ele usava um macacão azul escuro e estava digitando algo no computador. Gritei enquanto apontava as duas pistolas na cara dele:
- Ei!!! Você, me diz o que está rolando aqui!!!
O cara me olhou com as feições mais assustadas que eu não via a muito tempo. Levantou as mãos e ficou falando coisas estranhas, em um idioma que eu não entendia. Na realidade, mais parecia que ele era um mudo tentando falar. Ele estava muito agitado.

Percebi que em uma sala atrás desta em que estávamos, havia uma criança. Ela passou correndo de um lado para o outro e consegui vê-la enquanto passava pela porta. Nesse descuido meu o cara tentou vir para cima e pegar as armas. Apertei o gatilho com força e foi nesse momento que ao invés de sair balas de dentro das armas, saiu apenas água.

O cara começou a rir e pulou em minha direção, mas o garotinho veio e segurou ele. Aproveitei o momento e dei uma coronhada com a arma na nuca do cara. Ele caiu e eu peguei o garoto e começamos a descer as escadas. Enquanto fugíamos, o sonho começou a se desfazer e eu ouvia os gritos do cara. Lembro que o sonho não se desfez, porém eu consegui chegar de volta a praia com o garoto, mas não lembro mais o que rolou depois daí.
Hahaha! Ri muito com a arma que dispara água. O importante é que ela funcionou depois como um cacetete. gargalhada

Opa Konigin, é bom estar de volta e ver vocês todos. Mas sobre meu sonho, vou te contar, parece que é um fato sobre mim . Se eu pegar uma arma, vai sair de tudo dela, menos uma bala... gargalhada gargalhada gargalhada gargalhada
Conteúdo patrocinado

Re: Diário dos Sonho Lúcidos de Pyros

Ver o tópico anteriorVoltar ao TopoVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum