Conectar-se
Os membros mais ativos do mês
1 Mensagem - 50%
1 Mensagem - 50%
Votação
Qual a técnica que você utiliza para ficar lúcido?
Teste de Realidade
45% / 15
Totem
15% / 5
Incubação
12% / 4
Gatilho
6% / 2
Gravador de Voz ou Sons Binaurais
6% / 2
Outros
15% / 5
Parceiros
 sonhos=
 sonhos=
 animes=

Compartilhe
Ver o tópico anteriorIr em baixoVer o tópico seguinte
avatar
Mensagens : 167
Pontos : 1092
Honra : 80
Data de inscrição : 29/07/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Dom Ago 23, 2015 7:37 pm
Arcanjo Miguel usava espada a famosa Excalibur


"O sonho é a porta de entrada para o universo interior que existe dentro de nós."
Ramon
avatar
Mensagens : 130
Pontos : 1127
Honra : 45
Data de inscrição : 22/04/2015
Idade : 20
Localização : Belém
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
300 / 999300 / 999
Ver perfil do usuáriohttp://pensamentosemmente.blogspot.com.br

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Dom Ago 23, 2015 8:24 pm
Königin escreveu:Agora tarde aconteceu algo interessante pena que foi tão breve.
Eu estava deitada, um pouco sonolenta, mas nao conseguia pegar no sono. De repente, comecei a sentir meu corpo como se tivesse vibrando. Os meus braços seguiam a linha do corpo e as mãos estavam repousadas sobre a cama, mas a sensação que eu tinha e que meus braços estavam totalmente contorcidos e as palmas das mãos viradas para cima. Uma posicao bem estranha mesma. Comecei a ouvir um barulho de asas batendo bem do meu lado. Tentei levantar minha cabeça para ver o que era mas não consegui. Tentei virar de lado e também não consegui. Comecei a ficar com medo, pois eu tinha a sensação que aquelas asas estavam se aproximando da minha cama. Como não consegui levantar e nem virar de lado. Tive a idéia de tentar me relaxar totalmente e esperar que tudo acabasse. Foi então que comecei a sentir meu corpo bem pesado e ele começou a pressionar em direção ao colchão e então senti que o atravessava e sai do outro lado, caindo até atingir o chão. Ao atingir o chão, vi não estava mais no meu quarto. Não sei dizer onde eu estava. Olhei para minhas mãos e parecia que eu tinha 4 polegares. "Estou sonhando", falei. Levantei do chão e ouvi um "olá". Olho para o lado e vejo um homem alto e forte. Ele tinha asas. As asas eram enormes e muito bonitas. Perguntei se ele era o Ícaro (Ícaro? olhos girando ). Ele respondeu que era um arcanjo. Falou o nome dele, mas não lembro. Era algo que terminava com "el". Não era Miguel, nem Rafael. Sei lá.
Eu ia começar a perguntar porque ele estava ali, entao comecei a ouvir "Tor! Tor! Toooor!" e acordei com meu vizinho comemorando um gol ( acho que foi um gol do Bayern München. Ele maluco por esse time  maluco ).

Olhe encontrei alguns nomes em um livro aqui:
Dariel - Querubin
Miguel - Arcanjo
Nathanael - Anjo da casta do Ofanins
Rafael - Arcanjo
Samael - Anjo caído
Shenial - Querubin
Uziel - Arcanjo

Pode ser o Uziel, gostei muito desse seu sonho, pena que durou tão pouco. Esse seu vizinho barulhento acabou com seu barato. Bom sonho ! piscar


Hazai  certo
estrelaestrelaestrelaestrelaestrelaestrelaestrelaestrelaestrelaestrela   
"Podemos negar que nossos anjos existem, dizer a nós mesmos que eles não podem ser reais. Mas eles aparecem de qualquer maneira. Em lugares estranhos, em tempos estranhos, eles podem ser qualquer personagem que possamos imaginar. Serão verdadeiros demônios se precisarem, nos chamando, nos desafiando a lutar."

Sucker Punch | Mundo Surreal
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5675
Honra : 1044
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Seg Ago 24, 2015 4:15 pm
Königin escreveu:

Königin escreveu:
Ramon escreveu:
Königin escreveu:

Königin escreveu:Agora tarde aconteceu algo interessante pena que foi tão breve.
Eu estava deitada, um pouco sonolenta, mas nao conseguia pegar no sono. De repente, comecei a sentir meu corpo como se tivesse vibrando. Os meus braços seguiam a linha do corpo e as mãos estavam repousadas sobre a cama, mas a sensação que eu tinha e que meus braços estavam totalmente contorcidos e as palmas das mãos viradas para cima. Uma posicao bem estranha mesma. Comecei a ouvir um barulho de asas batendo bem do meu lado. Tentei levantar minha cabeça para ver o que era mas não consegui. Tentei virar de lado e também não consegui. Comecei a ficar com medo, pois eu tinha a sensação que aquelas asas estavam se aproximando da minha cama. Como não consegui levantar e nem virar de lado. Tive a idéia de tentar me relaxar totalmente e esperar que tudo acabasse. Foi então que comecei a sentir meu corpo bem pesado e ele começou a pressionar em direção ao colchão e então senti que o atravessava e sai do outro lado, caindo até atingir o chão. Ao atingir o chão, vi não estava mais no meu quarto. Não sei dizer onde eu estava. Olhei para minhas mãos e parecia que eu tinha 4 polegares. "Estou sonhando", falei. Levantei do chão e ouvi um "olá". Olho para o lado e vejo um homem alto e forte. Ele tinha asas. As asas eram enormes e muito bonitas. Perguntei se ele era o Ícaro (Ícaro? olhos girando ). Ele respondeu que era um arcanjo. Falou o nome dele, mas não lembro. Era algo que terminava com "el". Não era Miguel, nem Rafael. Sei lá.
Eu ia começar a perguntar porque ele estava ali, entao comecei a ouvir "Tor! Tor! Toooor!" e acordei com meu vizinho comemorando um gol ( acho que foi um gol do Bayern München. Ele maluco por esse time  maluco ).
Será que você sonhou com o anjo Gabriel? 

Poxa, esse sonho tinha tudo pra durar muito mais tempo, se não fosse o seu vizinho barulhento, pra te acordar. gargalhada

Porque seu vizinho gritava o nome "Tor"? Tor é o nome do jogador que fez o gol?

O nome do anjo nao era Gabriel. Era um nome curto. Ele tinha uma espada na mao. Existe algum arcanjo retratado com espada na mao?

Tor significa gol em alemao. Eu nao sei se eu já citei por aqui, mas eu moro na Alemanha.
O vizinho amante de futebol mora no apartamento acima do meu. Em dias de jogos ele se empolga muito nas comemoracoes e eu acabo ouvindo tudo. gargalhada
Não sei nada sobre anjos, Königin. Só lembrei do nome Gabriel, porque uma vez ja tinha vi esse nome na bíblia. Mas, só pesquisando no Google, pra saber. certo

Então, você mora na Alemanhã. Que legal. Deve fazer um frio danado aí né? gargalhada
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Ter Ago 25, 2015 5:57 pm
InexperientDreamer escreveu:Arcanjo Miguel usava espada a famosa Excalibur
Eu nao sabia disso. Vivendo e aprendendo. muito feliz
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Ter Ago 25, 2015 6:00 pm
Hazai escreveu:
Königin escreveu:Agora tarde aconteceu algo interessante pena que foi tão breve.
Eu estava deitada, um pouco sonolenta, mas nao conseguia pegar no sono. De repente, comecei a sentir meu corpo como se tivesse vibrando. Os meus braços seguiam a linha do corpo e as mãos estavam repousadas sobre a cama, mas a sensação que eu tinha e que meus braços estavam totalmente contorcidos e as palmas das mãos viradas para cima. Uma posicao bem estranha mesma. Comecei a ouvir um barulho de asas batendo bem do meu lado. Tentei levantar minha cabeça para ver o que era mas não consegui. Tentei virar de lado e também não consegui. Comecei a ficar com medo, pois eu tinha a sensação que aquelas asas estavam se aproximando da minha cama. Como não consegui levantar e nem virar de lado. Tive a idéia de tentar me relaxar totalmente e esperar que tudo acabasse. Foi então que comecei a sentir meu corpo bem pesado e ele começou a pressionar em direção ao colchão e então senti que o atravessava e sai do outro lado, caindo até atingir o chão. Ao atingir o chão, vi não estava mais no meu quarto. Não sei dizer onde eu estava. Olhei para minhas mãos e parecia que eu tinha 4 polegares. "Estou sonhando", falei. Levantei do chão e ouvi um "olá". Olho para o lado e vejo um homem alto e forte. Ele tinha asas. As asas eram enormes e muito bonitas. Perguntei se ele era o Ícaro (Ícaro? olhos girando ). Ele respondeu que era um arcanjo. Falou o nome dele, mas não lembro. Era algo que terminava com "el". Não era Miguel, nem Rafael. Sei lá.
Eu ia começar a perguntar porque ele estava ali, entao comecei a ouvir "Tor! Tor! Toooor!" e acordei com meu vizinho comemorando um gol ( acho que foi um gol do Bayern München. Ele maluco por esse time  maluco ).

Olhe encontrei alguns nomes em um livro aqui:
Dariel - Querubin
Miguel - Arcanjo
Nathanael - Anjo da casta do Ofanins
Rafael - Arcanjo
Samael - Anjo caído
Shenial - Querubin
Uziel - Arcanjo

Pode ser o Uziel, gostei muito desse seu sonho, pena que durou tão pouco. Esse seu vizinho barulhento acabou com seu barato. Bom sonho !  piscar

Hazai, você acertou em cheio. O nome do anjo era Uziel. Um nome nada comum.
Por curiosidade, qual o nome do livro que você pesquisou?
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Ter Ago 25, 2015 6:04 pm
Ramon escreveu:
Königin escreveu:

Königin escreveu:
Ramon escreveu:
Königin escreveu:

Königin escreveu:Agora tarde aconteceu algo interessante pena que foi tão breve.
Eu estava deitada, um pouco sonolenta, mas nao conseguia pegar no sono. De repente, comecei a sentir meu corpo como se tivesse vibrando. Os meus braços seguiam a linha do corpo e as mãos estavam repousadas sobre a cama, mas a sensação que eu tinha e que meus braços estavam totalmente contorcidos e as palmas das mãos viradas para cima. Uma posicao bem estranha mesma. Comecei a ouvir um barulho de asas batendo bem do meu lado. Tentei levantar minha cabeça para ver o que era mas não consegui. Tentei virar de lado e também não consegui. Comecei a ficar com medo, pois eu tinha a sensação que aquelas asas estavam se aproximando da minha cama. Como não consegui levantar e nem virar de lado. Tive a idéia de tentar me relaxar totalmente e esperar que tudo acabasse. Foi então que comecei a sentir meu corpo bem pesado e ele começou a pressionar em direção ao colchão e então senti que o atravessava e sai do outro lado, caindo até atingir o chão. Ao atingir o chão, vi não estava mais no meu quarto. Não sei dizer onde eu estava. Olhei para minhas mãos e parecia que eu tinha 4 polegares. "Estou sonhando", falei. Levantei do chão e ouvi um "olá". Olho para o lado e vejo um homem alto e forte. Ele tinha asas. As asas eram enormes e muito bonitas. Perguntei se ele era o Ícaro (Ícaro? olhos girando ). Ele respondeu que era um arcanjo. Falou o nome dele, mas não lembro. Era algo que terminava com "el". Não era Miguel, nem Rafael. Sei lá.
Eu ia começar a perguntar porque ele estava ali, entao comecei a ouvir "Tor! Tor! Toooor!" e acordei com meu vizinho comemorando um gol ( acho que foi um gol do Bayern München. Ele maluco por esse time  maluco ).
Será que você sonhou com o anjo Gabriel? 

Poxa, esse sonho tinha tudo pra durar muito mais tempo, se não fosse o seu vizinho barulhento, pra te acordar. gargalhada

Porque seu vizinho gritava o nome "Tor"? Tor é o nome do jogador que fez o gol?

O nome do anjo nao era Gabriel. Era um nome curto. Ele tinha uma espada na mao. Existe algum arcanjo retratado com espada na mao?

Tor significa gol em alemao. Eu nao sei se eu já citei por aqui, mas eu moro na Alemanha.
O vizinho amante de futebol mora no apartamento acima do meu. Em dias de jogos ele se empolga muito nas comemoracoes e eu acabo ouvindo tudo. gargalhada
Não sei nada sobre anjos, Königin. Só lembrei do nome Gabriel, porque uma vez ja tinha vi esse nome na bíblia. Mas, só pesquisando no Google, pra saber. certo

Então, você mora na Alemanhã. Que legal. Deve fazer um frio danado aí né? gargalhada

O Hazai matou a charada. O nome do anjo era Uziel. dança

Aqui faz frio. Estou aqui a quase 14 anos e ainda nao me acostumei com o clima...hehehehe.
avatar
Mensagens : 130
Pontos : 1127
Honra : 45
Data de inscrição : 22/04/2015
Idade : 20
Localização : Belém
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
300 / 999300 / 999
Ver perfil do usuáriohttp://pensamentosemmente.blogspot.com.br

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Ter Ago 25, 2015 10:07 pm
Hazai, você acertou em cheio. O nome do anjo era Uziel. Um nome nada comum.
Por curiosidade, qual o nome do livro que você pesquisou?

Realmente não é muito comum, mas pelo o que eu vi no livro ele era um Arcanjo importante, ele era um dos cinco Arcanjos poderosos. Bem, o livro não é uma coisa extraordinária, o livro que pesquisei foi no " A batalha do Apocalipse " bem conhecido aqui no Brasil pelo menos, no fim ele te dar uma relação dos personagens e algumas coisas a mais, espero ter ajudado. piscar


Hazai  certo
estrelaestrelaestrelaestrelaestrelaestrelaestrelaestrelaestrelaestrela   
"Podemos negar que nossos anjos existem, dizer a nós mesmos que eles não podem ser reais. Mas eles aparecem de qualquer maneira. Em lugares estranhos, em tempos estranhos, eles podem ser qualquer personagem que possamos imaginar. Serão verdadeiros demônios se precisarem, nos chamando, nos desafiando a lutar."

Sucker Punch | Mundo Surreal
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Qua Ago 26, 2015 10:36 am
Hazai escreveu:
Hazai, você acertou em cheio. O nome do anjo era Uziel. Um nome nada comum.
Por curiosidade, qual o nome do livro que você pesquisou?

Realmente não é muito comum, mas pelo o que eu vi no livro ele era um Arcanjo importante, ele era um dos cinco Arcanjos poderosos. Bem, o livro não é uma coisa extraordinária, o livro que pesquisei foi no " A batalha do Apocalipse " bem conhecido aqui no Brasil pelo menos, no fim ele te dar uma relação dos personagens e algumas coisas a mais, espero ter ajudado. piscar

O enredo do livro parece ser interessante. Vou procurar-lo para ler. Muito obrigada!!! certo
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

26.08.2015 - O Gato

em Qua Ago 26, 2015 10:44 am
Reputação da mensagem: 100% (2 votos)
Entrei numa casa junto com um corretor e enquanto ele falava sobre sobre as qualidades da casa, eu olhava em volta e vi uma moeda no primeiro degrau da escada. Abaixei para pegá-la e reconheci que ela era a minha moeda. "Estou sonhando", falei. Olhei para minhas mãos e vi que faltavam pedaços dos meus dedos. Em seguida, olhei para a moeda para ver se eu conseguia ler as inscrições estampada nela e o que eu consegui ler foi LEK BERTOFFE (ou algo parecido com isso). Do outro lado da moeda deveria estar o rosto do Leonardo Da Vinci, mas o que eu vi foi o rosto do Mr. Burns (personagem da serie Os Simpsons). Guardei a moeda no bolso da minha calça.
Resolvi que tinha que sair da casa. Então, falei para o corretor que não tinha mais interesse em ver o imóvel. Agradeci e sai andando pela calçada. Acho que a caminhada estava muito monotona, porque eu senti que o sonho queria se desfazer. Rapidamente comecei a esfregar as minhas mãos e falei bem alto meu nome e minha idade. O sonho se estabilizou. Pensei," vou voltar para casa voando. Será mais emocionante do que ficar andando". E comecei a voar. Desci na rua da minha casa, mas a rua estava diferente. Não tinha arvores. Então tive uma idéia maluca. Desenhar as árvores na rua. Peguei um pedaço de tijolo e comecei a rabiscar umas árvores na calcada. O Desenho era bem primitivo. Sabe aquelas árvores que a gente desenhava no pré-primario? Entao, era o meu desenho pior que aquilo.  gargalhada  Eu nao sei desenhar.
Após desenhar, eu levantava o desenho do chão como ele fosse feito num papelão e deixava em pé. Fiz três árvores. Fiquei olhando minhas "obras de arte" e então eu quis levitar para ver os desenhos do alto. As árvores realmente pareciam ser feitas de papelão. Muito engraçado. Voltei pro chão para desenhar um gato. Queria saber se o gato desenhado ia criar vida ou não. Infelizmente não deu tempo para desenhá-lo. O sonho se desfez muito rápido e eu me vi no meu quarto, deitada na minha cama. Resolvi não me mexer e assim, quem sabe voltar para sonho. Voltei. Mas num sonho totalmente diferente. Eu estava com meu irmão e uma amiga, esperando uma balsa para arrevessar um rio. A balsa que apareceu era muito esquisita. Parecia um caixa de madeira gigante.
Enquanto aguardávamos para embarcar, eu vi um gato sobre um muro e então lembrei do sonho anterior, no qual eu queria desenhar um gato. Fiquei lúcida de novo. Para confirmar se eu estava sonhando, coloquei minha mão no bolso e retirei a moeda. A estampa havia mudado. Agora estava estampado o mapa do continente europeu. "Sim, eu ainda estou sonhando".  
Resolvi dar continuacao ao sonho anterior e desenharo o gato para ver o que acontece. Acho que cometi um erro em querer continuar o sonho anterior, porque novamente o sonho se desfez e eu acordei.
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5675
Honra : 1044
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Qua Ago 26, 2015 8:39 pm
Königin escreveu:
Ramon escreveu:
Königin escreveu:

Königin escreveu:
Ramon escreveu:
Königin escreveu:

Königin escreveu:Agora tarde aconteceu algo interessante pena que foi tão breve.
Eu estava deitada, um pouco sonolenta, mas nao conseguia pegar no sono. De repente, comecei a sentir meu corpo como se tivesse vibrando. Os meus braços seguiam a linha do corpo e as mãos estavam repousadas sobre a cama, mas a sensação que eu tinha e que meus braços estavam totalmente contorcidos e as palmas das mãos viradas para cima. Uma posicao bem estranha mesma. Comecei a ouvir um barulho de asas batendo bem do meu lado. Tentei levantar minha cabeça para ver o que era mas não consegui. Tentei virar de lado e também não consegui. Comecei a ficar com medo, pois eu tinha a sensação que aquelas asas estavam se aproximando da minha cama. Como não consegui levantar e nem virar de lado. Tive a idéia de tentar me relaxar totalmente e esperar que tudo acabasse. Foi então que comecei a sentir meu corpo bem pesado e ele começou a pressionar em direção ao colchão e então senti que o atravessava e sai do outro lado, caindo até atingir o chão. Ao atingir o chão, vi não estava mais no meu quarto. Não sei dizer onde eu estava. Olhei para minhas mãos e parecia que eu tinha 4 polegares. "Estou sonhando", falei. Levantei do chão e ouvi um "olá". Olho para o lado e vejo um homem alto e forte. Ele tinha asas. As asas eram enormes e muito bonitas. Perguntei se ele era o Ícaro (Ícaro? olhos girando ). Ele respondeu que era um arcanjo. Falou o nome dele, mas não lembro. Era algo que terminava com "el". Não era Miguel, nem Rafael. Sei lá.
Eu ia começar a perguntar porque ele estava ali, entao comecei a ouvir "Tor! Tor! Toooor!" e acordei com meu vizinho comemorando um gol ( acho que foi um gol do Bayern München. Ele maluco por esse time  maluco ).
Será que você sonhou com o anjo Gabriel? 

Poxa, esse sonho tinha tudo pra durar muito mais tempo, se não fosse o seu vizinho barulhento, pra te acordar. gargalhada

Porque seu vizinho gritava o nome "Tor"? Tor é o nome do jogador que fez o gol?

O nome do anjo nao era Gabriel. Era um nome curto. Ele tinha uma espada na mao. Existe algum arcanjo retratado com espada na mao?

Tor significa gol em alemao. Eu nao sei se eu já citei por aqui, mas eu moro na Alemanha.
O vizinho amante de futebol mora no apartamento acima do meu. Em dias de jogos ele se empolga muito nas comemoracoes e eu acabo ouvindo tudo. gargalhada
Não sei nada sobre anjos, Königin. Só lembrei do nome Gabriel, porque uma vez ja tinha vi esse nome na bíblia. Mas, só pesquisando no Google, pra saber. certo

Então, você mora na Alemanhã. Que legal. Deve fazer um frio danado aí né? gargalhada

O Hazai matou a charada. O nome do anjo era Uziel. dança

Aqui faz frio. Estou aqui a quase 14 anos e ainda nao me acostumei com o clima...hehehehe.
Você mora na Alemanhã há 14 anos?  perplexo Praticamente, já é uma alemã.  gargalhada

Agora pior do que se acostumar com o frio daí, é ter que se acostumar com idioma alemão. Que língua difícil. Kkkk  Deve ser muito estranho, sair na rua e só ouvi o povo falando em alemão. gargalhada

Königin escreveu :

Königin escreveu:
Entrei numa casa junto com um corretor e enquanto ele falava sobre sobre as qualidades da casa, eu olhava em volta e vi uma moeda no primeiro degrau da escada. Abaixei para pegá-la e reconheci que ela era a minha moeda. "Estou sonhando", falei. Olhei para minhas mãos e vi que faltavam pedaços dos meus dedos. Em seguida, olhei para a moeda para ver se eu conseguia ler as inscrições estampada nela e o que eu consegui ler foi LEK BERTOFFE (ou algo parecido com isso). Do outro lado da moeda deveria estar o rosto do Leonardo Da Vinci, mas o que eu vi foi o rosto do Mr. Burns (personagem da serie Os Simpsons). Guardei a moeda no bolso da minha calça.
Resolvi que tinha que sair da casa. Então, falei para o corretor que não tinha mais interesse em ver o imóvel. Agradeci e sai andando pela calçada. Acho que a caminhada estava muito monotona, porque eu senti que o sonho queria se desfazer. Rapidamente comecei a esfregar as minhas mãos e falei bem alto meu nome e minha idade. O sonho se estabilizou. Pensei," vou voltar para casa voando. Será mais emocionante do que ficar andando". E comecei a voar. Desci na rua da minha casa, mas a rua estava diferente. Não tinha arvores. Então tive uma idéia maluca. Desenhar as árvores na rua. Peguei um pedaço de tijolo e comecei a rabiscar umas árvores na calcada. O Desenho era bem primitivo. Sabe aquelas árvores que a gente desenhava no pré-primario? Entao, era o meu desenho pior que aquilo.  gargalhada  Eu nao sei desenhar.
Após desenhar, eu levantava o desenho do chão como ele fosse feito num papelão e deixava em pé. Fiz três árvores. Fiquei olhando minhas "obras de arte" e então eu quis levitar para ver os desenhos do alto. As árvores realmente pareciam ser feitas de papelão. Muito engraçado. Voltei pro chão para desenhar um gato. Queria saber se o gato desenhado ia criar vida ou não. Infelizmente não deu tempo para desenhá-lo. O sonho se desfez muito rápido e eu me vi no meu quarto, deitada na minha cama. Resolvi não me mexer e assim, quem sabe voltar para sonho. Voltei. Mas num sonho totalmente diferente. Eu estava com meu irmão e uma amiga, esperando uma balsa para arrevessar um rio. A balsa que apareceu era muito esquisita. Parecia um caixa de madeira gigante. 
Enquanto aguardávamos para embarcar, eu vi um gato sobre um muro e então lembrei do sonho anterior, no qual eu queria desenhar um gato. Fiquei lúcida de novo. Para confirmar se eu estava sonhando, coloquei minha mão no bolso e retirei a moeda. A estampa havia mudado. Agora estava estampado o mapa do continente europeu. "Sim, eu ainda estou sonhando".  
Resolvi dar continuacao ao sonho anterior e desenharo o gato para ver o que acontece. Acho que cometi um erro em querer continuar o sonho anterior, porque novamente o sonho se desfez e eu acordei.
Dois sonhos lúcidos? Que legal. certo

Gostei da ideia de desenhar as árvores. Achei genial. Deve ser uma viagem, ver como o desenho se transforma em realidade dentro do sonho.
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

03.09.2015 - O Vulto, o Espelho e Outras Coisas.

em Qui Set 03, 2015 7:50 am
Reputação da mensagem: 100% (2 votos)
Acordei bem cedo para preparar o café para o marido e voltei pra cama. Deitei de bruco e quando estava quase dormindo, ouvi chamar meu nome. Deve ser meu marido, pensei. Tentei levantar, mas não consegui. Então comecei a sentir meu corpo vibrando e novamente ouvi meu nome. Não era meu marido. Da parede saiu um vulto sinistro que veio se aproximando da minha cama e deitou em cima de mim. Senti o peso do tormento. Tentei me virar e nada. Ele repetia uma frase tenebrosa no meu ouvido, enquanto passava uma mão no meu cabelo. A outra mão percorria meu rosto até chegar no meu pescoço. A mão dele era tão fria e áspera. A voz era horripilante e quando ele falava bem próximo do meu rosto, dava para sentir o bafo de jiboia dele. (Como pode uma alucinação ter um mal hálito? Quer me torturar, tudo bem, mas vá primeiro escovar os dentes). Eu sentia muito medo, mas tinha consciência que aquilo era apenas alucinação e então eu pensei comigo mesma "vou em manter a calma e esperar a situação passar". O vulto parecia ler a minha mente, porque ele ele disse:" Você pensa que eu sou uma alucinação? Eu posso te levar comigo agora mesmo. É isso o que você quer? O que você quer que eu faca? Eu disse apenas: "Deixe-me em paz, por favor". Ele deu uma risadinha sinistra e começou a se afastar. Foi então que eu percebi que eu consegui me mover. Rolei para o lado e me levantei. O vulto não estava mais lá. Eu estava no meu quarto, mas ele estava diferente. Olhei para minhas mãos e não as vi. Concluí que estava sonhando. Fui em direção a porta e ela estava trancada. Olhei em direção a janela e ela não estava lá. Tive a ideia de atravessar a porta como se fosse um fantasma. Deu certo. Atravessei e fui parar no corredor do meu apartamento. Nele há um espelho. Fui até o espelho e olhei para meu reflexo. Eu estava toda descabelada, com uma cara mal humorada. Passei a mão no meu cabelo para ajeitar, mas o meu reflexo não fez o mesmo. Continuou me encarando de mal humor. Eu ri e nada do reflexo fazer o mesmo. Vi que o meu reflexo apoiou uma das mãos no espelho. Então tive a maluca ideia de agarrar a mão do reflexo e puxá-lo para fora do espelho. Foi a coisa mais doída que aconteceu. Eu segurei a mão do meu reflexo com forca e comecei a puxá-lo. Ele não queria sair. Resistiu ao máximo, mas eu consegui. Puxei pelos bracos e quando a parte superior do corpo passou pelo espelho, eu consegui abracar o tórax do reflexo e arrastar totalmente para o meu lado. Nós duas caímos no chão. Ela me olhou e me perguntou: "Por que você fez isso?". "Não sei, pensei que seria uma boa ideia", respondi. Ela se levantou sem dizer nada e foi em direção a cozinha. Fui atra dela mas ela havia desaparecido. Fui até o balcão para ver se ela estava lá, mas não encontrei ninguém.
Para não ficar parada esperando o sonho se desfazer, resolvi voar até Frankfurt. Fui até uma calcada na beira do rio Main, onde eu costumava correr, quando eu morava lá perto. Encontrei lá um garotinho chorando. Perguntei onde estavam os pais dele. Ele disse que estava com um tio. Realmente, havia um homem lá. O homem se aproximou e começou a falar de modo grosseiro comigo. Falei que só queria ajudar o garoto e fui me afastando. Ele continuou a me xingar. Fiquei com uma raiva e me virei para ele e disse: "Amigo, o sonho era meu eu faço o que eu quiser!". O cara arregalou os olhos e fez uma cara de confuso. Eu repeti:" O sonho é meu!". Ele olhava para mim, como se não acreditasse. Então, perguntei o nome dele. Ele não respondeu. Começou a se afastar. Fui atras dele e falei: "Você sabe que estamos num sonho? Ele não respondeu. Continuei: "Estamos num sonho e este sonho é meu". "Meu nome é Königin e qual o seu nome? O cara parecia muito confuso. Não disse o nome dele. Apenas pegou a criança e foi embora sem dizer uma palavra.
Lá estava eu sozinha de novo, olhei para rio e então olhei para o calçadão. Resolvi fazer um teste. Queria saber o quanto veloz eu conseguiria correr num sonho. Comecei a correr, fui aumentando a minha velocidade a cada instante. Eu corria tão rápido. Parecia o Flash... hehehe. Comecei me sentir cansada e comecei a parar. Estava sem folego. Desejei estar na minha cama e lá estava eu no meu quarto novamente, deitada na minha cama. Acordei e sentei. Eu ainda estava ofegante. Que sonho doido, pensei. Levantei, fui a cozinha beber um copo d'água e voltei para cama. Estava quase adormecendo, quando senti novamente meu corpo vibrando. Na hora me lembrei do vulto e quis me levantar da cama, mas não consegui. Fiquei apavorada, com medo do vulto voltar. Então começou um barulho estranho que parecia vir da janela. Olhei e então vi uma luz surgindo que foi aumentando até iluminar totalmente o quarto. Não dava para ver nada de tão claro que estava. A intensidade da luz diminuiu e a escuridão voltou. Na parede começou a surgir números. Lembro-me de alguns: 04-07-23-48. Olhei para minha mão e não tinha dedos. "Estou sonhando", falei. Levantei e fui em direção a porta. Ela estava trancada e tinha uma tranca com um cadeado enorme. Pensei atravessa-la de novo, mas mudei de ideia. Vou sair pela janela. A janela também estava trancada. Então eu a atravessei como um fantasma, igual no sonho anterior. Em vez de cair no balcão do meu apartamento, vi que fui parar num quintal. Tinha plantas, um sofá de couro marrom, um gato e um cachorro. Eu me viro para ver onde eu estava e vi que era uma casa. Vi meu marido perto do portão. Fui até ele e perguntei que casa era essa. Ele disse que era a casa dos meus sonhos.
Ele me convidou para irmos num restaurante que ficava ali perto. Fomos lá e estava tão cheio. Ele pegou na minha mão e começou a caminhar entre as pessoas. Tinha tanta gente, que eu não conseguia segui-lo e acabei me perdendo dele. Tentei procurá-lo, mas não o vi. No entanto, vi uma pessoa no meio daquela multidão que me era familiar. Era o meu reflexo. Ela me viu e começou a se afastar. Tentei chegar até ela mas a perdi. Tinha gente demais no restaurante. Desejei sair dali e do nada fui parar no quarto novamente. Estava deitada na cama. Fiquei confusa. Olhei para minha mão e estava cheia de dedos. Ainda estou sonhando. Levantei da cama. A porta estava fechada com o mesmo cadeado. Sai pela janela de novo, e fui parar no quintal da "casa dos meus sonhos" novamente. Brinquei um pouco com cachorro e então vi um homem no fundo do quintal, fui em direção dele. Ele não me parecia estranho. Acho que era o zelador daqui do prédio. Não consegui chegar até ele. O sonho se desfez e acordei com meu marido me chamando e dizendo que ia trabalhar. Acordei tão confusa, que fiz o teste de novo. E minhas mãos estavam normais. Não era sonho.
avatar
Mensagens : 167
Pontos : 1092
Honra : 80
Data de inscrição : 29/07/2015
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Qui Set 03, 2015 12:52 pm
Seus sonhos são muito loucos kkkkkkkkkk
a ideia de puxar o reflexo foi mt legal
ja tinha pensado em fzer isso?

Acho que faz sentido ele "Ler sua mente" , pois a sua mente que fez ele :p


"O sonho é a porta de entrada para o universo interior que existe dentro de nós."
Ramon
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5675
Honra : 1044
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Qui Set 03, 2015 11:45 pm
Königin escreveu:

Königin escreveu:
Acordei bem cedo para preparar o café para o marido e voltei pra cama. Deitei de bruco e quando estava quase dormindo, ouvi chamar meu nome. Deve ser meu marido, pensei. Tentei levantar, mas não consegui. Então comecei a sentir meu corpo vibrando e novamente ouvi meu nome. Não era meu marido.  Da parede saiu um vulto sinistro que veio se aproximando da minha cama e deitou em cima de mim. Senti o peso do tormento. Tentei me virar e nada. Ele repetia uma frase tenebrosa no meu ouvido, enquanto passava uma mão  no meu cabelo. A outra mão percorria meu rosto até chegar no meu pescoço.   A mão dele era tão fria e áspera. A voz era horripilante e quando ele falava bem próximo do meu rosto, dava para sentir o bafo de jiboia dele. (Como pode uma alucinação ter um mal hálito? Quer me torturar, tudo bem, mas vá primeiro escovar os dentes). Eu sentia muito medo, mas tinha consciência que aquilo era apenas alucinação e então eu pensei comigo mesma "vou em manter a calma e esperar a situação passar".  O vulto parecia ler a minha mente, porque ele ele disse:" Você pensa que eu sou uma alucinação? Eu posso te levar comigo agora mesmo. É isso o que você quer? O que você quer que eu faca? Eu disse apenas: "Deixe-me em paz, por favor". Ele deu uma risadinha sinistra e começou a se afastar. Foi então que eu percebi que eu consegui me mover. Rolei para o lado e me levantei. O vulto não estava mais lá.  Eu estava no meu quarto, mas ele estava diferente. Olhei para minhas mãos e não as vi. Concluí que estava sonhando. Fui em direção a porta e ela estava trancada. Olhei em direção a janela e ela não estava lá. Tive a ideia de atravessar a porta como se fosse um fantasma. Deu certo. Atravessei e fui parar no corredor do meu apartamento. Nele há um espelho. Fui até o espelho e olhei para meu reflexo. Eu estava toda descabelada, com uma cara mal humorada. Passei a mão no meu cabelo para ajeitar, mas o meu reflexo não fez o mesmo. Continuou me encarando de mal humor. Eu ri e nada do reflexo fazer o mesmo. Vi que o meu reflexo apoiou uma das mãos no espelho. Então tive a maluca ideia de agarrar a mão do reflexo e puxá-lo para fora do espelho. Foi a coisa mais doída que aconteceu. Eu segurei a mão do meu reflexo com forca e comecei a puxá-lo. Ele não queria sair. Resistiu ao máximo, mas eu consegui. Puxei pelos bracos e quando a parte superior do corpo passou pelo espelho, eu consegui abracar o tórax do reflexo e arrastar totalmente para o meu lado. Nós duas caímos no chão. Ela me olhou e me perguntou: "Por que você fez isso?". "Não sei, pensei que seria uma boa ideia", respondi. Ela se levantou sem dizer nada e foi em direção a cozinha. Fui atra dela mas ela havia desaparecido. Fui até o balcão para ver se ela estava lá, mas não encontrei ninguém.
Para não ficar parada esperando o sonho se desfazer, resolvi voar até Frankfurt. Fui até uma calcada na beira do rio Main, onde eu costumava correr, quando eu morava lá perto. Encontrei lá um garotinho chorando. Perguntei onde estavam os pais dele. Ele disse que estava com um tio. Realmente, havia um homem lá. O homem se aproximou e começou a falar de modo grosseiro comigo. Falei que só queria ajudar o garoto e fui me afastando. Ele continuou a me xingar. Fiquei com uma raiva e me virei para ele e disse: "Amigo, o sonho era meu eu faço o que eu quiser!". O cara arregalou os olhos e fez uma cara de confuso. Eu repeti:" O sonho é meu!". Ele olhava para mim, como se não acreditasse. Então, perguntei o nome dele. Ele não respondeu. Começou a se afastar. Fui atras dele e falei: "Você sabe que estamos num sonho? Ele não respondeu. Continuei: "Estamos num sonho e  este sonho é meu". "Meu nome é Königin e qual o seu nome? O cara parecia muito confuso. Não disse o nome dele. Apenas pegou a criança e foi embora sem dizer uma palavra.
Lá estava eu sozinha de novo, olhei para rio e então olhei para o calçadão. Resolvi fazer um teste. Queria saber o quanto veloz eu conseguiria correr num sonho.  Comecei a correr, fui aumentando a minha velocidade a cada instante. Eu corria tão rápido. Parecia o Flash... hehehe. Comecei me sentir cansada e comecei a parar. Estava sem folego. Desejei estar na minha cama e lá estava eu no meu quarto novamente, deitada na minha cama.  Acordei e sentei. Eu ainda estava ofegante. Que sonho doido, pensei. Levantei, fui a cozinha beber um copo d'água e voltei para cama. Estava quase adormecendo, quando senti novamente meu corpo vibrando.  Na hora me lembrei do vulto e quis me levantar da cama, mas não consegui. Fiquei apavorada, com medo do vulto voltar. Então começou um barulho estranho que parecia vir da janela. Olhei e então vi uma luz surgindo que foi aumentando até iluminar totalmente o quarto. Não dava para ver nada de tão claro que estava. A intensidade da luz diminuiu e a escuridão voltou. Na parede começou a surgir números. Lembro-me de alguns: 04-07-23-48. Olhei para minha mão e não tinha dedos. "Estou sonhando", falei.  Levantei e fui em direção a porta. Ela estava trancada e tinha uma tranca  com um cadeado enorme. Pensei atravessa-la de novo, mas mudei de ideia. Vou sair pela janela. A janela também estava trancada. Então eu a atravessei como um fantasma, igual no sonho anterior. Em vez de cair no balcão do meu apartamento, vi que fui parar num quintal. Tinha plantas, um sofá de couro marrom, um gato e um cachorro. Eu me viro para ver onde eu estava e vi que era uma casa.  Vi meu marido perto do portão. Fui até ele e perguntei que casa era essa. Ele disse que era a casa dos meus sonhos.  
Ele me convidou para irmos num restaurante que ficava ali perto. Fomos lá e estava tão cheio. Ele pegou na minha mão e começou a caminhar entre as pessoas. Tinha tanta gente, que eu não conseguia segui-lo e acabei me perdendo dele. Tentei procurá-lo, mas não o vi. No entanto, vi uma pessoa no meio daquela multidão que me era familiar. Era o meu reflexo. Ela me viu e começou a se afastar. Tentei chegar até ela mas a perdi. Tinha gente demais no restaurante. Desejei sair dali e do nada fui parar no quarto novamente. Estava deitada na cama. Fiquei confusa. Olhei para minha mão e estava cheia de dedos. Ainda estou sonhando. Levantei da cama. A porta estava fechada com o mesmo cadeado. Sai pela janela de novo, e fui parar no quintal da "casa dos meus sonhos" novamente. Brinquei um pouco com cachorro e então vi um homem no fundo do quintal, fui em direção dele. Ele não me parecia estranho. Acho que era o zelador daqui do prédio. Não consegui chegar até ele. O sonho se desfez e acordei com meu marido me chamando e dizendo que ia trabalhar. Acordei tão confusa, que fiz o teste de novo. E minhas mãos estavam normais. Não era sonho.
Sonho grande e cheio de aventuras. Achei engraçado o vulto assustador, de repente, ter ficado tão bonzinho e obediente. Kkkk

A parte do reflexo no espelho deve ter sido uma viagem também. Já tive umas experiências com espelho no sonho, mas as minhas não foram muito boas não. gargalhada
avatar
Mensagens : 4
Pontos : 788
Honra : 1
Data de inscrição : 03/09/2015
Sonhos Lúcidos :
1 / 9991 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Sex Set 04, 2015 12:47 am
Vou apostar esses números na loteria gargalhada
Esse negócio de espelhos foi uma loucura, seu reflexo ganhou vida própria e ainda era desobediente.
O mais engraçado foi que você ficou num limbo eterno de acordar, deve ter sido assustador todo hora voltar para o mesmo lugar.
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Sex Set 04, 2015 6:08 am
InexperientDreamer escreveu:Seus sonhos são muito loucos kkkkkkkkkk
a ideia de puxar o reflexo foi mt legal
ja tinha pensado em fzer isso?

Acho que faz sentido ele "Ler sua mente" , pois a sua mente que fez ele :p


Sonho tem que ser louco mesmo, caso contrário, não é sonho e sim, vida real. dança
Eu tenho uma lista de atividades para fazer em sonhos. Quando aparece uma oportunidade de executar uma atividade e eu me lembrar dela, eu sempre faço. Foi o caso do espelho. gargalhada
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Sex Set 04, 2015 6:19 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Ramon escreveu:
Königin escreveu:

Königin escreveu:
Acordei bem cedo para preparar o café para o marido e voltei pra cama. Deitei de bruco e quando estava quase dormindo, ouvi chamar meu nome. Deve ser meu marido, pensei. Tentei levantar, mas não consegui. Então comecei a sentir meu corpo vibrando e novamente ouvi meu nome. Não era meu marido.  Da parede saiu um vulto sinistro que veio se aproximando da minha cama e deitou em cima de mim. Senti o peso do tormento. Tentei me virar e nada. Ele repetia uma frase tenebrosa no meu ouvido, enquanto passava uma mão  no meu cabelo. A outra mão percorria meu rosto até chegar no meu pescoço.   A mão dele era tão fria e áspera. A voz era horripilante e quando ele falava bem próximo do meu rosto, dava para sentir o bafo de jiboia dele. (Como pode uma alucinação ter um mal hálito? Quer me torturar, tudo bem, mas vá primeiro escovar os dentes). Eu sentia muito medo, mas tinha consciência que aquilo era apenas alucinação e então eu pensei comigo mesma "vou em manter a calma e esperar a situação passar".  O vulto parecia ler a minha mente, porque ele ele disse:" Você pensa que eu sou uma alucinação? Eu posso te levar comigo agora mesmo. É isso o que você quer? O que você quer que eu faca? Eu disse apenas: "Deixe-me em paz, por favor". Ele deu uma risadinha sinistra e começou a se afastar. Foi então que eu percebi que eu consegui me mover. Rolei para o lado e me levantei. O vulto não estava mais lá.  Eu estava no meu quarto, mas ele estava diferente. Olhei para minhas mãos e não as vi. Concluí que estava sonhando. Fui em direção a porta e ela estava trancada. Olhei em direção a janela e ela não estava lá. Tive a ideia de atravessar a porta como se fosse um fantasma. Deu certo. Atravessei e fui parar no corredor do meu apartamento. Nele há um espelho. Fui até o espelho e olhei para meu reflexo. Eu estava toda descabelada, com uma cara mal humorada. Passei a mão no meu cabelo para ajeitar, mas o meu reflexo não fez o mesmo. Continuou me encarando de mal humor. Eu ri e nada do reflexo fazer o mesmo. Vi que o meu reflexo apoiou uma das mãos no espelho. Então tive a maluca ideia de agarrar a mão do reflexo e puxá-lo para fora do espelho. Foi a coisa mais doída que aconteceu. Eu segurei a mão do meu reflexo com forca e comecei a puxá-lo. Ele não queria sair. Resistiu ao máximo, mas eu consegui. Puxei pelos bracos e quando a parte superior do corpo passou pelo espelho, eu consegui abracar o tórax do reflexo e arrastar totalmente para o meu lado. Nós duas caímos no chão. Ela me olhou e me perguntou: "Por que você fez isso?". "Não sei, pensei que seria uma boa ideia", respondi. Ela se levantou sem dizer nada e foi em direção a cozinha. Fui atra dela mas ela havia desaparecido. Fui até o balcão para ver se ela estava lá, mas não encontrei ninguém.
Para não ficar parada esperando o sonho se desfazer, resolvi voar até Frankfurt. Fui até uma calcada na beira do rio Main, onde eu costumava correr, quando eu morava lá perto. Encontrei lá um garotinho chorando. Perguntei onde estavam os pais dele. Ele disse que estava com um tio. Realmente, havia um homem lá. O homem se aproximou e começou a falar de modo grosseiro comigo. Falei que só queria ajudar o garoto e fui me afastando. Ele continuou a me xingar. Fiquei com uma raiva e me virei para ele e disse: "Amigo, o sonho era meu eu faço o que eu quiser!". O cara arregalou os olhos e fez uma cara de confuso. Eu repeti:" O sonho é meu!". Ele olhava para mim, como se não acreditasse. Então, perguntei o nome dele. Ele não respondeu. Começou a se afastar. Fui atras dele e falei: "Você sabe que estamos num sonho? Ele não respondeu. Continuei: "Estamos num sonho e  este sonho é meu". "Meu nome é Königin e qual o seu nome? O cara parecia muito confuso. Não disse o nome dele. Apenas pegou a criança e foi embora sem dizer uma palavra.
Lá estava eu sozinha de novo, olhei para rio e então olhei para o calçadão. Resolvi fazer um teste. Queria saber o quanto veloz eu conseguiria correr num sonho.  Comecei a correr, fui aumentando a minha velocidade a cada instante. Eu corria tão rápido. Parecia o Flash... hehehe. Comecei me sentir cansada e comecei a parar. Estava sem folego. Desejei estar na minha cama e lá estava eu no meu quarto novamente, deitada na minha cama.  Acordei e sentei. Eu ainda estava ofegante. Que sonho doido, pensei. Levantei, fui a cozinha beber um copo d'água e voltei para cama. Estava quase adormecendo, quando senti novamente meu corpo vibrando.  Na hora me lembrei do vulto e quis me levantar da cama, mas não consegui. Fiquei apavorada, com medo do vulto voltar. Então começou um barulho estranho que parecia vir da janela. Olhei e então vi uma luz surgindo que foi aumentando até iluminar totalmente o quarto. Não dava para ver nada de tão claro que estava. A intensidade da luz diminuiu e a escuridão voltou. Na parede começou a surgir números. Lembro-me de alguns: 04-07-23-48. Olhei para minha mão e não tinha dedos. "Estou sonhando", falei.  Levantei e fui em direção a porta. Ela estava trancada e tinha uma tranca  com um cadeado enorme. Pensei atravessa-la de novo, mas mudei de ideia. Vou sair pela janela. A janela também estava trancada. Então eu a atravessei como um fantasma, igual no sonho anterior. Em vez de cair no balcão do meu apartamento, vi que fui parar num quintal. Tinha plantas, um sofá de couro marrom, um gato e um cachorro. Eu me viro para ver onde eu estava e vi que era uma casa.  Vi meu marido perto do portão. Fui até ele e perguntei que casa era essa. Ele disse que era a casa dos meus sonhos.  
Ele me convidou para irmos num restaurante que ficava ali perto. Fomos lá e estava tão cheio. Ele pegou na minha mão e começou a caminhar entre as pessoas. Tinha tanta gente, que eu não conseguia segui-lo e acabei me perdendo dele. Tentei procurá-lo, mas não o vi. No entanto, vi uma pessoa no meio daquela multidão que me era familiar. Era o meu reflexo. Ela me viu e começou a se afastar. Tentei chegar até ela mas a perdi. Tinha gente demais no restaurante. Desejei sair dali e do nada fui parar no quarto novamente. Estava deitada na cama. Fiquei confusa. Olhei para minha mão e estava cheia de dedos. Ainda estou sonhando. Levantei da cama. A porta estava fechada com o mesmo cadeado. Sai pela janela de novo, e fui parar no quintal da "casa dos meus sonhos" novamente. Brinquei um pouco com cachorro e então vi um homem no fundo do quintal, fui em direção dele. Ele não me parecia estranho. Acho que era o zelador daqui do prédio. Não consegui chegar até ele. O sonho se desfez e acordei com meu marido me chamando e dizendo que ia trabalhar. Acordei tão confusa, que fiz o teste de novo. E minhas mãos estavam normais. Não era sonho.
Sonho grande e cheio de aventuras. Achei engraçado o vulto assustador, de repente, ter ficado tão bonzinho e obediente. Kkkk

A parte do reflexo no espelho deve ter sido uma viagem também. Já tive umas experiências com espelho no sonho, mas as minhas não foram muito boas não. gargalhada

Ramon, o vulto não me pareceu muito bonzinho ao ir embora. A risada que ele deu poderia ser traduzida como "I'll be back" do Exterminador do Futuro. gargalhada Ainda bem que ele foi obediente. A situação estava muito sinistra pro meu gosto. medo

Foi um arriscado puxar o reflexo, mas nao pensei no risco no momento. As consequencias do meu ato poderiam ter saído do meu controle e eu ser agredida por ela e isso levar o fim do sonho. Tive sorte. Ela apenas não quis papo comigo. feliz
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Sex Set 04, 2015 6:30 am
Nervo escreveu:Vou apostar esses números na loteria gargalhada
Esse negócio de espelhos foi uma loucura, seu reflexo ganhou vida própria e ainda era desobediente.
O mais engraçado foi que você ficou num limbo eterno de acordar, deve ter sido assustador todo hora voltar para o mesmo lugar.

Olá, Nervo. dança
Eu não tenho hábito de jogar na loteria, mas pensei o mesmo que você. gargalhada
Voltar sempre para o mesmo lugar me deixou muito confusa. Tanto que ao ser acordada eu ainda acreditava que estava sonhando. Foi muito estranho mesmo.
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5675
Honra : 1044
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Sab Set 05, 2015 3:57 pm
Königin escreveu:

Königin escreveu:
Ramon escreveu:
Königin escreveu:

Königin escreveu:
Acordei bem cedo para preparar o café para o marido e voltei pra cama. Deitei de bruco e quando estava quase dormindo, ouvi chamar meu nome. Deve ser meu marido, pensei. Tentei levantar, mas não consegui. Então comecei a sentir meu corpo vibrando e novamente ouvi meu nome. Não era meu marido.  Da parede saiu um vulto sinistro que veio se aproximando da minha cama e deitou em cima de mim. Senti o peso do tormento. Tentei me virar e nada. Ele repetia uma frase tenebrosa no meu ouvido, enquanto passava uma mão  no meu cabelo. A outra mão percorria meu rosto até chegar no meu pescoço.   A mão dele era tão fria e áspera. A voz era horripilante e quando ele falava bem próximo do meu rosto, dava para sentir o bafo de jiboia dele. (Como pode uma alucinação ter um mal hálito? Quer me torturar, tudo bem, mas vá primeiro escovar os dentes). Eu sentia muito medo, mas tinha consciência que aquilo era apenas alucinação e então eu pensei comigo mesma "vou em manter a calma e esperar a situação passar".  O vulto parecia ler a minha mente, porque ele ele disse:" Você pensa que eu sou uma alucinação? Eu posso te levar comigo agora mesmo. É isso o que você quer? O que você quer que eu faca? Eu disse apenas: "Deixe-me em paz, por favor". Ele deu uma risadinha sinistra e começou a se afastar. Foi então que eu percebi que eu consegui me mover. Rolei para o lado e me levantei. O vulto não estava mais lá.  Eu estava no meu quarto, mas ele estava diferente. Olhei para minhas mãos e não as vi. Concluí que estava sonhando. Fui em direção a porta e ela estava trancada. Olhei em direção a janela e ela não estava lá. Tive a ideia de atravessar a porta como se fosse um fantasma. Deu certo. Atravessei e fui parar no corredor do meu apartamento. Nele há um espelho. Fui até o espelho e olhei para meu reflexo. Eu estava toda descabelada, com uma cara mal humorada. Passei a mão no meu cabelo para ajeitar, mas o meu reflexo não fez o mesmo. Continuou me encarando de mal humor. Eu ri e nada do reflexo fazer o mesmo. Vi que o meu reflexo apoiou uma das mãos no espelho. Então tive a maluca ideia de agarrar a mão do reflexo e puxá-lo para fora do espelho. Foi a coisa mais doída que aconteceu. Eu segurei a mão do meu reflexo com forca e comecei a puxá-lo. Ele não queria sair. Resistiu ao máximo, mas eu consegui. Puxei pelos bracos e quando a parte superior do corpo passou pelo espelho, eu consegui abracar o tórax do reflexo e arrastar totalmente para o meu lado. Nós duas caímos no chão. Ela me olhou e me perguntou: "Por que você fez isso?". "Não sei, pensei que seria uma boa ideia", respondi. Ela se levantou sem dizer nada e foi em direção a cozinha. Fui atra dela mas ela havia desaparecido. Fui até o balcão para ver se ela estava lá, mas não encontrei ninguém.
Para não ficar parada esperando o sonho se desfazer, resolvi voar até Frankfurt. Fui até uma calcada na beira do rio Main, onde eu costumava correr, quando eu morava lá perto. Encontrei lá um garotinho chorando. Perguntei onde estavam os pais dele. Ele disse que estava com um tio. Realmente, havia um homem lá. O homem se aproximou e começou a falar de modo grosseiro comigo. Falei que só queria ajudar o garoto e fui me afastando. Ele continuou a me xingar. Fiquei com uma raiva e me virei para ele e disse: "Amigo, o sonho era meu eu faço o que eu quiser!". O cara arregalou os olhos e fez uma cara de confuso. Eu repeti:" O sonho é meu!". Ele olhava para mim, como se não acreditasse. Então, perguntei o nome dele. Ele não respondeu. Começou a se afastar. Fui atras dele e falei: "Você sabe que estamos num sonho? Ele não respondeu. Continuei: "Estamos num sonho e  este sonho é meu". "Meu nome é Königin e qual o seu nome? O cara parecia muito confuso. Não disse o nome dele. Apenas pegou a criança e foi embora sem dizer uma palavra.
Lá estava eu sozinha de novo, olhei para rio e então olhei para o calçadão. Resolvi fazer um teste. Queria saber o quanto veloz eu conseguiria correr num sonho.  Comecei a correr, fui aumentando a minha velocidade a cada instante. Eu corria tão rápido. Parecia o Flash... hehehe. Comecei me sentir cansada e comecei a parar. Estava sem folego. Desejei estar na minha cama e lá estava eu no meu quarto novamente, deitada na minha cama.  Acordei e sentei. Eu ainda estava ofegante. Que sonho doido, pensei. Levantei, fui a cozinha beber um copo d'água e voltei para cama. Estava quase adormecendo, quando senti novamente meu corpo vibrando.  Na hora me lembrei do vulto e quis me levantar da cama, mas não consegui. Fiquei apavorada, com medo do vulto voltar. Então começou um barulho estranho que parecia vir da janela. Olhei e então vi uma luz surgindo que foi aumentando até iluminar totalmente o quarto. Não dava para ver nada de tão claro que estava. A intensidade da luz diminuiu e a escuridão voltou. Na parede começou a surgir números. Lembro-me de alguns: 04-07-23-48. Olhei para minha mão e não tinha dedos. "Estou sonhando", falei.  Levantei e fui em direção a porta. Ela estava trancada e tinha uma tranca  com um cadeado enorme. Pensei atravessa-la de novo, mas mudei de ideia. Vou sair pela janela. A janela também estava trancada. Então eu a atravessei como um fantasma, igual no sonho anterior. Em vez de cair no balcão do meu apartamento, vi que fui parar num quintal. Tinha plantas, um sofá de couro marrom, um gato e um cachorro. Eu me viro para ver onde eu estava e vi que era uma casa.  Vi meu marido perto do portão. Fui até ele e perguntei que casa era essa. Ele disse que era a casa dos meus sonhos.  
Ele me convidou para irmos num restaurante que ficava ali perto. Fomos lá e estava tão cheio. Ele pegou na minha mão e começou a caminhar entre as pessoas. Tinha tanta gente, que eu não conseguia segui-lo e acabei me perdendo dele. Tentei procurá-lo, mas não o vi. No entanto, vi uma pessoa no meio daquela multidão que me era familiar. Era o meu reflexo. Ela me viu e começou a se afastar. Tentei chegar até ela mas a perdi. Tinha gente demais no restaurante. Desejei sair dali e do nada fui parar no quarto novamente. Estava deitada na cama. Fiquei confusa. Olhei para minha mão e estava cheia de dedos. Ainda estou sonhando. Levantei da cama. A porta estava fechada com o mesmo cadeado. Sai pela janela de novo, e fui parar no quintal da "casa dos meus sonhos" novamente. Brinquei um pouco com cachorro e então vi um homem no fundo do quintal, fui em direção dele. Ele não me parecia estranho. Acho que era o zelador daqui do prédio. Não consegui chegar até ele. O sonho se desfez e acordei com meu marido me chamando e dizendo que ia trabalhar. Acordei tão confusa, que fiz o teste de novo. E minhas mãos estavam normais. Não era sonho.
Sonho grande e cheio de aventuras. Achei engraçado o vulto assustador, de repente, ter ficado tão bonzinho e obediente. Kkkk

A parte do reflexo no espelho deve ter sido uma viagem também. Já tive umas experiências com espelho no sonho, mas as minhas não foram muito boas não. gargalhada

Ramon, o vulto não me pareceu muito bonzinho ao ir embora. A risada que ele deu poderia ser traduzida como "I'll be back" do Exterminador do Futuro. gargalhada Ainda bem que ele foi obediente. A situação estava muito sinistra pro meu gosto. medo

Foi um arriscado puxar o reflexo, mas nao pensei no risco no momento. As consequencias do meu ato poderiam ter saído do meu controle e eu ser agredida por ela e isso levar o fim do sonho. Tive sorte. Ela apenas não quis papo comigo. feliz
Eu tenho anotado um relato no meu diário de sonhos lúcidos, uma experiência assustadora que eu tive com espelho num sonho lúcido. No sonho, eu puxei uma figura estranha que estava dentro do espelho e a figura começou a me seguir no sonho lúcido. medo Fiquei com muito medo da criatura que me seguia no sonho. gargalhada
Mensagens : 12
Pontos : 790
Honra : 3
Data de inscrição : 10/09/2015
Idade : 22
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuáriohttp://sonhosesimpatias.com

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Sex Set 11, 2015 7:36 pm
impressão minha ou a maioria é de tarde?


Curioso aprendendo e vivendo. Meu blog http://www.sonhosesimpatias.com/
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

03.10.2015 - As Baleias

em Sab Out 03, 2015 4:03 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Depois de algum tempo sem conseguir recordar dos meus sonhos ao acordar, hoje finalmente consegui lembrar de um. Acordei cedo, fui ao banheiro, fiz café, tomei um copo d'agua e voltei pra cama. Dormi e acordei meio desorientada e percebi que estava deitada de modo atravessado na cama. Desconfiei que estava sonhando. Tentei fazer um teste de realidade, mas não conseguia me mexer. Comecei a ouvir vozes no quarto e sentia como se alguém estivesse em cima de mim. Procurei manter a calma e logo as vozes foram se abafando. Comecei a levitar indo em direção ao teto. Olhei para minhas mãos e faltavam dedos. Estou sonhando.
Continuei levitando e sai através do teto e comecei a voar. Era dia, o céu estava azul e tinha algumas nuvens. Eu voava entre elas. Era divertido. Vi um avião passando um pouco distante de mim. voei em direção dele e pousei na asa. Caminhei pela asa até chegar uma janela e vi que uma passageira me observava. Ela estava assustada. Abaixei até a janela e dei um "tchau zinho" e a mulher pirou. Ela agarrou o passageiro do lado e começou a gritar. Apontava para janela e outras pessoas começaram a se aglomerar para me ver. Eles estavam todos em pânico. Achei melhor sair dali. Dei um tchau para todos que me observavam e pulei da asa do avião. Cai em queda livre por algum momento e então comecei a voar novamente. desci para perto do mar e voava paralelamente a água. As vezes tocavam na com as mãos outras vezes tocava com pés. A sensação era boa. Era como se eu realmente estivesse tocando a água. Desejei ver algumas baleias. Mas nenhuma apareceu. Mergulhei no mar com esperança de ver alguma baleia e nada. Voltei para superfície e então fui surpreendida com um grupo de baleias que flutuavam por cima do mar. Foi a coisa mais legal que eu vi. Voei para perto delas, queria pousar em cima de uma delas, mas infelizmente elas começaram a desaparecer e o sonho se desfez.
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5675
Honra : 1044
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Seg Out 05, 2015 3:16 pm
Königin:

Königin escreveu:
Depois de algum tempo sem conseguir recordar dos meus sonhos ao acordar, hoje finalmente consegui lembrar de um. Acordei cedo, fui ao banheiro, fiz café, tomei um copo d'agua e voltei pra cama. Dormi e acordei meio desorientada e percebi que estava deitada de modo atravessado na cama. Desconfiei que estava sonhando. Tentei fazer um teste de realidade, mas não conseguia me mexer. Comecei a ouvir vozes no quarto e sentia como se alguém estivesse em cima de mim. Procurei manter a calma e logo as vozes foram se abafando. Comecei a levitar indo em direção ao teto.  Olhei para minhas mãos e faltavam dedos. Estou sonhando.
Continuei levitando e sai através do teto e comecei a voar. Era dia, o céu estava azul e tinha algumas nuvens. Eu voava entre elas. Era divertido. Vi um avião passando um pouco distante de mim. voei em direção dele e pousei na asa. Caminhei pela asa até chegar uma janela e vi que uma passageira me observava. Ela estava assustada. Abaixei até a janela e dei um "tchau zinho" e a mulher pirou. Ela agarrou o passageiro do lado e começou a gritar. Apontava para janela e outras pessoas começaram a se aglomerar para me ver. Eles estavam todos em pânico. Achei melhor sair dali. Dei um tchau para todos que me observavam e pulei da asa do avião. Cai em queda livre por algum momento e então comecei a voar novamente. desci para perto do mar e voava paralelamente a água.  As vezes tocavam na com as mãos outras vezes tocava com pés.  A sensação era boa. Era como se eu realmente estivesse tocando a água. Desejei ver algumas baleias. Mas nenhuma apareceu. Mergulhei no mar com esperança de ver alguma baleia e nada. Voltei para superfície e então fui surpreendida com um grupo de baleias que flutuavam por cima do mar. Foi a coisa mais legal que eu vi. Voei para perto delas, queria pousar em cima de uma delas, mas infelizmente elas começaram a desaparecer e o sonho se desfez.
Oi, Königin, seja muito bem vinda ao fórum de novo. certo

Que sonho espetacular você teve hein. Nossa, fiquei imaginando as baleias flutuantes. A parte que você sobrevoou entre as nuvens e pousou na asa do avião, também. Deve ter sido uma experiência e tanto. Sonho muito legal mesmo. Parabéns pelo sonho lúcido. certo
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Qua Out 07, 2015 4:33 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Ramon escreveu:
Königin:

Königin escreveu:
Depois de algum tempo sem conseguir recordar dos meus sonhos ao acordar, hoje finalmente consegui lembrar de um. Acordei cedo, fui ao banheiro, fiz café, tomei um copo d'agua e voltei pra cama. Dormi e acordei meio desorientada e percebi que estava deitada de modo atravessado na cama. Desconfiei que estava sonhando. Tentei fazer um teste de realidade, mas não conseguia me mexer. Comecei a ouvir vozes no quarto e sentia como se alguém estivesse em cima de mim. Procurei manter a calma e logo as vozes foram se abafando. Comecei a levitar indo em direção ao teto.  Olhei para minhas mãos e faltavam dedos. Estou sonhando.
Continuei levitando e sai através do teto e comecei a voar. Era dia, o céu estava azul e tinha algumas nuvens. Eu voava entre elas. Era divertido. Vi um avião passando um pouco distante de mim. voei em direção dele e pousei na asa. Caminhei pela asa até chegar uma janela e vi que uma passageira me observava. Ela estava assustada. Abaixei até a janela e dei um "tchau zinho" e a mulher pirou. Ela agarrou o passageiro do lado e começou a gritar. Apontava para janela e outras pessoas começaram a se aglomerar para me ver. Eles estavam todos em pânico. Achei melhor sair dali. Dei um tchau para todos que me observavam e pulei da asa do avião. Cai em queda livre por algum momento e então comecei a voar novamente. desci para perto do mar e voava paralelamente a água.  As vezes tocavam na com as mãos outras vezes tocava com pés.  A sensação era boa. Era como se eu realmente estivesse tocando a água. Desejei ver algumas baleias. Mas nenhuma apareceu. Mergulhei no mar com esperança de ver alguma baleia e nada. Voltei para superfície e então fui surpreendida com um grupo de baleias que flutuavam por cima do mar. Foi a coisa mais legal que eu vi. Voei para perto delas, queria pousar em cima de uma delas, mas infelizmente elas começaram a desaparecer e o sonho se desfez.
Oi, Königin, seja muito bem vinda ao fórum de novo. certo

Que sonho espetacular você teve hein. Nossa, fiquei imaginando as baleias flutuantes. A parte que você sobrevoou entre as nuvens e  pousou na asa do avião, também. Deve ter sido uma experiência e tanto. Sonho muito legal mesmo. Parabéns pelo sonho lúcido. certo

Obrigada!dança Na verdade, eu nao havia deixado o forum. Nao sei o que aconteceu comigo. Tive um bloqueio. Nao conseguia me lembrar dos meus sonhos. Crying or Very sad
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

07.10.2015 Mundo Pós-Apocalíptico.

em Qua Out 07, 2015 4:35 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Lembro-me de caminhar pela rua numa cidade totalmente destruída. As pessoas passavam por mim e elas parecíamos tão perdidas quanto eu. De repente soou uma sirene e todo mundo saiu correndo. Fiquei sozinha na rua e do nada começou apareceu uns caras estranhos, eles carregavam armas e pedaços de pau. Um deles me viu e começou a correr atras de mim. Sai correndo desesperada. Subi uma escada que dava acesso a uma espécie de condomínio. Havia muitos prédios lá. Pensei em me esconder em algum deles, mas para meu azar, portas estavam trancadas. Eu batia mas ninguém abria. A minha situação estava ficando complicada, o cara que me perseguia estava mais próximo. Corri para um corredor e senti alguém agarrando a minha mão. Era um menino. Ele não disse nada, apenas apontou para uma porta e começou a correr em direção dela. Eu fui atrás.
Entramos e ele trancou a porta. O local estava todo destruído. Subimos uma escada e entramos num apartamento.Agradeci o menino. Ele sorriu e sumiu pelo corredor. Logo em seguida apareceu uma mulher. Era a mãe do menino. Ela veio até a mim e me deu um copo d'agua e pediu para eu me sentar e esperar que o jantar ficaria pronto em breve. . Perguntei para mulher se ela queria ajuda, mas ela recusou, porém me convidou a ir até cozinha para conversarmos enquanto ela cozinhava.
Perguntei o que tinha acontecido com a cidade e ela não respondeu. Ficou falando dos filhos e da família. Enquanto ela falava eu olhava a cozinha. Estava toda baguncada, com moveis fora do lugar. Muita coisa quebrada. A unica coisa que esta em ordem era uma pequena prateleira. Nela havia três vasinhos de vidro. Eles se pareciam muito com os vasinhos que eu tenho na minha sala. "O que meus vasinhos estao fazendo aqui? pensei. A partir daí eu comecei a desconfiar que estava sonhando. Fui em direção da prateleira para observar melhor. Peguei o vasinho vermelho e vi dentro dele minha moeda do Leonardo DaVinci. Na hora eu perguntei a mim mesma: "Estou sonhando? " . Olhei para uma das minhas mãos e ela estava enorme, faltava o dedo mínimo e havia 3 polegares a mais. "Sim, estou sonhando! "concluí. Para aumentar meu grau de lucidez eu comecei a falar meu nome completo e minha idade e deu certo. Comecei a perceber o local com uma nitidez incrível. Via as paredes destruídas, tapetes rasgados, móveis quebrados, porta e janelas destruídas e uma escada por onde descia um monte de pessoas.
Perguntei a mulher para onde ia aquela escada. Ela só levantou os ombros, dando a entender que não tinha a menor ideia.
Subi a escada e ela terminou numa parede. "De onde vem essas pessoas que descem a escada?", pensei. Tive a ideia de atravessar a parede e sair desse sonho esquisito, mas desisti. Resolvi deixar o sonho fluir normalmente e ver o que vai acontecer. Desci a escada e vi que a mulher pegando uma toalha de mesa e saindo pela porta. Perguntei onde ela ia, e ela respondeu que iria preparar a mesa lá fora no quintal, pois haverá uma festa. Ela saiu e eu fiquei sozinha no apartamento.
Estava muito chato ali. Então tive a ideia em fazer aparecer alguém para conversar comigo. Pensei numa pessoa. Comecei a chamar por ela em voz alta e ela nada dela aparecer. Para não ficar parada lá feito tonta, comecei a entrar em cada cômodo do apartamento, abrindo porta e chamando pela pessoa. De repente ouço passos na escada e eis que a pessoa que eu procurava aparece. Conversamos um pouco e por fim, ela me disse que eu devia sair daquele localo mais rapido possivel e que eu precisava de alguma proteção. Ela me se despediu de mim e se foi.
Resolvi seguir o conselho dela e partir, mas para minha proteção eu desejei um cachorro. Imaginei um pastor alemão. Para chamá-lo, resolvi dar um nome para ele: Porthos. Comecei a chamar por ele e nada dele aparecer. De repente a porta se abre e aparece o menino que me salvou. Ele disse que era para eu descer para o quintal, porque meu cachorro estava atacando as pessoas na festa.
Desci rapidamente e vi o cão latindo para pessoas. Ele era exatamente como imaginei. Chamei pelo nome e ele veio até a mim todo contente e comecou a me lamber.
Depois de muitas lambidas no meu rosto, o cachorro começou a agir meio esquisito. Ele corria até a mesa onde tinha uns pacotes de pão-de-forma. Ele pegava os pacotes, rasgava e agrupava 16 fatias de pães chão. Fez isso várias vezes até formar uma fileira enorme. Então ele voltou a correr para mesa e desta vez ele pegou fatias de salame e as colocou sobre os pães. Após isso, ele veio até mim e me empurrou para o meio da fileira de pães com salame. Ele latia e eu não entendia o que ele queria. "Será que ele quer eu coma um pão com salame?, pensei. Abaixei para pegar uma fatia e ele quase mordeu minha mão.
"Ok, não é para eu comer."
Olhei mais atentamente para os agrupados de pães e percebi que os salames formavam figuras como se fossem história em quadrinhos. No quadro no qual eu fui posicionada pelo cão eu vi algo que parecia ser uma festa e uma figura de uma mulher e um cão. Conclui que aquele quadro mostrava exatamente o momento presente da festa. Comecei a andar para esquerda observando os outros quadros e eles mostravam o que tinha já acontecido no meu sonho, como por exemplo: o meu encontro com pessoa que eu chamei, minha subida pela escada, o menino me resgatando. Ou seja, o passado.
"Se os pães que estava a esquerda mostravam o passado, os da direita mostram o futuro", conclui.
Voltei para direita para ver o que os pães mostravam e não foi nada agradável de se ver.
Os pães mostravam um exército se aproximando, entrando na festa e um monte de gente morta. Até mesmo o cão aparecia morto. Depois de ver aquilo só pensei numa coisa. "Tenho que cair fora de sonho o mais rápido possível". Porém, antes de ir, tenho que avisar as pessoas sobre o que estar para acontecer.
Comecei a gritar para pessoas que ela tinha que sair dali e se esconderem, mas ninguém me ouvia. Tentei falar com a mãe do menino que me salvou e ela não acreditou em mim. entao fui atrás do menino para falar que ele devia se esconder. Então a desgraça aconteceu.
O local da festa foi invadido por um grupo enorme armado que chegou atirando em todo mundo. Pânico para todos os lados.
Só me lembro que segurei bem firme a mão do menino que me salvou, chamei o cão e saímos correndo como malucos para rua. Desejei uma porta para fuga e logo apareceu uma no ao virar uma esquina. Como eu não sabia menino e cão conseguiria atravessar a porta comigo eu fiz o seguinte. Abri a porta e empurrei o moleque e o cão e então fechei a porta. Em seguida, abri a porta novamente e vi que eles não estavam mais lá. Conclui que eles estavam salvos em algum lugar. Então, foi minha vez de atravessar a porta. Entrei e fechei e acordei no meu quarto.
avatar
Mensagens : 1273
Pontos : 3309
Honra : 657
Data de inscrição : 06/07/2015
Localização : Alemanha
Sonhos Lúcidos :
222 / 999222 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Qua Out 07, 2015 4:43 pm
guilhermeapt escreveu:impressão minha ou a maioria é de tarde?

Olá guilhermeapt. Desculpe-me não ter respondido antes. Estive ausente por algum tempo e seu comentário acabou ficando esquecido. Bom, a maioria dos meus sonhos lúcidos são pela manhã. Eu sempre acordo as 5 da manhã para fazer café para meu marido e então eu volto a dormir. E ao dormir novamente consigo ficar lúcida no sonho. muito feliz
avatar
Mensagens : 220
Pontos : 1100
Honra : 90
Data de inscrição : 08/10/2015
Idade : 41
Localização : Brasil
Sonhos Lúcidos :
3 / 9993 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

em Qui Out 08, 2015 5:02 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Olá Königin! Seus relatos são incríveis! Puxar para fora do espelho seu próprio reflexo e ele ter personalidade própria foi muito interessante.

Fiquei intrigado por você conseguir ler nos seus sonhos... eu já vi frases em placas e paredes nos meus (em sonhos não lúcidos) mas por mais que eu tente entender o que está escrito não consigo... fica tudo embaralhado! Até fui pesquisar sobre isso e dizem que a parte do cérebro que interpreta a leitura não fica ativa durante o sono. Você desde sempre consegue ler quando sonha?
Conteúdo patrocinado

Re: Diário dos Sonhos Lúcidos de Königin

Ver o tópico anteriorVoltar ao TopoVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum