Conectar-se
Os membros mais ativos do mês
1 Mensagem - 50%
1 Mensagem - 50%
Votação
Qual a técnica que você utiliza para ficar lúcido?
Teste de Realidade
45% / 15
Totem
15% / 5
Incubação
12% / 4
Gatilho
6% / 2
Gravador de Voz ou Sons Binaurais
6% / 2
Outros
15% / 5
Parceiros
 sonhos=
 sonhos=
 animes=

Compartilhe
Ver o tópico anteriorIr em baixoVer o tópico seguinte
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Diário dos Sonhos do Sombra

em Sex Jul 18, 2014 8:24 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Este, conforme sugere o título, é o diário de sonhos do Sombra, ou seja, meu diário, onde escreverei sobre sonhos meus.

...


Última edição por Sombra em Sex Jul 18, 2014 8:51 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sex Jul 18, 2014 8:25 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Aqui vai um relato geral do que me acontece:

Aparentemente eu despertava de madrugada, e, ainda deitado na cama, percebia uma presença sombria no quarto. Algo como um ser de sombra, e não havia nada que se passasse por mim nestes momentos além do terror total. Eu gritava e me contorcia, aprisionado na cama, enquanto aquela sombra caminhava pelo quarto.
Então eu despertava aterrorizado na mesma posição em que estava me debatendo antes.

Em outras ocasiões, a sombra é um quarto escuro em minha casa ou em uma outra construção estranha em que eu esteja. É um local que também despertava pavor absoluto e eu despertava com o coração disparado e um grito preso na garganta.
O ápice desses sonhos ocorreu numa noite quando me vi subitamente sendo asfixiado por aquela sombra que apertava meu pescoço com as duas mãos. A força era tamanha que eu não podia me mover. Eu senti o peso enorme daquilo tentando me matar e só pude ficar lá pensando que aquele era o meu fim, até que despertei.

Houve uma época, no entanto, em que ao encontrar a presença novamente, uma força e uma coragem surgidas de uma inspiração me impulsionava a levantar e atacar a chutes e socos aquela presença da sombra, e, todas as vezes em que isso acontecia, eu despertava com uma sensação serena na mente.

Certa vez, eu nem ataquei e nem me deixei amedrontar por ela, mas deixei me levar e aos poucos o medo desapareceu, e uma figura que era a junção de várias imagens femininas apareceu para mim. Neste sonho, eu me lembro de ter sentido uma vibração intensa dentro da cabeça e depois viajar por cenários psicodélicos antes de acordar com aquela sensação de serenidade.
Não me lembro de nenhuma outra ocasião em que tenha “feito amizade” novamente com a sombra, mas depois disso, eu sempre tentei me aproximar e adentrar os locais escuros que me apareciam apesar do medo que eles me incutiam.
avatar
Mensagens : 1989
Pontos : 5669
Honra : 575
Data de inscrição : 10/03/2013
Idade : 17
Localização : Nippon, Namimori.
Sonhos Lúcidos :
50 / 99950 / 999
Sonhos Comuns :
300 / 999300 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sex Jul 18, 2014 9:24 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Sombra escreveu:
Spoiler:
Aqui vai um relato geral do que me acontece:

Aparentemente eu despertava de madrugada, e, ainda deitado na cama, percebia uma presença sombria no quarto. Algo como um ser de sombra, e não havia nada que se passasse por mim nestes momentos além do terror total. Eu gritava e me contorcia, aprisionado na cama, enquanto aquela sombra caminhava pelo quarto.
Então eu despertava aterrorizado na mesma posição em que estava me debatendo antes.

Em outras ocasiões, a sombra é um quarto escuro em minha casa ou em uma outra construção estranha em que eu esteja. É um local que também despertava pavor absoluto e eu despertava com o coração disparado e um grito preso na garganta.
O ápice desses sonhos ocorreu numa noite quando me vi subitamente sendo asfixiado por aquela sombra que apertava meu pescoço com as duas mãos. A força era tamanha que eu não podia me mover. Eu senti o peso enorme daquilo tentando me matar e só pude ficar lá pensando que aquele era o meu fim, até que despertei.

Houve uma época, no entanto, em que ao encontrar a presença novamente, uma força e uma coragem surgidas de uma inspiração me impulsionava a levantar e atacar a chutes e socos aquela presença da sombra, e, todas as vezes em que isso acontecia, eu despertava com uma sensação serena na mente.

Certa vez, eu nem ataquei e nem me deixei amedrontar por ela, mas deixei me levar e aos poucos o medo desapareceu, e uma figura que era a junção de várias imagens femininas apareceu para mim. Neste sonho, eu me lembro de ter sentido uma vibração intensa dentro da cabeça e depois viajar por cenários psicodélicos antes de acordar com aquela sensação de serenidade.
Não me lembro de nenhuma outra ocasião em que tenha “feito amizade” novamente com a sombra, mas depois disso, eu sempre tentei me aproximar e adentrar os locais escuros que me apareciam apesar do medo que eles me incutiam.

Esse relato tem alguma coisa haver com Paralisia do Sono? Porque mais me pareceu que isso aconteceu dentro de um sonho.

Interessante e assustador essa sombra. 9 Espero que fique bem e tente acabar ou fazer uma amizade com ela. Acho que amizade seria legal, pois você teria uma sombra que poderia te levar pro mundo dela, além de poder viajar de sombras em sombras, como um teletransporte. 4

Tô zuando, viajei legal agora. xD Uma história de terror onírica, gostei. certo Ainda espero ver os próximos acontecimentos a partir daí. viva
avatar
Mensagens : 646
Pontos : 2458
Honra : 310
Data de inscrição : 20/10/2013
Idade : 28
Sonhos Lúcidos :
38 / 99938 / 999
Sonhos Comuns :
999 / 999999 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sab Jul 19, 2014 12:08 am
Sombra disse escreveu:ainda deitado na cama, percebia uma presença sombria no quarto. Algo como um ser de sombra, e não havia nada que se passasse por mim nestes momentos além do terror total. Eu gritava e me contorcia, aprisionado na cama, enquanto aquela sombra caminhava pelo quarto.

Você e uma pessoa religiosa? Teve mais de um sonho desse tipo?

Sombra disse escreveu:O ápice desses sonhos ocorreu numa noite quando me vi subitamente sendo asfixiado por aquela sombra que apertava meu pescoço com as duas mãos. A força era tamanha que eu não podia me mover.

Parece uma paralisia do sono associado a algo da sua vida expresso por meio dessa sombra

Sombra disse escreveu:eu me lembro de ter sentido uma vibração intensa dentro da cabeça e depois viajar por cenários psicodélicos antes de acordar com aquela sensação de serenidade

Fascinante


CORES DOS MEUS RELATOS:

  • Analise ou pensamento/observação.
  • Dialogo, titulo
  • Descrição de um cenário/objeto/pessoa.
  • Realidade ou fato importante.

Orvalho do sonhar:
Fantasiar me conforta
Deslumbrado a imaginar
Sera que e so eu?
Ou alguem se importa?


para nao se desesperar
Sucumbir em expectativas
pois se nao suprir
Posso pelo menos sonhar

Sair desse lugar imundo
Fingir que nao e isso
Tornar tudo intenso
Criar o próprio mundo


Injetar alegria
Olhar fixo para o nada
Rir sozinho
Ate o final do dia


Sentir a liberdade ao voar
Observar o próprio reflexo
E fechar os olhos
Para voltar a sonhar

(Hiriu)
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sab Jul 19, 2014 7:29 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
The Master

"Esse relato tem alguma coisa haver com Paralisia do Sono? Porque mais me pareceu que isso aconteceu dentro de um sonho. "

Pode ser que sim, pois os relatos que vejo sobre paralisia são muito parecidos. Tem uma presença e tudo.

Hiriu
"Você e uma pessoa religiosa? Teve mais de um sonho desse tipo?"

Não sou religioso, mas me interesso muito por todos os tipos de religiões e tradições. Não tenho uma específica.
Pois é, agora eu só tenho os sonhos com os lugares escuros. Apesar de serem raros agora, eu tenho as mesmas sensações que tinha com a sombra no quarto, então,acredito que sejam a mesma coisa em meu inconsciente.

avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sab Jul 19, 2014 7:31 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Há algum tempo eu comecei a me interessar na psicologia analítica de Carl Jung. Ele criou o seguinte conceito do que chamou de sombra.

"Sombra, em psicologia analítica, refere-se ao arquétipo que é o nosso ego mais sombrio. É, por assim dizer, a parte animalesca da personalidade humana. Para Carl Gustav Jung, esse arquétipo foi herdado das formas inferiores de vida através da longa evolução que levou ao ser humano. A sombra contém todas aquelas atividades e desejos que podem ser considerados imorais e violentos, aqueles que a sociedade, e até nós mesmos, não podemos aceitar. Ela nos leva a nos comportarmos de uma forma que normalmente não nos permitiríamos. E, quando isso ocorre, geralmente insistimos em afirmar que fomos acometidos por algo que estava além do nosso controle. Esse "algo" é a sombra, a parte primitiva da natureza do homem. Mas a sombra exerce também um outro papel, possui um aspecto positivo, uma vez que é responsável pela espontaneidade, pela criatividade, pelo insight e pela emoção profunda, características necessárias ao pleno desenvolvimento humano. Devemos tornar a nossa sombra mais clara possível.Procurando um trabalho partindo do interior para o exterior. A sombra é frequentemente projetada em outra pessoa, que aparece ao indivíduo como negativa."

Eu não conhecia isso quando sonhava aqueles sonhos, mas quando fiquei conhecendo isso, eu pensei que só pode ser com isso que eu sonho.
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sab Jul 19, 2014 4:43 pm
Lembro-me de um sonho onde havia vários locais escuros. As pessoas da minha família e meus conhecidos que estavam lá. Todos eram todos pessoas más. Mas eu tinha o poder de apontar minha mão para seus rostos e emanar uma luz que as iluminava e elas tornavam-se pessoas boas.
Então saí pela cidade fazendo todas as pessoas ficarem boas.
Lembro-me que no fim do sonho havia o Sol num céu extremamente limpo e azul.
Acordei com a sensação de serenidade.
avatar
Mensagens : 1989
Pontos : 5669
Honra : 575
Data de inscrição : 10/03/2013
Idade : 17
Localização : Nippon, Namimori.
Sonhos Lúcidos :
50 / 99950 / 999
Sonhos Comuns :
300 / 999300 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Qui Jul 24, 2014 7:05 pm
Sombra escreveu:
Spoiler:
Há algum tempo eu comecei a me interessar na psicologia analítica de Carl Jung. Ele criou o seguinte conceito do que chamou de sombra.

"Sombra, em psicologia analítica, refere-se ao arquétipo que é o nosso ego mais sombrio. É, por assim dizer, a parte animalesca da personalidade humana. Para Carl Gustav Jung, esse arquétipo foi herdado das formas inferiores de vida através da longa evolução que levou ao ser humano. A sombra contém todas aquelas atividades e desejos que podem ser considerados imorais e violentos, aqueles que a sociedade, e até nós mesmos, não podemos aceitar. Ela nos leva a nos comportarmos de uma forma que normalmente não nos permitiríamos. E, quando isso ocorre, geralmente insistimos em afirmar que fomos acometidos por algo que estava além do nosso controle. Esse "algo" é a sombra, a parte primitiva da natureza do homem. Mas a sombra exerce também um outro papel, possui um aspecto positivo, uma vez que é responsável pela espontaneidade, pela criatividade, pelo insight e pela emoção profunda, características necessárias ao pleno desenvolvimento humano. Devemos tornar a nossa sombra mais clara possível.Procurando um trabalho partindo do interior para o exterior. A sombra é frequentemente projetada em outra pessoa, que aparece ao indivíduo como negativa."

Eu não conhecia isso quando sonhava aqueles sonhos, mas quando fiquei conhecendo isso, eu pensei que só pode ser com isso que eu sonho.

Nuss, muito interessante isso, Sombra!  43 Acho que vou ler um pouco sobre Psicologia Analítica, isso explicaria o motivo de existir estupradores, por exemplo.

Sombra escreveu:
Spoiler:
Lembro-me de um sonho onde havia vários locais escuros. As pessoas da minha família e meus conhecidos que estavam lá. Todos eram todos pessoas más. Mas eu tinha o poder de apontar minha mão para seus rostos e emanar uma luz que as iluminava e elas tornavam-se pessoas boas.
Então saí pela cidade fazendo todas as pessoas ficarem boas.
Lembro-me que no fim do sonho havia o Sol num céu extremamente limpo e azul.
Acordei com a sensação de serenidade.

Mas que coisa... Que coisa mais incrível!  38 Preciso de uma dessa também. Falando nisso, imagina usar esse poder em uma pessoa muito boa, será que não fazeria efeito?

Isso é uma coisa interessante pra se fazer em um Sonho Lúcido. :3
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sab Jul 26, 2014 12:57 pm
The Master escreveu:
Sombra escreveu:

  Mas que coisa... Que coisa mais incrível!  38 Preciso de uma dessa também. Falando nisso, imagina usar esse poder em uma pessoa muito boa, será que não fazeria efeito?

 Isso é uma coisa interessante pra se fazer em um Sonho Lúcido. :3

Acho que comigo não funcionaria com pessoas boas, mas cada inconsciente é diferente, então, quem sabe...
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sab Jul 26, 2014 1:00 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Eu acho este aqui bem interessante.
A propósito, esses que eu estou contando não têm data, pois eu os escrevi depois de algum tempo, espero que não tenha problema.

Despedi-me de minha esposa na porta da casa dos meus pais (que no sonho era nossa) e fui dar uma volta de carro no quarteirão. Nós já planejávamos o que estava acontecer.
No meio do passeio houve uma espécie de divisão em minha pessoa, e foram criados dois eus. A diferença entre os dois era temporal como eu descobrira mais tarde.
Cheguei em casa e fui dormir.
Depois de um tempo, percebi que o outro eu estava chegando também, e neste momento eu percebi que havia cometido um tipo de erro de cálculo, pois não havia previsto que o outro iria voltar para casa assim como eu fizera.
O ser de um e do outro se misturaram para mim, e já não sei mais qual dos dois eu era realmente.
Nós tínhamos que corrigir aquilo, pois as pessoas não poderiam saber que havia dois de mim, então, um de nós deveria sair de casa sem que ninguém percebesse e desaparece no mundo sem deixar rastros e, embora minha esposa soubesse do problema, ela não poderia interferir.
O caminho até a rua era difícil, pois havia pessoas da família em casa, e nós precisávamos nos esquivar delas.
Houve um momento e um que eu estava escondido num local escuro da casa e o outro eu dizia a meu irmão que era um amigo que estava ali na escuridão (neste momento o que estava escondido tinha o rosto deformado numa tentativa obscura de esconder a identidade).
Depois de passar por meu irmão, tivemos que nos esquivar de uma tia e de minha mãe. Esta acabou descobrindo o segredo antes que eu pudesse sair de casa, e naquele momento houve outra reviravolta no tempo e tudo voltou ao momento em que eu ainda estava no local escuro com o rosto deformado e eu teria a chance de repensar nos meus passos para poder me esconder melhor agora que eu já tinha certo conhecimento dos passos dos outros.
Ao fim, eu consegui sair de casa sem ser notado novamente.
Mensagens : 1017
Pontos : 3443
Honra : 749
Data de inscrição : 06/08/2013
Idade : 27
Localização : São Paulo/Santo André
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Ter Jul 29, 2014 1:24 am
Experiências interessantes que fizeram me lembrar do meu passado quando criança, só que diferente de ti eu passei por alucinações e falsos despertares pesados para uma criança de 8 anos, acreditei praticamente durante a minha infância inteira que minha residência era amaldiçoada, de fato ela era em partes, pois acontecia coisas muito estranhas ali, mas minhas alucinações iam além da compreensão, pois podia sentir minhas paralisias do sono tornando-se pesadelos engolindo-me em seguida. Sempre dormia debaixo dos cobertores com medo do que realmente surgia após as luzes serem apagadas até hoje nunca encontrei explicações para o que se passava naquela época e não consigo juntar as memórias e dividi-las entre sonhos e realidade.

Continue postando, certo
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Qui Jul 31, 2014 7:01 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Reizen Endler escreveu:

eu passei por alucinações e falsos despertares pesados para uma criança de 8 anos, acreditei praticamente durante a minha infância inteira. Sempre dormia debaixo dos cobertores com medo do que realmente surgia após as luzes serem apagadas até hoje nunca encontrei explicações para o que se passava.

Continue postando, certo

Me lembrou muito o meu irmão. Quando era criança ele não sabia distinguir o sonho da realidade e tinha vários surtos de pânico. Ficava com medo de tudo, inclusive da minha mãe e de mim.
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Dom Ago 03, 2014 1:00 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Eu havia ido com minha família numa espécie de parque onde havia vários museus.
Nós nos separamos e eu fui caminhar pelo local.
Passei por algumas salas subterrâneas que ficavam embaixo de uma colina gramada. Na primeira delas eu tive que entrar por uma pequena janela redonda. As paredes eram de madeira escura lá dentro. Vestido apenas com uma toalha enrolada, andei por um restaurante que ficava numa sombra agradável e fui parar numa parte onde havia uma lagoa artificial cercado por colinas também artificiais. Tudo aquilo fora feito para que as pessoas fossem ver os dinossauros que apareciam como atração daquele lugar.
Vi muitos dinossauros, alguns carnívoros e alguns herbívoros e eles apareciam segundo a minha vontade. Era um pouco perigoso, pois havia crianças por ali, e eu achava que elas poderiam cair na lagoa, onde havia criaturas pré-históricas, mas elas não se importavam. Nós ficávamos jogando pedras na água e nos dinossauros e escalando as enormes árvores.
Decidi ir embora Dalí e, com alguma dificuldade, escalei as bordas daquele local e passei por cima daquela colina embaixo da qual ficavam aquelas salas e restaurante por onde eu havia passado.
Para reencontrar minha família eu precisava voltar na direção oposta da que eu havia vindo, mas ficou difícil, pois eu me vi num verdadeiro labirinto de salas onde se ensinava várias coisas sobre dinossauros e geologia. Cada porta que eu abria me levava para dentro de mais outra sala, e eu comecei a imaginar se não haveria um mapa por ali. Se não houvesse eu desistiria.
Por fim, consegui sair do outro lado e me deparei com uma enorme e antiga cratera coberta por grama e havia muitas pessoas que estavam ali para visitar aquele lugar.
Encontrei meu pai, e percebi que ainda estava com a toalha enrolada. Perguntei a ele onde estava uma pessoa. (Não me lembro quem era, mas pode ser que fosse ele mesmo) Ele me mostrou que a pessoa deveria estar na cratera.
Eu olhei para a cratera e vi que ela era muito bonita, coberta com grama e bem redonda, como uma tigela e havia vários turistas lá. Percebi uns desenhos enormes na cratera e a grama, quando tocada, emitia um brilho revelando os desenhos.
Eles tinham continham padrões de geometria sagrada.
avatar
Mensagens : 1989
Pontos : 5669
Honra : 575
Data de inscrição : 10/03/2013
Idade : 17
Localização : Nippon, Namimori.
Sonhos Lúcidos :
50 / 99950 / 999
Sonhos Comuns :
300 / 999300 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Seg Ago 04, 2014 5:27 pm
Sombra escreveu:
Spoiler:
Eu havia ido com minha família numa espécie de parque onde havia vários museus.
Nós nos separamos e eu fui caminhar pelo local.
Passei por algumas salas subterrâneas que ficavam embaixo de uma colina gramada. Na primeira delas eu tive que entrar por uma pequena janela redonda. As paredes eram de madeira escura lá dentro. Vestido apenas com uma toalha enrolada, andei por um restaurante que ficava numa sombra agradável e fui parar numa parte onde havia uma lagoa artificial cercado por colinas também artificiais. Tudo aquilo fora feito para que as pessoas fossem ver os dinossauros que apareciam como atração daquele lugar.
Vi muitos dinossauros, alguns carnívoros e alguns herbívoros e eles apareciam segundo a minha vontade. Era um pouco perigoso, pois havia crianças por ali, e eu achava que elas poderiam cair na lagoa, onde havia criaturas pré-históricas, mas elas não se importavam. Nós ficávamos jogando pedras na água e nos dinossauros e escalando as enormes árvores.
Decidi ir embora Dalí e, com alguma dificuldade, escalei as bordas daquele local e passei por cima daquela colina embaixo da qual ficavam aquelas salas e restaurante por onde eu havia passado.
Para reencontrar minha família eu precisava voltar na direção oposta da que eu havia vindo, mas ficou difícil, pois eu me vi num verdadeiro labirinto de salas onde se ensinava várias coisas sobre dinossauros e geologia. Cada porta que eu abria me levava para dentro de mais outra sala, e eu comecei a imaginar se não haveria um mapa por ali. Se não houvesse eu desistiria.
Por fim, consegui sair do outro lado e me deparei com uma enorme e antiga cratera coberta por grama e havia muitas pessoas que estavam ali para visitar aquele lugar.
Encontrei meu pai, e percebi que ainda estava com a toalha enrolada. Perguntei a ele onde estava uma pessoa. (Não me lembro quem era, mas pode ser que fosse ele mesmo) Ele me mostrou que a pessoa deveria estar na cratera.
Eu olhei para a cratera e vi que ela era muito bonita, coberta com grama e bem redonda, como uma tigela e havia vários turistas lá. Percebi uns desenhos enormes na cratera e a grama, quando tocada, emitia um brilho revelando os desenhos.
Eles tinham continham padrões de geometria sagrada.

Desculpe pela demora, Sombra. viva

Muito bom o relato, o mais interessante foi haver criaturas pré-históricas no museu. Mas enquanto lia o sonho, pareceu mais que você estava em um zoológico pré-histórico. iori

Dino Criss for the win!  15 
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sex Ago 08, 2014 9:21 am
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
08/08/2014

Eu estava viajando num ônibus e disse a meu irmão que eu queira conhecer as florestas mais belas do mundo. Ele disse que eram as florestas do Ceará e que nós estávamos passando por elas naquele momento.
Eu vi pela janela uma floresta que cobria uma montanha, mas ficavam passando outros ônibus na estrada dificultando minha vista.
Reparei que no céu havia nuvens tenebrosas e alguém disse que era Zeus que estava ali.
As nuvens negras tocavam o topo da montanha da floresta. Havia um penhasco entre a estrada onde eu estava e a montanha e, ao olha para baixo, percebi que havia nuvens lá embaixo também. Havia um clima de tempestade fria.
Algo aconteceu e o ônibus bateu. Eu e os outros ocupantes (meu irmão e mais algumas pessoas) tivemos que fugir correndo, pois Zeus havia tomado a forma de um homem macaco de dois metros de altura e estava querendo nos pegar.
Corri até que fui parar num tipo de ponte ou plataforma de madeira pendurada por cordas. A pessoa que me perseguia estava numa ponta e eu na outra quando surgiu um homem misterioso para me ajudar. Ele veio rodopiando no ar como um ciclone e aterrissou na plataforma. Fez brotar uma cabeça gigante na superfície de madeira. Eu percebi que era a cópia da cabeça daquele que estava me perseguindo. A pessoa que ia me ajudar estava preparando algum tipo de vodu. Tudo o que fizesse com a cabeça aconteceria com o outro.
Mas meu inimigo percebeu que aquela não era a cópia de sua cabeça. O herói disse que não era mesmo. Era na verdade a cópia da cabeça do filho do inimigo.
Ele fez brotar um tipo de broca do chão e, utilizando algum tipo de magia, ele escolheu o lado esquerdo da cabeça para atacar.
Ele era muito cruel e frio. Falava muitas maldades e não demonstrava piedade para o outro. Mas ele iria me ajudar.
avatar
Mensagens : 1989
Pontos : 5669
Honra : 575
Data de inscrição : 10/03/2013
Idade : 17
Localização : Nippon, Namimori.
Sonhos Lúcidos :
50 / 99950 / 999
Sonhos Comuns :
300 / 999300 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sex Ago 08, 2014 12:58 pm
Sonho bizarro, assustador e nonsense. Do jeito que eu gosto! 56

Zeus macacão, HUEHUEHUEHUE. Esse cara pareceu ser muito assustador. 9 Mas como uma pessoa tão má poderia ajudar outra? O_o
avatar
Mensagens : 2531
Pontos : 5670
Honra : 1044
Data de inscrição : 12/06/2013
Localização : Bahia
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sab Ago 09, 2014 2:29 am
Sombra escreveu:
Sombra escreveu:08/08/2014

Eu estava viajando num ônibus e disse a meu irmão que eu queira conhecer as florestas mais belas do mundo. Ele disse que eram as florestas do Ceará e que nós estávamos passando por elas naquele momento.
Eu vi pela janela uma floresta que cobria uma montanha, mas ficavam passando outros ônibus na estrada dificultando minha vista.
Reparei que no céu havia nuvens tenebrosas e alguém disse que era Zeus que estava ali.
As nuvens negras tocavam o topo da montanha da floresta. Havia um penhasco entre a estrada onde eu estava e a montanha e, ao olha para baixo, percebi que havia nuvens lá embaixo também. Havia um clima de tempestade fria.
Algo aconteceu e o ônibus bateu. Eu e os outros ocupantes (meu irmão e mais algumas pessoas) tivemos que fugir correndo, pois Zeus havia tomado a forma de um homem macaco de dois metros de altura e estava querendo nos pegar.
Corri até que fui parar num tipo de ponte ou plataforma de madeira pendurada por cordas. A pessoa que me perseguia estava numa ponta e eu na outra quando surgiu um homem misterioso para me ajudar. Ele veio rodopiando no ar como um ciclone e aterrissou na plataforma. Fez brotar uma cabeça gigante na superfície de madeira. Eu percebi que era a cópia da cabeça daquele que estava me perseguindo. A pessoa que ia me ajudar estava preparando algum tipo de vodu. Tudo o que fizesse com a cabeça aconteceria com o outro.
Mas meu inimigo percebeu que aquela não era a cópia de sua cabeça. O herói disse que não era mesmo. Era na verdade a cópia da cabeça do filho do inimigo.
Ele fez brotar um tipo de broca do chão e, utilizando algum tipo de magia, ele escolheu o lado esquerdo da cabeça para atacar.
Ele era muito cruel e frio. Falava muitas maldades e não demonstrava piedade para o outro. Mas ele iria me ajudar.
Coitado do filho do inimigo. Ele nada tinha a ver com a estória no sonho.kkkkk

Ainda bem que no final tudo não passou de um sonho. gargalhada 
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Sab Ago 16, 2014 10:11 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
16/08/2014

Eu possuía o poder da telecinésia. Apontando a mão para as coisas eu podia fazê-las se mover com o poder da mente. Aos poucos eu percebi que era uma sensação na palma das mãos como uma “ansiedade na mão” que proporcionava a “energia” para mover as coisas. Então vi que não precisava usar o movimento dos dedos. Somente apontando a palma das mãos abertas já era suficiente.
Eu estava dormindo numa cama na rua e alguém disse que quando há um jovem no governo e seu pai ainda está vivo lhe influenciando, as coisas não costumam dar certo. Isso estava escrito em hieróglifos. O pai estava representado pelo desenho de um homem deitado levantando um bebê nos braços e do outro lado o jovem estava representado por um homem deitado levantando o pai nos braços.
Eu me levantei da cama no quarto quando meu pai me chamou à porta e fui descendo as escadas. As chaves estavam penduradas na parede e eu as retirei com telecinésia sem que meu pai visse. Por algum motivo eu achei importante que ele não soubesse sobre a telecinésia.
Saí de casa e estava numa praia onde percebi que eu tinha poderes sobre as águas do mar e sobre os animais.
Apontei a mão para um pássaro e ele ficou sob meu controle. Eu soube que os animais reconheceriam o poder, pois era uma coisa que estava guarda em suas mentes esperando o momento certo para vir à tona. Aquele pássaro era de uma espécie que possuía uma letra “H” desenhada nas costas.
Eu fiz ondas gigantes virem e voltarem, mas alguém disse que isso poderia trazer animais horrendos das profundezas e, quando vi uma cobra e uma arraia surgirem na água que me encobria, tive medo e parei com isso.
Mas, então, surgiu uma serpente marinha gigante. Apontei as mãos para ela e vi suas pupilas contraírem ao sentir o poder. Ela levantou o corpo e tinha vários metros de altura. Eu soube que não deveria usar o poder nela para que o acontecimento se desse de forma natural. Era um tipo de teste. Eu deveria deixar ela me ameaçar em sua enormidade sem sentir medo.
Ela veio com a enorme borá cheia de enormes dentes descendo e me engoliu enquanto eu tentava não sentir medo. Vi-me no interior dela. Depois ela subiu novamente e eu não estava mais dentro dela, mas sim dentro de um buraco que ela havia feito na areia.
avatar
Mensagens : 1989
Pontos : 5669
Honra : 575
Data de inscrição : 10/03/2013
Idade : 17
Localização : Nippon, Namimori.
Sonhos Lúcidos :
50 / 99950 / 999
Sonhos Comuns :
300 / 999300 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Dom Ago 17, 2014 11:31 am
Que sonho estranho. "O pai estava representado pelo desenho de um homem deitado levantando um bebê nos braços e do outro lado o jovem estava representado por um homem deitado levantando o pai nos braços".

Não entendi muito bem. Era tipo um Paradoxo? O_o Muito legal os poderes, principalmente poder controlar os outros animais. Daí imagina na guerra, um monte de Tigre e Leão lutando envés de armas.


iori
avatar
Mensagens : 137
Pontos : 1473
Honra : 34
Data de inscrição : 01/05/2014
Idade : 15
Localização : Mundo dos sonhos
Sonhos Lúcidos :
200 / 999200 / 999
Sonhos Comuns :
890 / 999890 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Dom Ago 17, 2014 6:37 pm
The Master escreveu:  Que sonho estranho. "O pai estava representado pelo desenho de um homem deitado levantando um bebê nos braços e do outro lado o jovem estava representado por um homem deitado levantando o pai nos braços".

   Não entendi muito bem. Era tipo um Paradoxo? O_o Muito legal os poderes, principalmente poder controlar os outros animais. Daí imagina na guerra, um monte de Tigre e Leão lutando envés de armas.


iori

melhor master,inves de cavalos montados em leoes e o ceu coberto de aguias *-*
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Qua Ago 20, 2014 7:19 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Este foi o sonho do qual eu me lembrei mais detalhes.

20/08/2014

Eu havia acabado de voltar do almoço no trabalho e um sono incontrolável me atingiu. Comecei a dormir em meu posto de trabalho, mas, como meus colegas estavam reparando, achei melhor sair e dar uma volta.
Enquanto andava pela rua, encontrei um pen drive no chão. Ele grande e estranho, parecia antigo e tinha cores rosa e branco. Coloquei-o no bolso e caminhei de volta para o local onde estava trabalhando.
Antes de entrar, reparei que havia fogo e fumaça alí por perto e vi que estava acontecendo um confronto entre a polícia e um grupo de criminosos.
Entrei e chamei um de meus colegas para vir ver e nós dois vimos que estavam sendo usadas bombas e veículos de guerra. Dalí podíamos ver, Bem distante, a seguinte cena: numa rua de terra, um soldado armado com uma baioneta estava sendo ameaçado por uma criança armada com um revólver. Alguém havia colocado a arma na mão da criança e a mandado para a batalha. O soldado fez vários movimentos para assustar o menino para que ele fugisse ou, ao menos, largasse a arma. Ele era incapaz de atirar e matar uma criança e, após suas táticas falharem (como eu imaginei tristemente que aconteceria) ele se ajoelhou no chão e o menino atirou em sua cabeça matando-o. Tudo era muito distante e muito pequeno, mas eu chorei ao ver aquilo.
Outro soldado apareceu e conseguiu dar um golpe que deixou o menino inconsciente e carregou- o para longe.
Sangue começou a escorrer naquela rua como água num rio enquanto eu chorava. Meu colega ao meu lado não parecia levar tão a sério quanto eu.
Nós estávamos num andar alto de um prédio, e eu vi que os criminosos estavam movendo-se pelas ruas. Eu disse que deveríamos ir embora dalí, pois logo não haveria mais por onde fugirmos. Depois eu disse que deveríamos ter saído dali mais cedo.
Na cobertura de um prédio ao lado, os criminosos haviam subido. Eu vi pela janela e disse a meu irmão (ou minha esposa) para não ficar olhando, senão chamaria a atenção deles. Mas eles acabaram percebendo e começaram a jogar cordas para tentar alcançar a janela de onde nós estávamos
Eu gritei para que todos fossem embora agora, pois a corda havia agarrado em nossa janela e eles iam subir rapidamente. Quando todos correram para pegar suas coisas, eu vi que não podia ajudá-los, pois não entendiam a urgência da situação. Como minhas coisas estavam já à mão (num móvel ao lado da porta) peguei minha carteira e celular e saí correndo pela porta. Imaginei que eu poderia ser mais útil para todos se saísse de lá correndo do que se ficasse para ser capturado.
Corri para a escada. Eu queria descer, mas dei de cara com a escada que levava para cima no lugar onde sempre ficara a escada que ia para baixo. Subi sem hesitação, pois, afinal, talvez fosse mesmo melhor subir, pois poderiam estar vindo mais criminosos e seria mais difícil me achar lá em cima do que se eu saísse pela porta da frente do prédio.
Subi até o último andar. Na porta havia uma mulher se despedindo de um homem. Eu queria entrar para me esconder, mas eles demoraram para terminar sua conversa. Quando finalmente terminaram e o homem foi embora, eu expliquei o que estava acontecendo e disse que estávamos todos correndo perigo.
Entrei no apartamento e lá haviam várias outras pessoas. Eu disse à mulher que ela fechasse e trancasse a porta da melhor maneira possível e ela usou um objeto de metal que, acreditei, tornaria a porta muito difícil de ser aberta por fora.
As várias pessoas que estavam lá e eu fomos nos esconder atrás de um muro baixo que ficava na beira do terraço de prédio. De lá nós podíamos ver a guerra se desenrolando lá embaixo.
Um projétil atingiu uma parede perto de onde estávamos. Era um cilindro de papelão parecido com um rojão. Eu disse para que se afastassem, mas um homem ficou olhando para ele quando se desfez em várias explosões pequenas. O homem não se machucou.
Eu vi que tinha alguém querendo abrir a porta, e gritei para que todos se abaixassem e fizessem silêncio. Disse para se lembrarem dos filmes de guerra. “Vocês nunca viram um filme de guerra?” perguntei.
Novamente ninguém parecia entender a urgência da situação.
Um veículo enorme estava carregando outros veículos de guerra e ele era tão grande que, quando passou na rua, eu pude ver os pilotos dos veículos frente a frente lá de onde eu estava.
Uma bomba caiu a nossa frente sem explodir. O homem ficou olhando para ela curioso. Era uma bombinha de papel. Eu dei um peteleco nela jogando-a pela beira do prédio e, antes de atingir o chão, ela explodiu numa intensidade que teria nos matado. Todos me olharam admirados.
O homem despreocupado me disse que quem estava à porta era na verdade, uma repórter com um câmera fazendo uma reportagem sobre o conflito que, parecia, havia acabado de terminar. Fomos até lá. Era verdade.
O homem despreocupado perguntou à repórter se ela gostaria de fazer a maior reportagem de sua vida. Bastava escrever sobre a história que ele ia contar. Era a história de tudo o que havia acontecido no quarto de número 601 (acho que era esse o número). Quando ela verificou, ficou sabendo que ali haviam morrido duas crianças e várias pessoas estavam feridas, o que me entristeceu muito e eu chorei novamente.
Mas o homem despreocupado disse que era brincadeira e que meu quarto era outro (não lembro o número) e que aquelas pessoas que haviam sofrido eram outras. Depois ele disse que era brincadeira também, e que nada daquilo havia acontecido. Depois disse que ele era um assassino e me atacou com uma faca.
Então eu me irritei e falei que eu era o assassino e atirei facas em todos que estavam ali e os matei, inclusive o homem despreocupado e a repórter.
Por fim, eu vi a porta de um quarto aberta e, lá dentro, estava a menina do “Exorcista” . Atirei uma última faca e acordei.
Fim.
avatar
Mensagens : 137
Pontos : 1473
Honra : 34
Data de inscrição : 01/05/2014
Idade : 15
Localização : Mundo dos sonhos
Sonhos Lúcidos :
200 / 999200 / 999
Sonhos Comuns :
890 / 999890 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Qua Ago 20, 2014 7:34 pm
Nuss sombra que tenso,sobre o soldado que morreu inves de revidar com o menino do revover,foi muito
nobre,ele morreu com dignidade,enquanto ao final que você mata todo mundo,nuss tipo sofreu tanto
para ajudar eles e depois matou tudo kkkkk e pra completar a menina do exorcista,mas mesmo assim foi um ótimo sonho,parabéns
avatar
Mensagens : 382
Pontos : 1968
Honra : 169
Data de inscrição : 08/01/2014
Idade : 21
Localização : RJ
Sonhos Lúcidos :
11 / 99911 / 999
Sonhos Comuns :
179 / 999179 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Qui Ago 21, 2014 2:14 pm
Caraca Sombra, amei seus relatos, aquele lance da sombra, há sonhos meus em que eu me comporto como a minha sombra. Cara, esse teu último sonho, apesar de ter sido tenso demais, eu gostei muito, bem detalhado, longo, tua memória é muito boa.


[...]
— E como eu posso te chamar?
— Bom, você pode me chamar de Daniel, que era o meu nome quando eu era totalmente humano, pode também me chamar de Lobo, que era meu nome quando eu era totalmente uma entidade cósmica. Mas você também pode me chamar de Pai.
— Pai?
— Sim, todos os lobos e lobisomens são meus filhos, todos vieram de mim.
[...]

Mensagens : 1017
Pontos : 3443
Honra : 749
Data de inscrição : 06/08/2013
Idade : 27
Localização : São Paulo/Santo André
Sonhos Lúcidos :
0 / 9990 / 999
Sonhos Comuns :
0 / 9990 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Qui Ago 21, 2014 4:23 pm
LOL esse ultimo relatório foi show! É impressionante, mas parece que tem dias que nossa mente fica inspirada a criar enredos fantástico e o resultado final é um baita sonho heh. Muito interessante esse confronto, o que achei muito legal foi como seu subconsciente se mostrava irrelevante as passagens dando brecha de que nada daquilo era real e no final causou geral tentando criar um pesadelo psicológico a todo custo iori

Ótimo relato! certo
avatar
Mensagens : 40
Pontos : 1274
Honra : 32
Data de inscrição : 18/07/2014
Idade : 31
Localização : BH
Sonhos Lúcidos :
4 / 9994 / 999
Sonhos Comuns :
10 / 99910 / 999
Ver perfil do usuário

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

em Qui Ago 21, 2014 5:37 pm
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Lucid Hunter escreveu:Nuss sombra que tenso,sobre o soldado que morreu inves de revidar com o menino do revover,foi muito
nobre,ele morreu com dignidade,enquanto ao final que você mata todo mundo,nuss tipo sofreu tanto
Pois é, foi um sonho bem sofrido. Chorei bastante nele.


Licantropo escreveu: Cara, esse teu último sonho, apesar de ter sido tenso demais, eu gostei muito, bem detalhado, longo, tua memória é muito boa.
Acho que depois que eu comecei a escrever os sonhos eu comecei a lembrar de mais detalhes. Escrever os sonhos é um ótimo treinamento para a memória.

Reizen Endler escreveu:
É impressionante, mas parece que tem dias que nossa mente fica inspirada a criar enredos fantástico e o resultado final é um baita sonho heh.
certo:
É verdade. O que me chateia é quando eu tenho um sonho muito bom e penso "NOssa, quando eu acordar e eu vou escrever tudo. Vai dar até filme." Aí depois eu esqueço tudo. Eu fico sabendo que tive um sonho fantástico, mas não faço ideia do que se trata, enojado 
Conteúdo patrocinado

Re: Diário dos Sonhos do Sombra

Ver o tópico anteriorVoltar ao TopoVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum