Conectar-se
Os membros mais ativos do mês
8 Mensagens - 25%
6 Mensagens - 19%
4 Mensagens - 13%
3 Mensagens - 9%
3 Mensagens - 9%
2 Mensagens - 6%
2 Mensagens - 6%
2 Mensagens - 6%
1 Mensagem - 3%
1 Mensagem - 3%
Votação
Qual a técnica que você utiliza para ficar lúcido?
Teste de Realidade
45% / 15
Totem
15% / 5
Incubação
12% / 4
Gatilho
6% / 2
Gravador de Voz ou Sons Binaurais
6% / 2
Outros
15% / 5
Parceiros
 sonhos=
 sonhos=
 animes=

Compartilhe
Ver o tópico anteriorIr em baixoVer o tópico seguinte
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Diário dos Sonhos da Érika

em Sex Fev 26, 2016 6:30 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Aqui vai o meu primeiro relato de sonho não-lúcido, do dia 26/02/16:

Eu estava sentada em um sofá segurando um bebê recém-nascido, ele estava enrolado em um pano azul claro, era mais pequeno que o normal, branco, de olhos pretos, estava um pouco pálido e era muito magro, parecia ser um bebê prematuro. O bebê ficava me olhando de um jeito estranho, parecia estar assustado com alguma coisa e aquilo me incomodava, tanto que eu evitava olhar muito para a criança. Senti que tinha algo nos observando do lado da estante, eu não conseguia ver nada lá, mas o bebê também parecia estar percebendo a mesma coisa. Começaram a passar algumas melodias pela minha cabeça, e eu fui solfejando os sons que eu ouvia para o bebê, minha voz estava saindo muito diferente do normal, mas o bebê e o “algo” que estava nos observando pareciam gostar daquilo e eu sentia que os dois estavam ficando mais calmos enquanto eu ia cantando os sons. Não me lembro o que aconteceu depois, mas eu acabei indo parar em uma sala onde os empregados de uma empresa estavam comemorando um aniversário, em cima da mesa havia um bolo com oito velas numeradas, eu me lembro dos números mas não da ordem em que eles estavam posicionados. O bolo tinha um glacê rosa e pedaços de chocolate, porém assim que acabaram de cantar os parabéns, um garçom jogou os pedaços de chocolate no chão e retirou o glacê, depois um dos funcionários despejou pedaços de chocolate branco e passou um creme branco no bolo. Eu fiquei comendo o glacê rosa que tinham tirado do bolo. O garçom cortou um pedaço do bolo branco e entrou em um quarto, eu o segui e fui parar no quarto da minha mãe, lá estava deitada a mestra. O garçom tentou dar o bolo para ela, mas ela disse que não queria, pois estava com muita dor de cabeça. Ela parecia estar passando muito mal, então eu fiquei abaixada do lado da cama até que o sonho acabasse.
avatar
Mensagens : 108
Pontos : 730
Honra : 59
Data de inscrição : 13/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Sex Fev 26, 2016 6:54 pm
Por um momento achei que seria um pesadelo quando li que algo observava você e o bebê.
Olha a mestra de novo gargalhada  . Será que era aniversário dela?
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3188
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Dom Fev 28, 2016 9:17 am
Érika:
Érika escreveu:Aqui vai o meu primeiro relato de sonho não-lúcido, do dia 26/02/16:

Eu estava sentada em um sofá segurando um bebê recém-nascido, ele estava enrolado em um pano azul claro, era mais pequeno que o normal, branco, de olhos pretos, estava um pouco pálido e era muito magro, parecia ser um bebê prematuro. O bebê ficava me olhando de um jeito estranho, parecia estar assustado com alguma coisa e aquilo me incomodava, tanto que eu evitava olhar muito para a criança. Senti que tinha algo nos observando do lado da estante, eu não conseguia ver nada lá, mas o bebê também parecia estar percebendo a mesma coisa. Começaram a passar algumas melodias pela minha cabeça, e eu fui solfejando os sons que eu ouvia para o bebê, minha voz estava saindo muito diferente do normal, mas o bebê e o “algo” que estava nos observando pareciam gostar daquilo e eu sentia que os dois estavam ficando mais calmos enquanto eu ia cantando os sons. Não me lembro o que aconteceu depois, mas eu acabei indo parar em uma sala onde os empregados de uma empresa estavam comemorando um aniversário, em cima da mesa havia um bolo com oito velas numeradas, eu me lembro dos números mas não da ordem em que eles estavam posicionados. O bolo tinha um glacê rosa e pedaços de chocolate, porém assim que acabaram de cantar os parabéns, um garçom jogou os pedaços de chocolate no chão e retirou o glacê, depois um dos funcionários despejou pedaços de chocolate branco e passou um creme branco no bolo. Eu fiquei comendo o glacê rosa que tinham tirado do bolo. O garçom cortou um pedaço do bolo branco e entrou em um quarto, eu o segui e fui parar no quarto da minha mãe, lá estava deitada a mestra. O garçom tentou dar o bolo para ela, mas ela disse que não queria, pois estava com muita dor de cabeça. Ela parecia estar passando muito mal, então eu fiquei abaixada do lado da cama até que o sonho acabasse.

Por que os sonhos são tão enigmáticos? Se o bolo era para sua mestra, porque não o fizeram ao gosto dela?
Na parte em que você começou a cantar, a cancão surtiu efeito em você também, pois você estava apreensiva segurando a criança e ao mesmo tempo sendo vigiada pelo "algo" atrás da estante e ao cantar se distraiu.

avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5553
Honra : 1043
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Ter Mar 01, 2016 8:07 pm
Érika escreveu:
Érika escreveu:Aqui vai o meu primeiro relato de sonho não-lúcido, do dia 26/02/16:

Eu estava sentada em um sofá segurando um bebê recém-nascido, ele estava enrolado em um pano azul claro, era mais pequeno que o normal, branco, de olhos pretos, estava um pouco pálido e era muito magro, parecia ser um bebê prematuro. O bebê ficava me olhando de um jeito estranho, parecia estar assustado com alguma coisa e aquilo me incomodava, tanto que eu evitava olhar muito para a criança. Senti que tinha algo nos observando do lado da estante, eu não conseguia ver nada lá, mas o bebê também parecia estar percebendo a mesma coisa. Começaram a passar algumas melodias pela minha cabeça, e eu fui solfejando os sons que eu ouvia para o bebê, minha voz estava saindo muito diferente do normal, mas o bebê e o “algo” que estava nos observando pareciam gostar daquilo e eu sentia que os dois estavam ficando mais calmos enquanto eu ia cantando os sons. Não me lembro o que aconteceu depois, mas eu acabei indo parar em uma sala onde os empregados de uma empresa estavam comemorando um aniversário, em cima da mesa havia um bolo com oito velas numeradas, eu me lembro dos números mas não da ordem em que eles estavam posicionados. O bolo tinha um glacê rosa e pedaços de chocolate, porém assim que acabaram de cantar os parabéns, um garçom jogou os pedaços de chocolate no chão e retirou o glacê, depois um dos funcionários despejou pedaços de chocolate branco e passou um creme branco no bolo. Eu fiquei comendo o glacê rosa que tinham tirado do bolo. O garçom cortou um pedaço do bolo branco e entrou em um quarto, eu o segui e fui parar no quarto da minha mãe, lá estava deitada a mestra. O garçom tentou dar o bolo para ela, mas ela disse que não queria, pois estava com muita dor de cabeça. Ela parecia estar passando muito mal, então eu fiquei abaixada do lado da cama até que o sonho acabasse.
Será que a figura que te vigiava, na hora que você estava com o bebê, não era aquela sua mestra? E o que ela fazia depois lá no quarto da sua mãe?
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Qua Mar 02, 2016 10:18 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Guerreiro do Omega:
Por um momento achei que seria um pesadelo quando li que algo observava você e o bebê.
Olha a mestra de novo gargalhada  . Será que era aniversário dela?

Não sei se era, mas se for eles foram bem criativos em colocar aquele monte de velas no bolo só pra ninguém descobrir a idade dela  gargalhada

Königin:
Érika:

Érika escreveu:Aqui vai o meu primeiro relato de sonho não-lúcido, do dia 26/02/16:

Eu estava sentada em um sofá segurando um bebê recém-nascido, ele estava enrolado em um pano azul claro, era mais pequeno que o normal, branco, de olhos pretos, estava um pouco pálido e era muito magro, parecia ser um bebê prematuro. O bebê ficava me olhando de um jeito estranho, parecia estar assustado com alguma coisa e aquilo me incomodava, tanto que eu evitava olhar muito para a criança. Senti que tinha algo nos observando do lado da estante, eu não conseguia ver nada lá, mas o bebê também parecia estar percebendo a mesma coisa. Começaram a passar algumas melodias pela minha cabeça, e eu fui solfejando os sons que eu ouvia para o bebê, minha voz estava saindo muito diferente do normal, mas o bebê e o “algo” que estava nos observando pareciam gostar daquilo e eu sentia que os dois estavam ficando mais calmos enquanto eu ia cantando os sons. Não me lembro o que aconteceu depois, mas eu acabei indo parar em uma sala onde os empregados de uma empresa estavam comemorando um aniversário, em cima da mesa havia um bolo com oito velas numeradas, eu me lembro dos números mas não da ordem em que eles estavam posicionados. O bolo tinha um glacê rosa e pedaços de chocolate, porém assim que acabaram de cantar os parabéns, um garçom jogou os pedaços de chocolate no chão e retirou o glacê, depois um dos funcionários despejou pedaços de chocolate branco e passou um creme branco no bolo. Eu fiquei comendo o glacê rosa que tinham tirado do bolo. O garçom cortou um pedaço do bolo branco e entrou em um quarto, eu o segui e fui parar no quarto da minha mãe, lá estava deitada a mestra. O garçom tentou dar o bolo para ela, mas ela disse que não queria, pois estava com muita dor de cabeça. Ela parecia estar passando muito mal, então eu fiquei abaixada do lado da cama até que o sonho acabasse.

Por que os sonhos são tão enigmáticos? Se o bolo era para sua mestra, porque não o fizeram ao gosto dela?
Na parte em que você começou a cantar, a cancão surtiu efeito em você também, pois você estava apreensiva segurando a criança e ao mesmo tempo sendo vigiada pelo "algo" atrás da estante e ao cantar se distraiu.


Eu nem imaginava que ele ia levar o bolo para ela, achei que era só para os funcionários, não entendi o que isso significou  neutro Quando eu comecei a cantar fiquei um pouco surpresa com a minha voz diferente, mas depois eu também comecei a gostar do som dela .

Ramon:
Érika escreveu:

Érika escreveu:Aqui vai o meu primeiro relato de sonho não-lúcido, do dia 26/02/16:

Eu estava sentada em um sofá segurando um bebê recém-nascido, ele estava enrolado em um pano azul claro, era mais pequeno que o normal, branco, de olhos pretos, estava um pouco pálido e era muito magro, parecia ser um bebê prematuro. O bebê ficava me olhando de um jeito estranho, parecia estar assustado com alguma coisa e aquilo me incomodava, tanto que eu evitava olhar muito para a criança. Senti que tinha algo nos observando do lado da estante, eu não conseguia ver nada lá, mas o bebê também parecia estar percebendo a mesma coisa. Começaram a passar algumas melodias pela minha cabeça, e eu fui solfejando os sons que eu ouvia para o bebê, minha voz estava saindo muito diferente do normal, mas o bebê e o “algo” que estava nos observando pareciam gostar daquilo e eu sentia que os dois estavam ficando mais calmos enquanto eu ia cantando os sons. Não me lembro o que aconteceu depois, mas eu acabei indo parar em uma sala onde os empregados de uma empresa estavam comemorando um aniversário, em cima da mesa havia um bolo com oito velas numeradas, eu me lembro dos números mas não da ordem em que eles estavam posicionados. O bolo tinha um glacê rosa e pedaços de chocolate, porém assim que acabaram de cantar os parabéns, um garçom jogou os pedaços de chocolate no chão e retirou o glacê, depois um dos funcionários despejou pedaços de chocolate branco e passou um creme branco no bolo. Eu fiquei comendo o glacê rosa que tinham tirado do bolo. O garçom cortou um pedaço do bolo branco e entrou em um quarto, eu o segui e fui parar no quarto da minha mãe, lá estava deitada a mestra. O garçom tentou dar o bolo para ela, mas ela disse que não queria, pois estava com muita dor de cabeça. Ela parecia estar passando muito mal, então eu fiquei abaixada do lado da cama até que o sonho acabasse.
Será que a figura que te vigiava, na hora que você estava com o bebê, não era aquela sua mestra? E o que ela fazia depois lá no quarto da sua mãe?

Pode ser que seja ela, pois ela sempre aparece em algum ponto na maioria dos meus sonhos e às vezes só percebo que ela estava lá depois de já ter acordado.
Ela estava deitada na cama, parecia estar realmente com muita dor de cabeça porque só ficava de olhos fechados e estava falando muito baixinho, por algum motivo eu fiquei muito preocupada com ela no sonho, tanto que fiquei lá parada do lado dela.
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Sex Abr 22, 2016 9:14 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Relato do dia 22/04/16:

Eu estava na minha escola do ensino médio, lembro de ter entrado na sala de aula e me distraí conversando com um amigo meu, quando percebi a turma inteira tinha saído da sala e o prédio estava quase vazio. Fiquei andando pelo corredor do primeiro andar com meu amigo e conversamos com alguns outros alunos que ainda estavam no corredor, mas não me lembro o assunto. Saímos do prédio e ficamos tentando descobrir porquê todo mundo tinha saído de repente. Chegou o professor de filosofia e nos perguntou o que estava acontecendo, não conseguimos responder e eu comecei a desconfiar que era um sonho, mas o cenário mudou. Apareci em uma rua um pouco movimentada, com vários estabelecimentos, fui andando tentando reconhecer aquele lugar até que vi um restaurante, no qual estavam almoçando meu ex-chefe e uma mulher que também trabalhava comigo. Ele olhou para mim e eu fingi que não o vi, continuei andando pela rua e encontrei outro restaurante, mas estava quase vazio. Voltei para o restaurante onde estava meu ex-chefe, na entrada do local surgiu uma pia bem alta com várias torneiras, mas o espaço entre o fundo da pia e a boca da torneira era muito pequeno. Dei um jeito de enfiar a mão ali e comecei a lavar as mãos enquanto ficava encarando meu ex-chefe. Por algum motivo eu achava que a funcionária do restaurante ia brigar comigo por eu estar lavando as mãos na pia dela, porém ela veio andando em minha direção e a pia se transformou em uma mesa com duas cadeiras. Ela se sentou de um lado e eu do outro, começamos a conversar, ela disse baixinho: “Aproveita agora que não tem ninguém ouvindo e me diz quem era?” Fiquei sem entender e disse que não sabia de quem ela estava falando. Ela disse: “Antes de vir aqui você estava com uma pessoa naquele outro lugar, certo?” Eu disse que não lembrava de nada do que tinha acontecido antes de chegar ali, comecei a desconfiar que era um sonho, mas acordei.
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3188
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Seg Abr 25, 2016 2:34 pm
Que sonho cheio de suspense, Érika. Uma pena que você não ficou lúcida. Fiquei curiosa, de quem a funcionaria falava? hehehe!
avatar
Mensagens : 59
Pontos : 1463
Honra : 18
Data de inscrição : 08/09/2013
Idade : 18
Localização : foz do iguaçu /Parana
Sonhos Lúcidos :
57 / 99957 / 999
Sonhos Comuns :
503 / 999503 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Seg Abr 25, 2016 11:56 pm
Que clima, agora fiquei pensando em que local e em que pessoa a funcionária do restaurante se referia.


meus sonhos não lucidos

meus sonhos lucidos
sera que vivemos , nossas vidas são reaiss , sera que estamos sonhando se estivermos sonhando a nossa vida inteira, então , eu sonho com um sonho melhor
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Sab Abr 30, 2016 7:54 pm
Königin escreveu:
Que sonho cheio de suspense, Érika. Uma pena que você não ficou lúcida. Fiquei curiosa, de quem a funcionaria falava? hehehe!

eduarducido escreveu:Que clima, agora fiquei pensando em que local e em que pessoa a funcionária do restaurante se referia.

Também queria saber de quem ela estava falando, na hora pensei que era o meu professor de filosofia que tinha aparecido no outro sonho, mas não fazia muito sentido.  olhos girando
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5553
Honra : 1043
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Dom Maio 01, 2016 2:45 am
Érika escreveu:
Érika escreveu:Relato do dia 22/04/16:

Eu estava na minha escola do ensino médio, lembro de ter entrado na sala de aula e me distraí conversando com um amigo meu, quando percebi a turma inteira tinha saído da sala e o prédio estava quase vazio. Fiquei andando pelo corredor do primeiro andar com meu amigo e conversamos com alguns outros alunos que ainda estavam no corredor, mas não me lembro o assunto. Saímos do prédio e ficamos tentando descobrir porquê todo mundo tinha saído de repente. Chegou o professor de filosofia e nos perguntou o que estava acontecendo, não conseguimos responder e eu comecei a desconfiar que era um sonho, mas o cenário mudou. Apareci em uma rua um pouco movimentada, com vários estabelecimentos, fui andando tentando reconhecer aquele lugar até que vi um restaurante, no qual estavam almoçando meu ex-chefe e uma mulher que também trabalhava comigo. Ele olhou para mim e eu fingi que não o vi, continuei andando pela rua e encontrei outro restaurante, mas estava quase vazio. Voltei para o restaurante onde estava meu ex-chefe, na entrada do local surgiu uma pia bem alta com várias torneiras, mas o espaço entre o fundo da pia e a boca da torneira era muito pequeno. Dei um jeito de enfiar a mão ali e comecei a lavar as mãos enquanto ficava encarando meu ex-chefe. Por algum motivo eu achava que a funcionária do restaurante ia brigar comigo por eu estar lavando as mãos na pia dela, porém ela veio andando em minha direção e a pia se transformou em uma mesa com duas cadeiras. Ela se sentou de um lado e eu do outro, começamos a conversar, ela disse baixinho: “Aproveita agora que não tem ninguém ouvindo e me diz quem era?” Fiquei sem entender e disse que não sabia de quem ela estava falando. Ela disse: “Antes de vir aqui você estava com uma pessoa naquele outro lugar, certo?” Eu disse que não lembrava de nada do que tinha acontecido antes de chegar ali, comecei a desconfiar que era um sonho, mas acordei.
Agora até eu fiquei curioso pra saber de quem a funcionário estava falando. Kkkk

Será que a funcionária estava falando do seu ex-chefe?
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Ter Maio 03, 2016 11:39 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Ramon escreveu:
Érika escreveu:

Érika escreveu:Relato do dia 22/04/16:

Eu estava na minha escola do ensino médio, lembro de ter entrado na sala de aula e me distraí conversando com um amigo meu, quando percebi a turma inteira tinha saído da sala e o prédio estava quase vazio. Fiquei andando pelo corredor do primeiro andar com meu amigo e conversamos com alguns outros alunos que ainda estavam no corredor, mas não me lembro o assunto. Saímos do prédio e ficamos tentando descobrir porquê todo mundo tinha saído de repente. Chegou o professor de filosofia e nos perguntou o que estava acontecendo, não conseguimos responder e eu comecei a desconfiar que era um sonho, mas o cenário mudou. Apareci em uma rua um pouco movimentada, com vários estabelecimentos, fui andando tentando reconhecer aquele lugar até que vi um restaurante, no qual estavam almoçando meu ex-chefe e uma mulher que também trabalhava comigo. Ele olhou para mim e eu fingi que não o vi, continuei andando pela rua e encontrei outro restaurante, mas estava quase vazio. Voltei para o restaurante onde estava meu ex-chefe, na entrada do local surgiu uma pia bem alta com várias torneiras, mas o espaço entre o fundo da pia e a boca da torneira era muito pequeno. Dei um jeito de enfiar a mão ali e comecei a lavar as mãos enquanto ficava encarando meu ex-chefe. Por algum motivo eu achava que a funcionária do restaurante ia brigar comigo por eu estar lavando as mãos na pia dela, porém ela veio andando em minha direção e a pia se transformou em uma mesa com duas cadeiras. Ela se sentou de um lado e eu do outro, começamos a conversar, ela disse baixinho: “Aproveita agora que não tem ninguém ouvindo e me diz quem era?” Fiquei sem entender e disse que não sabia de quem ela estava falando. Ela disse: “Antes de vir aqui você estava com uma pessoa naquele outro lugar, certo?” Eu disse que não lembrava de nada do que tinha acontecido antes de chegar ali, comecei a desconfiar que era um sonho, mas acordei.
Agora até eu fiquei curioso pra saber de quem a funcionário estava falando. Kkkk

Será que a funcionária estava falando do seu ex-chefe?

Quase nunca sonho com meu ex-chefe, se ele havia aparecido em outro lugar naquele sonho eu não estou lembrando. Bem que essa funcionária podia aparecer de novo pra eu perguntar gargalhada
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Relato dia 26/05/16

em Qui Maio 26, 2016 11:44 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Ultimamente meu sono está muito irregular e além de estar tendo poucos sonhos lúcidos, estou tendo dificuldade para lembrar dos meus sonhos. Aqui vai o relato de 3 sonhos de hoje para ver se anotando consigo melhorar minha memória.

Sonho 1:

Eu estava na sala da minha casa com meu irmão e ouvi alguém abrindo o portão. Meu irmão disse que quem havia chegado era um amigo dele, e que ele tinha trazido o filho com ele, mas o menino estava muito doente e provavelmente tinha poucos dias de vida. O pai da criança ficou lá fora conversando com alguém e o menino entrou na sala onde estávamos, ele aparentava ter uns três anos de idade, era moreno de cabelos cacheados, e usava uma calça jeans e camisa verde clara, e realmente parecia estar muito doente. O menino não conseguia abrir os olhos, que estavam um pouco inchados, e tinha várias feridas na pele, que sangravam e deixavam marcas em tudo que o menino encostava. Ele ficava andando sem rumo pela sala, deixando marcas de sangue pelas paredes e nos móveis, tentando falar alguma coisa, mas eu não entendia nada. Meu irmão disse que ele tinha vindo nos visitar porque queria muito me dar um abraço, então o garoto veio em minha direção com os braços abertos. Eu estava com medo e ao mesmo tempo comovida com aquela situação, mas acabei indo lá e abraçando o garoto. Tive uma sensação muito boa ao abraçá-lo, e quando o soltei percebi que ele não tinha mais nenhuma ferida e já conseguia abrir os olhos, então ele saiu correndo e o pai dele o levou embora. Acordei.

Sonho 2:

Decidi dormir de novo e tive uma paralisia do sono, fiquei tentando entrar em um sonho lúcido mas alguém ficava me segurando e falando coisas que eu não me lembro. Quando consegui sair da cama, vi que quem estava me segurando era meu irmão, mas a voz dele estava diferente. Fui para o quintal e percebi que estava com meu vestido amarelo que sempre uso nos sonhos, subi em cima do muro e fiquei andando para tentar ver o que tinha dentro das outras casas da rua, até que surgiu um homem de terno com cabeça de cachorro na porta da sala e eu caí do muro, indo parar no meio da rua. O homem começou a jogar pedras gigantes por cima do muro tentando me acertar, e as pedras ficavam voando me seguindo pela rua. Eu comecei a pegar as pedras e mandar de volta para acertar nele, até que consegui mandar três pedras juntas de uma só vez e ele parou de jogar mais pedras. Entrei de novo em casa e encontrei a mestra escondida atrás da parede, o ambiente ficou muito claro e eu perdi a lucidez. Ela estava segurando uns galhos cheios de flores coloridas. Eu tive uma conversa com ela, mas não me lembro o assunto. Ela foi em direção ao portão e alguns raios de luz vinham na direção dela enquanto ela andava. Comecei a prestar atenção no cabelo dela, estava parecendo aqueles cabelos perfeitos de propaganda de shampoo. Resolvi tocá-lo e a sensação tátil era muito boa, ela acabou ficando brava e colocou a mão na frente dos meus olhos, quando tirou eu acordei.

Sonho 3:

Eu estava sentada em uma das cadeiras na mesa da minha casa, em cima dela havia um rádio preto de madeira que parecia ser bem antigo. Aquilo me fez começar a pensar no passado, de repente ficou tudo escuro e eu não conseguia enxergar quase nada, apenas um foco de luz laranja ao lado do rádio. Ouvi a voz de um homem, que me lembrou um pouco a voz do senhor que apareceu no meu primeiro sl, perguntando se eu queria ouvir uma música. Eu disse que sim e o rádio começou a tocar a música tema do filme “A lista de Schindler”, que eu vi há muito tempo atrás. Apesar de triste, a música estava maravilhosa e a qualidade do som do rádio era ótima. Em algum momento eu fiquei tonta e acabei caindo da cadeira. Quando minha visão voltou, eu estava em pé em frente a uma casa de madeira clara. Ao meu lado estava sentado um homem de roupa preta com o qual eu estava conversando, tenho a impressão de já ter sonhado com ele antes, mas não me lembro quem era, nem sobre o quê falávamos. Em frente à essa casa havia uma outra, e na porta dela estava um senhor negro de chapéu preto. Ele disse para eu parar de conversar com aquele cara, e ir até ele, pois ele iria abrir a porta para mim. Fiquei sem entender, disse que não precisava e continuei conversando com o cara.  Ele continuou insistindo para eu não conversar mais com o cara, pois ele ia abrir a porta para mim. Fiquei muito confusa com aquilo e desconfiei que era um sonho. Nesse momento não sei se acordei ou tive um falso despertar muito realístico, só me lembro que senti muito sono e comecei a ficar paralisada como se fosse entrar em uma paralisia do sono, logo em seguida começava a ver a imagem do senhor de chapéu preto, como se o sonho fosse começar de novo. Tentei sair da paralisia e consegui, mas voltei a sentir muito sono e tudo se repetia. Após ver a imagem do senhor umas quatro vezes eu acordei de verdade.
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5553
Honra : 1043
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Sex Maio 27, 2016 10:21 am
Érika escreveu:

Érika escreveu:Ultimamente meu sono está muito irregular e além de estar tendo poucos sonhos lúcidos, estou tendo dificuldade para lembrar dos meus sonhos. Aqui vai o relato de 3 sonhos de hoje para ver se anotando consigo melhorar minha memória.

Sonho 1:

Eu estava na sala da minha casa com meu irmão e ouvi alguém abrindo o portão. Meu irmão disse que quem havia chegado era um amigo dele, e que ele tinha trazido o filho com ele, mas o menino estava muito doente e provavelmente tinha poucos dias de vida. O pai da criança ficou lá fora conversando com alguém e o menino entrou na sala onde estávamos, ele aparentava ter uns três anos de idade, era moreno de cabelos cacheados, e usava uma calça jeans e camisa verde clara, e realmente parecia estar muito doente. O menino não conseguia abrir os olhos, que estavam um pouco inchados, e tinha várias feridas na pele, que sangravam e deixavam marcas em tudo que o menino encostava. Ele ficava andando sem rumo pela sala, deixando marcas de sangue pelas paredes e nos móveis, tentando falar alguma coisa, mas eu não entendia nada. Meu irmão disse que ele tinha vindo nos visitar porque queria muito me dar um abraço, então o garoto veio em minha direção com os braços abertos. Eu estava com medo e ao mesmo tempo comovida com aquela situação, mas acabei indo lá e abraçando o garoto. Tive uma sensação muito boa ao abraçá-lo, e quando o soltei percebi que ele não tinha mais nenhuma ferida e já conseguia abrir os olhos, então ele saiu correndo e o pai dele o levou embora. Acordei.
Esse abraço foi milagroso. Você curou o garotinho.  viva

Érika escreveu:
Sonho 2:

Decidi dormir de novo e tive uma paralisia do sono, fiquei tentando entrar em um sonho lúcido mas alguém ficava me segurando e falando coisas que eu não me lembro. Quando consegui sair da cama, vi que quem estava me segurando era meu irmão, mas a voz dele estava diferente. Fui para o quintal e percebi que estava com meu vestido amarelo que sempre uso nos sonhos, subi em cima do muro e fiquei andando para tentar ver o que tinha dentro das outras casas da rua, até que surgiu um homem de terno com cabeça de cachorro na porta da sala e eu caí do muro, indo parar no meio da rua. O homem começou a jogar pedras gigantes por cima do muro tentando me acertar, e as pedras ficavam voando me seguindo pela rua. Eu comecei a pegar as pedras e mandar de volta para acertar nele, até que consegui mandar três pedras juntas de uma só vez e ele parou de jogar mais pedras. Entrei de novo em casa e encontrei a mestra escondida atrás da parede, o ambiente ficou muito claro e eu perdi a lucidez. Ela estava segurando uns galhos cheios de flores coloridas. Eu tive uma conversa com ela, mas não me lembro o assunto. Ela foi em direção ao portão e alguns raios de luz vinham na direção dela enquanto ela andava. Comecei a prestar atenção no cabelo dela, estava parecendo aqueles cabelos perfeitos de propaganda de shampoo. Resolvi tocá-lo e a sensação tátil era muito boa, ela acabou ficando brava e colocou a mão na frente dos meus olhos, quando tirou eu acordei.
Essa sua mestra tem uma personalidade muito difícil viu, Érika.  gargalhada

Quando foi que você começou a sonhar com sua mestra, Érika? Faz muito tempo?

Érika escreveu:
Sonho 3:

Eu estava sentada em uma das cadeiras na mesa da minha casa, em cima dela havia um rádio preto de madeira que parecia ser bem antigo. Aquilo me fez começar a pensar no passado, de repente ficou tudo escuro e eu não conseguia enxergar quase nada, apenas um foco de luz laranja ao lado do rádio. Ouvi a voz de um homem, que me lembrou um pouco a voz do senhor que apareceu no meu primeiro sl, perguntando se eu queria ouvir uma música. Eu disse que sim e o rádio começou a tocar a música tema do filme “A lista de Schindler”, que eu vi há muito tempo atrás. Apesar de triste, a música estava maravilhosa e a qualidade do som do rádio era ótima. Em algum momento eu fiquei tonta e acabei caindo da cadeira. Quando minha visão voltou, eu estava em pé em frente a uma casa de madeira clara. Ao meu lado estava sentado um homem de roupa preta com o qual eu estava conversando, tenho a impressão de já ter sonhado com ele antes, mas não me lembro quem era, nem sobre o quê falávamos. Em frente à essa casa havia uma outra, e na porta dela estava um senhor negro de chapéu preto. Ele disse para eu parar de conversar com aquele cara, e ir até ele, pois ele iria abrir a porta para mim. Fiquei sem entender, disse que não precisava e continuei conversando com o cara.  Ele continuou insistindo para eu não conversar mais com o cara, pois ele ia abrir a porta para mim. Fiquei muito confusa com aquilo e desconfiei que era um sonho. Nesse momento não sei se acordei ou tive um falso despertar muito realístico, só me lembro que senti muito sono e comecei a ficar paralisada como se fosse entrar em uma paralisia do sono, logo em seguida começava a ver a imagem do senhor de chapéu preto, como se o sonho fosse começar de novo. Tentei sair da paralisia e consegui, mas voltei a sentir muito sono e tudo se repetia. Após ver a imagem do senhor umas quatro vezes eu acordei de verdade.
Seria interessante ver o que aquele senhor de chapéu queria com você, Érika. Podia até não ser nada de mais, ou quem sabe, ele queria te dizer algo importante.
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Sex Maio 27, 2016 5:06 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Ramon:

Érika escreveu:

[quote="Érika"]Ultimamente meu sono está muito irregular e além de estar tendo poucos sonhos lúcidos, estou tendo dificuldade para lembrar dos meus sonhos. Aqui vai o relato de 3 sonhos de hoje para ver se anotando consigo melhorar minha memória.

Sonho 1:

Eu estava na sala da minha casa com meu irmão e ouvi alguém abrindo o portão. Meu irmão disse que quem havia chegado era um amigo dele, e que ele tinha trazido o filho com ele, mas o menino estava muito doente e provavelmente tinha poucos dias de vida. O pai da criança ficou lá fora conversando com alguém e o menino entrou na sala onde estávamos, ele aparentava ter uns três anos de idade, era moreno de cabelos cacheados, e usava uma calça jeans e camisa verde clara, e realmente parecia estar muito doente. O menino não conseguia abrir os olhos, que estavam um pouco inchados, e tinha várias feridas na pele, que sangravam e deixavam marcas em tudo que o menino encostava. Ele ficava andando sem rumo pela sala, deixando marcas de sangue pelas paredes e nos móveis, tentando falar alguma coisa, mas eu não entendia nada. Meu irmão disse que ele tinha vindo nos visitar porque queria muito me dar um abraço, então o garoto veio em minha direção com os braços abertos. Eu estava com medo e ao mesmo tempo comovida com aquela situação, mas acabei indo lá e abraçando o garoto. Tive uma sensação muito boa ao abraçá-lo, e quando o soltei percebi que ele não tinha mais nenhuma ferida e já conseguia abrir os olhos, então ele saiu correndo e o pai dele o levou embora. Acordei.
Esse abraço foi milagroso. Você curou o garotinho.  viva

Érika escreveu:
Sonho 2:

Decidi dormir de novo e tive uma paralisia do sono, fiquei tentando entrar em um sonho lúcido mas alguém ficava me segurando e falando coisas que eu não me lembro. Quando consegui sair da cama, vi que quem estava me segurando era meu irmão, mas a voz dele estava diferente. Fui para o quintal e percebi que estava com meu vestido amarelo que sempre uso nos sonhos, subi em cima do muro e fiquei andando para tentar ver o que tinha dentro das outras casas da rua, até que surgiu um homem de terno com cabeça de cachorro na porta da sala e eu caí do muro, indo parar no meio da rua. O homem começou a jogar pedras gigantes por cima do muro tentando me acertar, e as pedras ficavam voando me seguindo pela rua. Eu comecei a pegar as pedras e mandar de volta para acertar nele, até que consegui mandar três pedras juntas de uma só vez e ele parou de jogar mais pedras. Entrei de novo em casa e encontrei a mestra escondida atrás da parede, o ambiente ficou muito claro e eu perdi a lucidez. Ela estava segurando uns galhos cheios de flores coloridas. Eu tive uma conversa com ela, mas não me lembro o assunto. Ela foi em direção ao portão e alguns raios de luz vinham na direção dela enquanto ela andava. Comecei a prestar atenção no cabelo dela, estava parecendo aqueles cabelos perfeitos de propaganda de shampoo. Resolvi tocá-lo e a sensação tátil era muito boa, ela acabou ficando brava e colocou a mão na frente dos meus olhos, quando tirou eu acordei.
Essa sua mestra tem uma personalidade muito difícil viu, Érika.  gargalhada

Quando foi que você começou a sonhar com sua mestra, Érika? Faz muito tempo?

Érika escreveu:
Sonho 3:

Eu estava sentada em uma das cadeiras na mesa da minha casa, em cima dela havia um rádio preto de madeira que parecia ser bem antigo. Aquilo me fez começar a pensar no passado, de repente ficou tudo escuro e eu não conseguia enxergar quase nada, apenas um foco de luz laranja ao lado do rádio. Ouvi a voz de um homem, que me lembrou um pouco a voz do senhor que apareceu no meu primeiro sl, perguntando se eu queria ouvir uma música. Eu disse que sim e o rádio começou a tocar a música tema do filme “A lista de Schindler”, que eu vi há muito tempo atrás. Apesar de triste, a música estava maravilhosa e a qualidade do som do rádio era ótima. Em algum momento eu fiquei tonta e acabei caindo da cadeira. Quando minha visão voltou, eu estava em pé em frente a uma casa de madeira clara. Ao meu lado estava sentado um homem de roupa preta com o qual eu estava conversando, tenho a impressão de já ter sonhado com ele antes, mas não me lembro quem era, nem sobre o quê falávamos. Em frente à essa casa havia uma outra, e na porta dela estava um senhor negro de chapéu preto. Ele disse para eu parar de conversar com aquele cara, e ir até ele, pois ele iria abrir a porta para mim. Fiquei sem entender, disse que não precisava e continuei conversando com o cara.  Ele continuou insistindo para eu não conversar mais com o cara, pois ele ia abrir a porta para mim. Fiquei muito confusa com aquilo e desconfiei que era um sonho. Nesse momento não sei se acordei ou tive um falso despertar muito realístico, só me lembro que senti muito sono e comecei a ficar paralisada como se fosse entrar em uma paralisia do sono, logo em seguida começava a ver a imagem do senhor de chapéu preto, como se o sonho fosse começar de novo. Tentei sair da paralisia e consegui, mas voltei a sentir muito sono e tudo se repetia. Após ver a imagem do senhor umas quatro vezes eu acordei de verdade.
Seria interessante ver o que aquele senhor de chapéu queria com você, Érika. Podia até não ser nada de mais, ou quem sabe, ele queria te dizer algo importante.

Ramon, achei que o sonho do garotinho ia acabar virando um pesadelo, mas foi muito bom ver que o menino tinha se curado no final.

No sonho com o senhor de chapéu, eu acabei ficando com medo por causa da paralisia, era como se ele estivesse tentando me puxar de volta, depois eu me arrependi de não ter tentado voltar para o sonho, mas se for algo importante vou esperar para ver se o senhorzinho aparece de novo olhos girando

Quanto ao sonho com a mestra, ela é realmente muito complicada, tenho medo dela até hoje gargalhada

Comecei a sonhar com ela há uns 12 anos atrás, creio eu. Antes disso eu costumava sonhar muito com uma mulher de vestido preto no meu quarto, mas não me lembro da criatura para saber se já era a mestra ou não. Acho que eu sonhava tanto com ela na infância, que acabei fixando ela na mente e agora ela não some mais surpreso
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3188
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Sex Maio 27, 2016 5:25 pm
Sonho 1::


Eu estava na sala da minha casa com meu irmão e ouvi alguém abrindo o portão. Meu irmão disse que quem havia chegado era um amigo dele, e que ele tinha trazido o filho com ele, mas o menino estava muito doente e provavelmente tinha poucos dias de vida. O pai da criança ficou lá fora conversando com alguém e o menino entrou na sala onde estávamos, ele aparentava ter uns três anos de idade, era moreno de cabelos cacheados, e usava uma calça jeans e camisa verde clara, e realmente parecia estar muito doente. O menino não conseguia abrir os olhos, que estavam um pouco inchados, e tinha várias feridas na pele, que sangravam e deixavam marcas em tudo que o menino encostava. Ele ficava andando sem rumo pela sala, deixando marcas de sangue pelas paredes e nos móveis, tentando falar alguma coisa, mas eu não entendia nada. Meu irmão disse que ele tinha vindo nos visitar porque queria muito me dar um abraço, então o garoto veio em minha direção com os braços abertos. Eu estava com medo e ao mesmo tempo comovida com aquela situação, mas acabei indo lá e abraçando o garoto. Tive uma sensação muito boa ao abraçá-lo, e quando o soltei percebi que ele não tinha mais nenhuma ferida e já conseguia abrir os olhos, então ele saiu correndo e o pai dele o levou embora. Acordei.
Abraço. Um aperto que alivia.  flor  Que peninha que eu senti no menininho doente. Felizmente o sonho teve um final feliz.
35

Sonho 2::
Decidi dormir de novo e tive uma paralisia do sono, fiquei tentando entrar em um sonho lúcido mas alguém ficava me segurando e falando coisas que eu não me lembro. Quando consegui sair da cama, vi que quem estava me segurando era meu irmão, mas a voz dele estava diferente. Fui para o quintal e percebi que estava com meu vestido amarelo que sempre uso nos sonhos, subi em cima do muro e fiquei andando para tentar ver o que tinha dentro das outras casas da rua, até que surgiu um homem de terno com cabeça de cachorro na porta da sala e eu caí do muro, indo parar no meio da rua. O homem começou a jogar pedras gigantes por cima do muro tentando me acertar, e as pedras ficavam voando me seguindo pela rua. Eu comecei a pegar as pedras e mandar de volta para acertar nele, até que consegui mandar três pedras juntas de uma só vez e ele parou de jogar mais pedras. Entrei de novo em casa e encontrei a mestra escondida atrás da parede, o ambiente ficou muito claro e eu perdi a lucidez. Ela estava segurando uns galhos cheios de flores coloridas. Eu tive uma conversa com ela, mas não me lembro o assunto. Ela foi em direção ao portão e alguns raios de luz vinham na direção dela enquanto ela andava. Comecei a prestar atenção no cabelo dela, estava parecendo aqueles cabelos perfeitos de propaganda de shampoo. Resolvi tocá-lo e a sensação tátil era muito boa, ela acabou ficando brava e colocou a mão na frente dos meus olhos, quando tirou eu acordei.
Seu homem de terno com cabeça de cachorro é tão bizarro quanto a minha mulher com pernas de galinha. gargalhada  gargalhada
Eu ficaria apreensiva com as pedras gigantes me perseguindo. Vai saber, se de repente as pedras desabam sobre a cabeça.
Sobre a mestra, eu nem sei o que dizer. Crying or Very sad Como é difícil agradá-la.

Sonho 3::

Eu estava sentada em uma das cadeiras na mesa da minha casa, em cima dela havia um rádio preto de madeira que parecia ser bem antigo. Aquilo me fez começar a pensar no passado, de repente ficou tudo escuro e eu não conseguia enxergar quase nada, apenas um foco de luz laranja ao lado do rádio. Ouvi a voz de um homem, que me lembrou um pouco a voz do senhor que apareceu no meu primeiro sl, perguntando se eu queria ouvir uma música. Eu disse que sim e o rádio começou a tocar a música tema do filme “A lista de Schindler”, que eu vi há muito tempo atrás. Apesar de triste, a música estava maravilhosa e a qualidade do som do rádio era ótima. Em algum momento eu fiquei tonta e acabei caindo da cadeira. Quando minha visão voltou, eu estava em pé em frente a uma casa de madeira clara. Ao meu lado estava sentado um homem de roupa preta com o qual eu estava conversando, tenho a impressão de já ter sonhado com ele antes, mas não me lembro quem era, nem sobre o quê falávamos. Em frente à essa casa havia uma outra, e na porta dela estava um senhor negro de chapéu preto. Ele disse para eu parar de conversar com aquele cara, e ir até ele, pois ele iria abrir a porta para mim. Fiquei sem entender, disse que não precisava e continuei conversando com o cara.  Ele continuou insistindo para eu não conversar mais com o cara, pois ele ia abrir a porta para mim. Fiquei muito confusa com aquilo e desconfiei que era um sonho. Nesse momento não sei se acordei ou tive um falso despertar muito realístico, só me lembro que senti muito sono e comecei a ficar paralisada como se fosse entrar em uma paralisia do sono, logo em seguida começava a ver a imagem do senhor de chapéu preto, como se o sonho fosse começar de novo. Tentei sair da paralisia e consegui, mas voltei a sentir muito sono e tudo se repetia. Após ver a imagem do senhor umas quatro vezes eu acordei de verdade.
Quanto mistério, não? Por que esse senhor do chapéu não deu mais detalhes sobre a porta que ele tanto queria te mostrar. suspeito
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Sab Jun 04, 2016 8:10 pm
Königin:

Sonho 1:


Eu estava na sala da minha casa com meu irmão e ouvi alguém abrindo o portão. Meu irmão disse que quem havia chegado era um amigo dele, e que ele tinha trazido o filho com ele, mas o menino estava muito doente e provavelmente tinha poucos dias de vida. O pai da criança ficou lá fora conversando com alguém e o menino entrou na sala onde estávamos, ele aparentava ter uns três anos de idade, era moreno de cabelos cacheados, e usava uma calça jeans e camisa verde clara, e realmente parecia estar muito doente. O menino não conseguia abrir os olhos, que estavam um pouco inchados, e tinha várias feridas na pele, que sangravam e deixavam marcas em tudo que o menino encostava. Ele ficava andando sem rumo pela sala, deixando marcas de sangue pelas paredes e nos móveis, tentando falar alguma coisa, mas eu não entendia nada. Meu irmão disse que ele tinha vindo nos visitar porque queria muito me dar um abraço, então o garoto veio em minha direção com os braços abertos. Eu estava com medo e ao mesmo tempo comovida com aquela situação, mas acabei indo lá e abraçando o garoto. Tive uma sensação muito boa ao abraçá-lo, e quando o soltei percebi que ele não tinha mais nenhuma ferida e já conseguia abrir os olhos, então ele saiu correndo e o pai dele o levou embora. Acordei.
Abraço. Um aperto que alivia.  flor  Que peninha que eu senti no menininho doente. Felizmente o sonho teve um final feliz.
35

Sonho 2:
Decidi dormir de novo e tive uma paralisia do sono, fiquei tentando entrar em um sonho lúcido mas alguém ficava me segurando e falando coisas que eu não me lembro. Quando consegui sair da cama, vi que quem estava me segurando era meu irmão, mas a voz dele estava diferente. Fui para o quintal e percebi que estava com meu vestido amarelo que sempre uso nos sonhos, subi em cima do muro e fiquei andando para tentar ver o que tinha dentro das outras casas da rua, até que surgiu um homem de terno com cabeça de cachorro na porta da sala e eu caí do muro, indo parar no meio da rua. O homem começou a jogar pedras gigantes por cima do muro tentando me acertar, e as pedras ficavam voando me seguindo pela rua. Eu comecei a pegar as pedras e mandar de volta para acertar nele, até que consegui mandar três pedras juntas de uma só vez e ele parou de jogar mais pedras. Entrei de novo em casa e encontrei a mestra escondida atrás da parede, o ambiente ficou muito claro e eu perdi a lucidez. Ela estava segurando uns galhos cheios de flores coloridas. Eu tive uma conversa com ela, mas não me lembro o assunto. Ela foi em direção ao portão e alguns raios de luz vinham na direção dela enquanto ela andava. Comecei a prestar atenção no cabelo dela, estava parecendo aqueles cabelos perfeitos de propaganda de shampoo. Resolvi tocá-lo e a sensação tátil era muito boa, ela acabou ficando brava e colocou a mão na frente dos meus olhos, quando tirou eu acordei.
Seu homem de terno com cabeça de cachorro é tão bizarro quanto a minha mulher com pernas de galinha. gargalhada  gargalhada
Eu ficaria apreensiva com as pedras gigantes me perseguindo. Vai saber, se de repente as pedras desabam sobre a cabeça.
Sobre a mestra, eu nem sei o que dizer. Crying or Very sad Como é difícil agradá-la.

Sonho 3:

Eu estava sentada em uma das cadeiras na mesa da minha casa, em cima dela havia um rádio preto de madeira que parecia ser bem antigo. Aquilo me fez começar a pensar no passado, de repente ficou tudo escuro e eu não conseguia enxergar quase nada, apenas um foco de luz laranja ao lado do rádio. Ouvi a voz de um homem, que me lembrou um pouco a voz do senhor que apareceu no meu primeiro sl, perguntando se eu queria ouvir uma música. Eu disse que sim e o rádio começou a tocar a música tema do filme “A lista de Schindler”, que eu vi há muito tempo atrás. Apesar de triste, a música estava maravilhosa e a qualidade do som do rádio era ótima. Em algum momento eu fiquei tonta e acabei caindo da cadeira. Quando minha visão voltou, eu estava em pé em frente a uma casa de madeira clara. Ao meu lado estava sentado um homem de roupa preta com o qual eu estava conversando, tenho a impressão de já ter sonhado com ele antes, mas não me lembro quem era, nem sobre o quê falávamos. Em frente à essa casa havia uma outra, e na porta dela estava um senhor negro de chapéu preto. Ele disse para eu parar de conversar com aquele cara, e ir até ele, pois ele iria abrir a porta para mim. Fiquei sem entender, disse que não precisava e continuei conversando com o cara.  Ele continuou insistindo para eu não conversar mais com o cara, pois ele ia abrir a porta para mim. Fiquei muito confusa com aquilo e desconfiei que era um sonho. Nesse momento não sei se acordei ou tive um falso despertar muito realístico, só me lembro que senti muito sono e comecei a ficar paralisada como se fosse entrar em uma paralisia do sono, logo em seguida começava a ver a imagem do senhor de chapéu preto, como se o sonho fosse começar de novo. Tentei sair da paralisia e consegui, mas voltei a sentir muito sono e tudo se repetia. Após ver a imagem do senhor umas quatro vezes eu acordei de verdade.
Quanto mistério, não? Por que esse senhor do chapéu não deu mais detalhes sobre a porta que ele tanto queria te mostrar. suspeito

Königin, na verdade eu fiquei morrendo de medo das pedras, mas quando eu percebi que não dava pra correr delas tentei segurá-las e vi que conseguia, aí fiquei mais tranquila. feliz

Também não entendi porque o senhor de chapéu ficou com aquela história da porta, talvez se ele tivesse explicado melhor teria me convencido. gargalhada
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Relatos dia 04/06/16

em Sab Jun 04, 2016 8:10 pm
Sonho 1:

Eu era um cara de cabelo comprido, usava roupa preta e um coturno preto, era pai de uma menina de aproximadamente 4 anos e estávamos na festa de aniversário de uma outra garotinha, nós queríamos ir embora, mas a aniversariante ainda não havia chegado. Quando a menina finalmente chegou, percebi que ela era idêntica à garota que era minha filha, e quando essa minha filha a viu começou a chorar e correr desesperadamente pela casa. Fui atrás dela e falei para ela entregar logo o presente da aniversariante para que pudéssemos ir embora, então ela ficou brava e segurou os meus braços com uma força descomunal, eu acabei acordando de susto.

Sonho 2:

De novo eu era um homem, usava uma calça jeans e uma camisa cinza, se não me engano estava aqui em casa consertando alguma coisa, acho que era uma televisão. Chegou uma mulher loira na sala e ficou me olhando de um jeito estranho, de repente surgiu uma cortina de renda na minha frente e vi uma luz vermelha atrás dela. Puxei a cortina e a sala estava um pouco escura, tinha uma iluminação verde bem fraca, a mulher loira estava deitada no sofá e começou a tirar a roupa. O cara (que era eu) foi para o sofá e subiu em cima dela, porém a mulher loira se transformou em uma outra mulher ruiva, achei aquilo estranho e desconfiei que era um sonho, nessa hora o cara acabou se transformando novamente em mim e eu estava lá em cima da mulher ruiva, não entendi o porquê mas acabei me desequilibrando totalmente e comecei a cair do sofá, a mulher tentou me segurar mas não conseguiu, eu caí de cabeça no chão e acordei.

Sonho 3:

Tive uma paralisia do sono e tive a impressão de ter visto uma menina com um ursinho de pelúcia na frente da minha cama, mas não tenho certeza se realmente era isso pois a imagem estava toda borrada. Fechei os olhos para tentar sair da paralisia e quando abri vi que estava presa em uma jaula muito pequena para mim. Em outras jaulas havia pessoas totalmente dobradas para caber lá dentro, alguns cientistas estavam nos observando e tentando decidir o que iriam fazer conosco. Fiquei com medo e comecei a me contorcer para tentar sair de lá, de repente todo mundo ficou paralisado e apareceu uma menina com a qual já sonhei antes, então ela abriu a minha jaula e disse que era melhor eu sair de lá. Perguntei à ela para onde eu iria, ela me mostrou um buraco na parede e disse que achava que eu ia encontrar o pai dela. Entrei no buraco e perdi a consciência, acordei sem roupa deitada ao lado de um cara que é meio-irmão da mulher que sempre aparece em meus sonhos. Dei o mesmo azar do sonho 2 e acabei me desequilibrando, o cara tentou me segurar mas eu caí da cama de cabeça no chão e acordei.

Sonho 4:

Eu estava enrolada em um pano preto que cobria a minha cabeça, estava ajoelhada de cabeça baixa em um salão amplo e escuro junto com várias outras pessoas. Lá na frente havia uma espécie de altar e estavam celebrando algum ritual religioso que eu não entendi. Ao meu lado havia uma menina mais ou menos da minha idade, ela me disse que estava desconfiando muito daquilo que estava acontecendo naquele salão. A mestra (mulher que sempre aparece em meus sonhos) entrou no salão, eu e a menina levantamos a cabeça para olhar para ela, ela rapidamente fez eu abaixar a cabeça de novo e a menina também abaixou por conta própria, a menina perguntou à ela : “O que está acontecendo aqui? Nós estamos rezando, mas isso não parece uma igreja.” Ela respondeu com uma voz grave: “Quem disse que vocês estão rezando para deus?” A menina saiu correndo chorando e eu acordei.
avatar
Mensagens : 326
Pontos : 934
Honra : 106
Data de inscrição : 10/05/2016
Localização : RS
Sonhos Lúcidos :
7 / 9997 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Sab Jun 04, 2016 9:46 pm
Noite agitada ressalto .Gostei de ler seus sonhos Érika certo Nossa mente é incrível mesmo,capaz de elaborar essas histórias
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Dom Ago 28, 2016 8:29 pm
Sonho 1:

Eu estava em um cemitério com um garoto que não conheço, ele usava roupas brancas e seu cabelo era preto e liso. Estávamos procurando uma sepultura específica, mas eu não sabia de quem era. Estávamos tendo dificuldades para encontrar a sepultura, pois havia várias plantas sobre as lápides, que nos impediam de ler os nomes gravados nelas, então decidimos nos separar para procurar. Saí andando sem saber exatamente o que estava procurando, até que encontrei uma lápide que não estava tampada por plantas e tentei ler o que estava escrito. O sonho começou a se desfazer, a única coisa que consegui ver antes de acordar foi uma imagem ampliada daquela lápide, que tinha a foto de uma garotinha de blusa branca e cabelo curto, preto e ondulado. Não me lembro das datas que estavam escritas, mas o nome da garota era Janina Wawer.

Sonho 2:

Entrei em um ônibus e pouco tempo depois entrou um assaltante, eu disse que não tinha dinheiro, então ele começou a me revistar para ver se era verdade. Ele não encontrou o dinheiro e mandou eu me levantar e ir esperar na frente do ônibus. Assim que eu levantei entraram umas mulheres e sentaram no meu lugar. O cara assaltou as pessoas que estavam no fundo do ônibus e antes de ir embora me deu uma nota de dois reais. Fiquei com raiva de ter perdido o meu lugar no ônibus e decidi descer para esperar outro, porém todo mundo do ônibus decidiu descer também e saíram correndo dizendo que estávamos sendo perseguidos por alguma coisa, não me lembro se eram monstros ou bandidos. Saí correndo junto com eles, fomos descendo um morro que dava acesso a várias outras ruas, até que por algum motivo o pessoal parou de correr e queriam que eu fosse andando na frente, eu fiquei muito desconfiada e tentei continuar próxima deles, porém na primeira oportunidade eles saíram correndo por uma das outras ruas e me deixaram sozinha no meio do morro. O final do morro estava muito escuro, então decidi entrar na próxima rua à esquerda, pois ela estava mais iluminada. Fiquei olhando as casas daquela rua, elas me traziam algumas lembranças dentro do sonho, como se eu já tivesse passado por ali antes, principalmente uma casa azul de dois andares, com janelas brancas redondas. As luzes da rua começaram a se apagar, eu fiquei com muito medo e acabei acordando.
avatar
Mensagens : 326
Pontos : 934
Honra : 106
Data de inscrição : 10/05/2016
Localização : RS
Sonhos Lúcidos :
7 / 9997 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Dom Ago 28, 2016 8:37 pm
O assaltante te deu dois reais? gargalhada
Chegou a procurar na net esse nome,Janina Wawer?Eu vou procurar.
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Dom Ago 28, 2016 8:56 pm
Na hora em que o assaltante me entregou a nota eu pensei que fosse uma nota de cem, quando fui prestar atenção vi que era de 2 reais gargalhada

Eu até procurei o nome, mas acho que não encontrei nada de mais.
avatar
Mensagens : 43
Pontos : 370
Honra : 23
Data de inscrição : 24/08/2016
Sonhos Lúcidos :
2 / 9992 / 999
Sonhos Comuns :
12 / 99912 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Seg Ago 29, 2016 8:46 am
Érika escreveu:Sonho 1:

Eu estava em um cemitério com um garoto que não conheço, ele usava roupas brancas e seu cabelo era preto e liso. Estávamos procurando uma sepultura específica, mas eu não sabia de quem era. Estávamos tendo dificuldades para encontrar a sepultura, pois havia várias plantas sobre as lápides, que nos impediam de ler os nomes gravados nelas, então decidimos nos separar para procurar. Saí andando sem saber exatamente o que estava procurando, até que encontrei uma lápide que não estava tampada por plantas e tentei ler o que estava escrito. O sonho começou a se desfazer, a única coisa que consegui ver antes de acordar foi uma imagem ampliada daquela lápide, que tinha a foto de uma garotinha de blusa branca e cabelo curto, preto e ondulado. Não me lembro das datas que estavam escritas, mas o nome da garota era Janina Wawer.

Sonho 2:

Entrei em um ônibus e pouco tempo depois entrou um assaltante, eu disse que não tinha dinheiro, então ele começou a me revistar para ver se era verdade. Ele não encontrou o dinheiro e mandou eu me levantar e ir esperar na frente do ônibus. Assim que eu levantei entraram umas mulheres e sentaram no meu lugar. O cara assaltou as pessoas que estavam no fundo do ônibus e antes de ir embora me deu uma nota de dois reais. Fiquei com raiva de ter perdido o meu lugar no ônibus e decidi descer para esperar outro, porém todo mundo do ônibus decidiu descer também e saíram correndo dizendo que estávamos sendo perseguidos por alguma coisa, não me lembro se eram monstros ou bandidos. Saí correndo junto com eles, fomos descendo um morro que dava acesso a várias outras ruas, até que por algum motivo o pessoal parou de correr e queriam que eu fosse andando na frente, eu fiquei muito desconfiada e tentei continuar próxima deles, porém na primeira oportunidade eles saíram correndo por uma das outras ruas e me deixaram sozinha no meio do morro. O final do morro estava muito escuro, então decidi entrar na próxima rua à esquerda, pois ela estava mais iluminada. Fiquei olhando as casas daquela rua, elas me traziam algumas lembranças dentro do sonho, como se eu já tivesse passado por ali antes, principalmente uma casa azul de dois andares, com janelas brancas redondas. As luzes da rua começaram a se apagar, eu fiquei com muito medo e acabei acordando.

Olá Érika, sempre estarei aqui lendo seus relatos viva
Sonho 1: Um cara de branco com você dentro de um cemitério procurando uma lápide, bem tenso, interessante que você leu a lápide especifica que procurava mas não conseguiu ler as outras.

Sonho 2: Sonho tenso também em, mas nem pareceu nervosa, logo após o assalto você ficou com raiva das mulheres que tomaram seu assento gargalhada .
Sua decisão de descer fez a cabeça dos outros em, todo mundo decidiu descer e pra completar ainda correm de algo. Nossa que covardes, não gostaram de você correr junto com eles e "armaram" pra você, pararam tentaram lhe convencer a ir em frente sozinha, viram que você não quis e lhe enganaram.

Excelentes sonhos, até os próximos relatos viva



Se o universo é incrível, maravilhoso e infinito e o infinito é algo sem barreiras e sem fim, imagina ter outro universo ao dormir, onde é você quem não tem barreiras, é poder ter seus dois próprios infinitos.
חוֹלֵם - Sonhador
avatar
Mensagens : 386
Pontos : 1445
Honra : 199
Data de inscrição : 04/03/2016
Idade : 20
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
29 / 99929 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Seg Ago 29, 2016 10:29 am
A única imagem que tinha de uma Janina Wawer na internet era essa:



Se bem que comparado a versão do sonho essa aí é bem mas vivida neutro
Mas vou te contar Érika, seus sonhos tanto lúcidos quanto os não lúcidos são uma séria de coisas intrincadas que são muito legais de tentar desvendar. Você curte literatura com essa temática de mistérios ou sobrenatural?
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Qua Set 07, 2016 9:15 pm
חוֹלֵם:

Érika escreveu:Sonho 1:

Eu estava em um cemitério com um garoto que não conheço, ele usava roupas brancas e seu cabelo era preto e liso. Estávamos procurando uma sepultura específica, mas eu não sabia de quem era. Estávamos tendo dificuldades para encontrar a sepultura, pois havia várias plantas sobre as lápides, que nos impediam de ler os nomes gravados nelas, então decidimos nos separar para procurar. Saí andando sem saber exatamente o que estava procurando, até que encontrei uma lápide que não estava tampada por plantas e tentei ler o que estava escrito. O sonho começou a se desfazer, a única coisa que consegui ver antes de acordar foi uma imagem ampliada daquela lápide, que tinha a foto de uma garotinha de blusa branca e cabelo curto, preto e ondulado. Não me lembro das datas que estavam escritas, mas o nome da garota era Janina Wawer.

Sonho 2:

Entrei em um ônibus e pouco tempo depois entrou um assaltante, eu disse que não tinha dinheiro, então ele começou a me revistar para ver se era verdade. Ele não encontrou o dinheiro e mandou eu me levantar e ir esperar na frente do ônibus. Assim que eu levantei entraram umas mulheres e sentaram no meu lugar. O cara assaltou as pessoas que estavam no fundo do ônibus e antes de ir embora me deu uma nota de dois reais. Fiquei com raiva de ter perdido o meu lugar no ônibus e decidi descer para esperar outro, porém todo mundo do ônibus decidiu descer também e saíram correndo dizendo que estávamos sendo perseguidos por alguma coisa, não me lembro se eram monstros ou bandidos. Saí correndo junto com eles, fomos descendo um morro que dava acesso a várias outras ruas, até que por algum motivo o pessoal parou de correr e queriam que eu fosse andando na frente, eu fiquei muito desconfiada e tentei continuar próxima deles, porém na primeira oportunidade eles saíram correndo por uma das outras ruas e me deixaram sozinha no meio do morro. O final do morro estava muito escuro, então decidi entrar na próxima rua à esquerda, pois ela estava mais iluminada. Fiquei olhando as casas daquela rua, elas me traziam algumas lembranças dentro do sonho, como se eu já tivesse passado por ali antes, principalmente uma casa azul de dois andares, com janelas brancas redondas. As luzes da rua começaram a se apagar, eu fiquei com muito medo e acabei acordando.

Olá Érika, sempre estarei aqui lendo seus relatos viva
Sonho 1: Um cara de branco com você dentro de um cemitério procurando uma lápide, bem tenso, interessante que você leu a lápide especifica que procurava mas não conseguiu ler as outras.

Sonho 2: Sonho tenso também em, mas nem pareceu nervosa, logo após o assalto você ficou com raiva das mulheres que tomaram seu assento gargalhada .
Sua decisão de descer fez a cabeça dos outros em, todo mundo decidiu descer e pra completar ainda correm de algo. Nossa que covardes, não gostaram de você correr junto com eles e "armaram" pra você, pararam tentaram lhe convencer a ir em frente sozinha, viram que você não quis e lhe enganaram.

Excelentes sonhos, até os próximos relatos viva

Obrigada pelos comentários חוֹלֵם, também achei muita sacanagem a atitude do pessoal do ônibus no sonho 2  gargalhada

Pyros:
A única imagem que tinha de uma Janina Wawer na internet era essa:



Se bem que comparado a versão do sonho essa aí é bem mas vivida neutro
Mas vou te contar Érika, seus sonhos tanto lúcidos quanto os não lúcidos são uma séria de coisas intrincadas que são muito legais de tentar desvendar. Você curte literatura com essa temática de mistérios ou sobrenatural?

Até que se imaginar esta senhora como criança, deve ter sido bem parecida com a menina do meu sonho, principalmente o cabelo  olhos girando Eu gosto de livros com essa temática, mas faz bastante tempo que não leio nada do tipo.


Última edição por Érika em Qui Set 08, 2016 12:52 am, editado 1 vez(es)
avatar
Mensagens : 233
Pontos : 1302
Honra : 72
Data de inscrição : 26/12/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos da Érika

em Qua Set 07, 2016 9:16 pm
Sonho 07/09/16:

Este sonho foi muito confuso e parece ter durado horas. Na primeira parte lembro que eu estava em um ônibus, havia várias pessoas lá dentro e aconteceram muitas coisas que não me lembro. Em algum momento um rapaz que estava no ônibus começou a contar uma história que fazia muito sentido para mim, ele meio que contava vários sonhos que eu já tive, como se ele também estivesse lá, citava todos os personagens que estavam nesses sonhos e fazia comentários sobre eles. Eu sentia que se continuasse ouvindo as histórias daquele rapaz, ele desvendaria todos os mistérios presentes em meus sonhos, porém entraram no ônibus três adolescentes que começaram a perseguir esse rapaz, dizendo que ele tinha que tomar cuidado com a língua dele e fazendo ameaças. Um dos adolescentes sentou do lado dele para vigiá-lo, ele trocou de assento e o garoto foi atrás dele, isso se repetiu por várias vezes até que ele ficou tão incomodado que decidiu descer do ônibus. Não sei exatamente o que aconteceu depois, mas lembro de ter ficado um bom tempo sem enxergar nada, apenas tinha algumas sensações e ouvia alguém falando comigo, sem conseguir me mexer. Quando recuperei a visão eu era outra pessoa, uma garota de vestido vermelho que estava em uma festa em um lugar bastante estranho, não me lembro o que eu fiz enquanto estava no corpo dela, mas quando voltei a ser eu, queria muito encontrá-la. Fiquei procurando ela naquele ambiente da festa, até que alguém me disse que ela estava em um bar que ficava no subterrâneo. Fui até lá e encontrei a garota, mas não me lembro sobre o que falamos. Este bar em que ela estava era muito estranho, e as pessoas que o frequentavam mais ainda, a entrada de pessoas era muito bem controlada, apesar de eu ter conseguido entrar com facilidade. Havia uma mulher muito bonita fazendo bebidas no balcão, ela parecia trabalhar com as bebidas e também como stripper. De repente apareci em um lugar bem claro, eu estava com meu vestido amarelo que sempre uso nos sonhos lúcidos, mas não sei se cheguei a ficar lúcida de verdade. A mulher que estava fazendo as bebidas no bar também estava ali, de frente para mim, usando um vestido branco, ela estava muito pacífica, tinha um leve sorriso no rosto, estava bem melhor que na parte do sonho no bar. Comecei a conversar com ela, mas não lembro da conversa toda. Perguntei se ela ainda trabalhava no bar, ela disse que não, pois aquilo foi há algum tempo atrás, e eu estava vendo coisas do passado. Perguntei sobre a garota de vestido vermelho, ela disse que eu a conhecia, só não estava lembrando porque ela estava um pouco diferente naquele sonho, mas que se eu me esforçasse um pouco ia acabar lembrando. Perguntei se eu tinha visto ela em um sonho, a mulher disse que sim. Tentei lembrar mas não consegui de jeito nenhum. Perguntei o que ela pensava da mestra (personagem que aparece frequentemente em meus sonhos), e a mulher falou muito bem dela, disse que era uma grande mulher, e que era uma das melhores pessoas que ela conheceu. Nesse momento fiquei desconfiada que essa mulher já havia morrido, mas não questionei. Perguntei a ela se aquela garota de vermelho sempre frequentava aquele bar, para que eu tentasse me lembrar quem é, a mulher disse que sim, pois depois que alguém ia pra lá algumas vezes era obrigado a voltar várias outras. Ela disse que eles cometiam vários crimes lá, entre outras coisas, e que os donos controlavam muito bem quem frequentava ali, para que nada desse errado. Enfim, ela disse que aquele lugar horrível tinha acabado com a vida dela, mas poderia ter sido muito pior. Perguntei o que tinha acontecido de tão ruim assim, e ela disse que estava cansada de colaborar indiretamente com as coisas que via acontecendo lá, e principalmente estava cansada de agressões. Ela tirou o vestido branco e começou a me mostrar várias marcas pelo corpo dela, e narrou como havia conseguido várias delas. Algumas cicatrizes estavam bem apagadas, outras bem evidentes, ela disse que haviam várias outras que tinham sido apagadas por completo pela mestra. Eu perguntei como e ela disse que a mestra tinha muitas cicatrizes causadas pelo pai dela, e por isso ela aprendeu um jeito de amenizá-las, e que hoje quase não dá pra ver marcas nela. Havia alguns hematomas pelo corpo da mulher que eram bastante evidentes e eu perguntei se aqueles eram recentes, ela disse que não, e que aquelas provavelmente nunca iriam sair. Pouco tempo depois eu acordei.
Conteúdo patrocinado

Re: Diário dos Sonhos da Érika

Ver o tópico anteriorVoltar ao TopoVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum